Spell : Takeyoshi ImasatoÚltimos documentos publicados pelo autor.http://www.spell.org.br/autores/perfil/11554/takeyoshi-imasatopt-brAnálise do Perfil dos Acadêmicos e de suas Publicações Científicas em Administração2016-12-17http://www.spell.org.br/documentos/ver/436792016-12-17Narrativas e histórias nos estudos organizacionais: um diálogo sobre referências e práticas2015-07-01http://www.spell.org.br/documentos/ver/364072015-07-01O que Gestão Estratégica tem a ver com capitalismo(s)? 2014-12-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/337872014-12-22Autoridade e legitimidade em estratégia2014-01-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/206092014-01-24Brasília e modernidade: um ensaio sobre o processo de produção da capital brasileira2013-07-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/105432013-07-23Contribuições das teorias institucionais para o estudo de subsidiárias de corporações multinacionais2012-04-26http://www.spell.org.br/documentos/ver/17932012-04-26Coronelismo: um referente anacrônico no espaço organizacional brasileiro contemporâneo?A partir de Coronelismo, Enxada e Voto, de Victor Nunes Leal (1949) - obra clássica interpretativa do Brasil -, o referente coronelismo vem sendo estudado como uma manifestação singular de poder/autoridade do espaço organizacional brasileiro. Para alguns, entretanto, esse referente se apresenta como uma forma histórica datada de mandonismo, característica do cenário político brasileiro da República Velha. Neste ensaio, analisamos a pertinência ou não-pertinência da sobrevivência desse referente no espaço organizacional do Brasil atual. A refl exão aqui formulada postula que o coronelismo tem sobrevivido historicamente no ambiente brasileiro, quer no seu signifi cante transformado coronelismo eletrônico como, ainda, sob outras formas de manifestação. A análise ora proposta revela que as semioses desses referentes linguísticos apresentam os traços semiológicos semelhantes. Como conclusão, postula-se que o referente genérico coronelismo, ao sofrer re-signifi cações ao longo da História, tem-se mantido como forma viva e singular de mandonismo da cultura política organizacional no Brasil.
]]>
2012-04-12http://www.spell.org.br/documentos/ver/5152012-04-12