Spell : Alexandre de Pádua CarrieriÚltimos documentos publicados pelo autor.http://www.spell.org.br/autores/perfil/5600/alexandre-de-padua-carrieript-brCom que Cor Eu Vou pro Shopping que Você me Convidou?2015-11-01http://www.spell.org.br/documentos/ver/379092015-11-01Max Weber e a questão do método nas ciências sociais2015-07-01http://www.spell.org.br/documentos/ver/364632015-07-01A construção e transformação da identidade de uma universidade católica: o caso da PUC Minas – Brasil2015-07-01http://www.spell.org.br/documentos/ver/364462015-07-01Contribuições da análise do discurso para os estudos organizacionais2015-06-30http://www.spell.org.br/documentos/ver/363812015-06-30Masculinidade, autoimagem e preconceito em representações sociais de homossexuais 2015-05-29http://www.spell.org.br/documentos/ver/352082015-05-29Lembranças depositadas: a construção de uma memória organizacional no extinto Banco da Lavoura (Banlavoura) de Minas Gerais2015-05-28http://www.spell.org.br/documentos/ver/351512015-05-28Individualismo solidário? Um movimento interdisciplinar para um lócus cultural 2015-03-30http://www.spell.org.br/documentos/ver/348282015-03-30O cotidiano e a história: construindo novos olhares na Administração2015-03-29http://www.spell.org.br/documentos/ver/347842015-03-29Uma “sociedade do espetáculo” nos/dos estudos organizacionais brasileiros: notas críticas sobre uma leitura incipiente2015-03-28http://www.spell.org.br/documentos/ver/346992015-03-28A influência do “Mundo dos Negócios” na governança ambiental global 2015-01-09http://www.spell.org.br/documentos/ver/341332015-01-09Os lugares das empregadas domésticas2014-12-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/338132014-12-24A gestão ordinária dos pequenos negócios: outro olhar sobre a gestão em estudos organizacionais2014-12-10http://www.spell.org.br/documentos/ver/336252014-12-10Concepções de uma estética materialista para uma arte transformadora: a superação do caráter abstrato na particularidade do trabalho artístico2014-09-11http://www.spell.org.br/documentos/ver/321362014-09-11Autopoiese e sistema turístico2014-09-09http://www.spell.org.br/documentos/ver/320372014-09-09As alianças estratégicas no picadeiro da arte/negócio circense2014-08-12http://www.spell.org.br/documentos/ver/318682014-08-12Do “beija e deixa” ao “membro virtual”: os vários usos do sagrado na Feira do Jubileu de Congonhas2014-07-03http://www.spell.org.br/documentos/ver/315662014-07-03O blefe na vida cotidiana: o jogo (de truco) enquanto mecanismo imaginário para evasão do real2014-07-01http://www.spell.org.br/documentos/ver/315052014-07-01Territorialidade e identidade nas organizações: o caso do Mercado Central de Belo Horizonte2014-05-16http://www.spell.org.br/documentos/ver/308052014-05-16Movimentos de desterritorialização e reterritorilização na transformação das organizações2014-04-27http://www.spell.org.br/documentos/ver/301742014-04-27A construção de estratégias corporativas sob a perspectiva não determinística2014-04-25http://www.spell.org.br/documentos/ver/300362014-04-25A importância dos Clássicos na formação do Pesquisador: o que nos diz os conceitos de socialização, identificação e campo intelectual como campo de poder2014-04-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/299592014-04-24Humor na Internet: trabalhadores utilizam nova estratégia para protestar contra demissões e terceirizações2014-04-10http://www.spell.org.br/documentos/ver/289872014-04-10A cultura no contexto dos estudos organizacionais: breve estado da arte2014-04-01http://www.spell.org.br/documentos/ver/284632014-04-01Sistema de gestão ambiental: Construção, fatores e atores2014-03-27http://www.spell.org.br/documentos/ver/278872014-03-27Resistência à mudança gerada pela implementação de sistemas de gestão integrada (ERP): um estudo de caso2014-03-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/275252014-03-24As representações sociais da temática ambiental em uma empresa de telefonia móvel2014-02-25http://www.spell.org.br/documentos/ver/239362014-02-25Espaço religioso e espaço turístico: significações culturais e ambigüidades no Santuário do Caraçá/MG2014-02-19http://www.spell.org.br/documentos/ver/231132014-02-19O humor como estratégia discursiva de resistência: as charges do SINTTEL/MG2014-02-18http://www.spell.org.br/documentos/ver/229922014-02-18Dezesseis em Uma: o caso da transformação estratégica da Telemar Minas2014-02-18http://www.spell.org.br/documentos/ver/229042014-02-18A transformação das identidades uma empresa de telecomunicações antes e depois de sua privatização: um estudo de metáforas2014-02-17http://www.spell.org.br/documentos/ver/228522014-02-17A cristalização de uma microrrevolução francesa: o caso das cooperativas de Salinas-MG2014-01-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/205882014-01-24Mudanças simbólicas: análise discursiva das transformações identitárias e espaciais em uma feira2014-01-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/205662014-01-24Privatização em países periféricos: um exemplo brasileiro nas telecomunicações2014-01-13http://www.spell.org.br/documentos/ver/196012014-01-13"Um arranjo produtivo em xeque": campo, habitus e capital simbólico em uma Arranjo Produtivo Local moveleiro em Minas Gerais2013-12-30http://www.spell.org.br/documentos/ver/183762013-12-30Esquadrinhando a governança corporativa: o comportamento dos personagens sob o ponto de vista dos discursos dos autores acadêmico2013-12-29http://www.spell.org.br/documentos/ver/182382013-12-29Soldadinhos-de-chumbo e bonecas: representações sociais do masculino e feminino em jornais de empresas2013-12-26http://www.spell.org.br/documentos/ver/180232013-12-26Trabalho, violência e sexualidade: estudo de lésbicas, travestis e transexuais2013-12-20http://www.spell.org.br/documentos/ver/178422013-12-20Gestão e Organização no Capitalismo Globalizado: História da Manipulação Psicológica no Mundo do Trabalho - (Roberto Heloani - 2003)2013-12-11http://www.spell.org.br/documentos/ver/174952013-12-11Percurso semântico do tema empregabilidade: a (re)construção de parte da história de uma empresa de telefonia2013-12-10http://www.spell.org.br/documentos/ver/173992013-12-10Understanding organizational culture - (Mats Alvesson - 2002)2013-12-09http://www.spell.org.br/documentos/ver/173592013-12-09A tradição anglo-saxônica nos estudos organizacionais brasileiros2013-12-07http://www.spell.org.br/documentos/ver/172252013-12-07O meio ambiente: discurso consistente ou prática vazia? Uma reflexão sobre os discursos ambientais, a teoria organizacional e o caso brasileiro2013-09-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/123602013-09-24O assédio moral degradando as relações de trabalho: um estudo de caso no Poder Judiciário2013-09-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/122962013-09-23Contradições gerenciais na disseminação da “cultura corporativa”: o caso de uma estatal brasileira2013-09-19http://www.spell.org.br/documentos/ver/119952013-09-19Os discursos e as metáforas na análise da propensão à participação: um estudo em um banco privatizado2013-09-18http://www.spell.org.br/documentos/ver/118452013-09-18Environmental discourses in organizations: the case of a Brazilian mobile telecommunications company2013-09-17http://www.spell.org.br/documentos/ver/117652013-09-17Significações culturais: um estudo de caso da UFMG Consultoria Júnior2013-09-12http://www.spell.org.br/documentos/ver/115092013-09-12O discurso e sua análise no enfoque foucaultiano da formação discursiva: um método de pesquisa nos estudos organizacionais2013-09-11http://www.spell.org.br/documentos/ver/113812013-09-11Responsabilidade social: ideologia, poder e discurso na lógica empresarial

O objetivo do artigo é identificar como uma empresa multinacional de papel e celulose desenvolve programas sociais em uma região compreendida por 47 municípios no estado de Minas Gerais. A escolha da empresa X foi definida pela sua importância na indústria mineira, bem como pelo destaque dado aos programas sociais da empresa no meio empresarial, que vivencia iniciativas centralizadas de incentivo ao voluntariado. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica sobre a concepção da responsabilidade social empresarial e uma pesquisa de campo qualitativa com agentes sociais na região de atuação da empresa. A metodologia empregada na pesquisa foi construída por meio de um conjunto de entrevistas semi-estruturadas, utilizando a análise do discurso como técnica para pontuação das conclusões do trabalho. Os resultados demonstram que a prática da responsabilidade social se situa num contexto mais significativo que o mero discurso empresarial.


]]>
2013-08-31http://www.spell.org.br/documentos/ver/110052013-08-31
O poder, a analítica foucaultiana e possíveis (des)caminhos: uma reflexão sobre as relações de poder em organizações familiares2013-08-27http://www.spell.org.br/documentos/ver/108132013-08-27Percurso semântico do assédio moral na trajetória profissional de mulheres gerentesO artigo tem o objetivo de evidenciar comportamentos de assédio moral na trajetória profissional de 12 mulheres gerentes de empresas privadas de Minas Gerais que se consideravam assediadas, relacionando-os às categorias de Hirigoyen (2002a e 2002b). A coleta dos dados foi realizada por meio de histórias de vida com investigação participativa e os dados foram interpretados por meio da análise de discurso. Essa estratégia metodológica possibilitou observar que as relações de poder que permeiam o ambiente organizacional trazem uma possibilidade de (re)leitura antiga do que se denomina hoje assédio moral. Grande parte das entrevistadas continua sofrendo assédios, sendo talvez até mais expostas ao fenômeno por estarem em um terreno de domínio masculino, o que pode remeter aos fatores culturais brasileiros.

]]>
2013-08-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/107352013-08-22
Ensino superior em Administração entre os anos 1940 e 1950: uma discussão a partir dos acordos de cooperação Brasil-Estados Unidos2013-07-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/105542013-07-23Gender and work: representations of femininities and masculinities in the view of women Brazilian executives2013-07-18http://www.spell.org.br/documentos/ver/103832013-07-18Políticas de diversidade nas organizações: as relações de trabalho comentadas por trabalhadores homossexuais2013-07-17http://www.spell.org.br/documentos/ver/102932013-07-17Invisibilidade social e trabalho noturno: reflexões a partir de representações sociais de garçons2013-07-16http://www.spell.org.br/documentos/ver/102562013-07-16Relações entre poder e subjetividade em uma organização familiarA empresa liga, simbólica e afetivamente, os fi lhos ao legado do pai, o que a torna um projeto de vida reapropriado e realimentado por eles. As conclusões alertam que as empresas familiares não deixam de ser empreendimentos econômicos mesmo sendo intensas em afetividade, sendo os fi lhos vítimas dos mesmos estratagemas que diversos autores denunciam em empresas capitalistas por aderirem a um sonho que não lhes pertence, mas que lhes cabe manter vivo.]]>2013-07-16http://www.spell.org.br/documentos/ver/101962013-07-16Reflexões sobre o indivíduo desejante e o sofrimento no trabalho: o assédio moral, a violência simbólica e o movimento homossexual2013-03-30http://www.spell.org.br/documentos/ver/96592013-03-30A arte de (sobre)viver coletivamente: estudando a identidade do Grupo Galpão2013-03-29http://www.spell.org.br/documentos/ver/96312013-03-29As cinco vidas da agenda pública brasileira de turismo2012-08-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/80442012-08-23“O avô constrói, o pai usa e o neto morre de fome”: histórias de família em uma organização2012-08-19http://www.spell.org.br/documentos/ver/80122012-08-19Práticas discursivas na construção de uma gastronomia polifônica2012-07-29http://www.spell.org.br/documentos/ver/78602012-07-29O ethos capitalista weberiano e a afetividade no comércio mineiro2012-07-09http://www.spell.org.br/documentos/ver/75152012-07-09O imaginário dos mascates e caixeiros- -viajantes de Minas Gerais na formação do lugar, do não lugar e do entrelugar2012-06-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/72142012-06-24Práticas discursivas de trabalhadores terceirizados e construções sociais da identidade de exclusão2012-06-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/71832012-06-23Estratégias e Táticas Empreendidas nas Organizações Familiares do Mercadão de Madureira (Rio de Janeiro)acerca de como pequenas organizações familiares, inseridas no Mercadão de Madureira (Rio de Janeiro), conseguiram e conseguem sobreviver tendo em vista as mudanças contextuais as quais essas organizações foram submetidas ao longo de quase um século de história. Objetivou-se saber quais são as táticas e estratégias empreendidas pelos gestores e demais sujeitos envolvidos nessas organizações familiares que lhes permitiram a sobrevivência. Trabalhou-se com o conceito de estratégia como prática, que se associa à perspectiva do cotidiano e do contexto, que influenciam os saberes-fazeres dos indivíduos. Buscou-se na
noção de representações sociais um caminho pela relação entre representação e ação. A abordagem metodológica foi qualitativa, pois entendeu-se que seria a alternativa mais adequada à perspectiva teórica da estratégia como prática e como processo, permitindo maior riqueza das observações advindas da associação entre sujeito de pesquisa, locus de trabalho e pesquisador. A pesquisa empírica foi desenvolvida a partir de entrevistas, que foram gravadas, transcritas e analisadas de acordo com caminhos propostos no âmbito da análise do discurso. Foram feitas análises quanto aos implícitos, aos percursos temáticos e à existência de polifonia. Com base nos dados analisados, compreendeu-se que os processos
estratégicos empreendidos pelos gestores das organizações são cotidianamente metamorfoseados, esculpindo e polindo cada vez mais os saberes-fazeres e o próprio espaço. Além disso, compreendeu-se que as práticas estratégicas não são delineadas apenas nas organizações familiares, pois elas nunca estão sozinhas em suas práticas cotidianas. As táticas e estratégias sustentam-se umas às outras, configurando assim a organização Mercadão de Madureira. O trabalho contribui para os estudos de estratégia no sentido de mostrar que, além das perspectivas apontadas pelos autores que tratam da questão da representação espacial, é necessário ainda um foco sobre tal representação, tanto física como simbólica, tendo sido o espaço simbólico um elemento-chave para a pesquisa. A
originalidade deste trabalho está na forma que busca estudar a estratégia, fugindo da perspectiva de que os sujeitos – gestores de qualquer negócio – não podem desenvolver práticas sociais em que se intercalam estratégias e táticas de sobrevivência do negócio e da família.]]>
2012-06-20http://www.spell.org.br/documentos/ver/70342012-06-20
Triangulação entre métodos na administração: gerando conversações paradigmáticas ou meras validações “convergentes”?2012-06-19http://www.spell.org.br/documentos/ver/69642012-06-19Organização-cidade: proposta de avanço conceitual a partir da análise de um caso2012-06-19http://www.spell.org.br/documentos/ver/69802012-06-19Identidades, práticas discursivas e os estudos organizacionais: Uma proposta teórico-metodológica2012-06-18http://www.spell.org.br/documentos/ver/69192012-06-18A Constructionist Approach for the Study of Strategy as Social Practice2012-06-17http://www.spell.org.br/documentos/ver/69092012-06-17Citações e não citações na produção acadêmica de estratégia no Brasil: uma reflexão crítica2012-05-25http://www.spell.org.br/documentos/ver/68322012-05-25Cultura em organizações e suas diversidades: perspectivas de análises à luz da metáfora dos “Três Porquinhos”2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/27172012-05-22A estratégia como prática social nas organizações: articulações entre representações sociais, estratégias e táticas cotidianas2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/44612012-05-22As representações e as práticas sociais das "sacoleiras" na feira hippie de Belo Horizonte: a representação social de empreendedoras de pequenos negócios2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/58952012-05-22Os impactos da implementação de Sistemas de Gestão Integrada nas relações de poder – estudo de caso no setor alimentício2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/30582012-05-22Feirante ou barraqueiro? Identidades e estratégias na Feira do Jubileu2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/29302012-05-22A analítica Queer e seu rompimento com a concepção binária de gênero2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/42122012-05-22Atributos estratégicos nas compras de estabelecimentos de hospedagens: estudo das pousadas de Ouro Preto e Tiradentes no roteiro turístico “Estrada Real”2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/61222012-05-22Posicionamento logístico com base nas estratégias de produção em micro-organizações familiares: um estudo de caso no setor têxtil2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/47542012-05-22Apropriação dos Saberes Administrativos: Um Olhar Alternativo sobre o Desenvolvimento da Área2012-05-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/42772012-05-22“Da basílica à feira... do oásis ao Shoppingleu”: a trajetória das metáforas do Jubileu em Congonhas (MG)]]>2012-05-01http://www.spell.org.br/documentos/ver/24012012-05-01Crítica ao manejo humano em Belo Horizonte2012-04-30http://www.spell.org.br/documentos/ver/22652012-04-30Racionalidades no fazer artístico: estudando a perspectiva de um grupo de teatro2012-04-27http://www.spell.org.br/documentos/ver/19542012-04-27Práticas de gestão de pessoas nos Caminhos da Estrada Real2012-04-27http://www.spell.org.br/documentos/ver/21052012-04-27Práticas de recursos humanos na gestão do setor hoteleiro capixaba2012-04-27http://www.spell.org.br/documentos/ver/21282012-04-27Os espaços simbólicos e a construção de estratégias no Shopping Popular Oiapoque2012-04-26http://www.spell.org.br/documentos/ver/17462012-04-26Um “Pas de Deux” da estratégia com a arte: as práticas do Grupo Corpo de Balé2012-04-25http://www.spell.org.br/documentos/ver/16092012-04-25Humor e discriminação por orientação sexual no ambiente organizacional2012-04-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/12472012-04-24A espacialidade na construção da identidade2012-04-24http://www.spell.org.br/documentos/ver/13202012-04-24Fotografias de família pela ótica das sucessoras: um estudo sobre uma organização familiar2012-04-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/11622012-04-23Identidade organizacional e os componentes do processo de identificação: uma proposta de integraçãoEste artigo tem como objetivo analisar como se configuraram os componentes do processo de identificação em uma organização, cuja trajetória foi caracterizada por crescimento, crise e reestruturação. Buscando oferecer uma perspectiva qualitativa e integrada dos fenômenos “identificação” e “identidade organizacional”, são aqui analisados os componentes cognitivo, afetivo e valorativo do processo de identificação propostos na teoria da identidade social e na teoria da categorização do self, com destaque para a identidade organizacional e para as similaridades no comportamento das pessoas, como bases do componente cognitivo. Essas abordagens foram integradas em um estudo de caso de uma empresa multinacional de tecnologia. Observou-se que na época de crescimento os empregados estabeleceram um estável senso de pertencimento com a empresa idealizada, amada e considerada prestigiosa, resultando na predominância de uma relação de dependência psicoemocional. Entretanto, a partir da crise e da reestruturação, ocorreu um movimento racional de desvinculação dos empregados com a empresa, reforçado pela alteração e instabilidade nos atributos e valores organizacionais. Isso foi fruto da perda do senso estável de pertencimento, da relação afetiva e da percepção de prestígio da empresa. Concluiu-se que organizações contemporâneas em processos de mudanças freqüentes e radicais têm perdido a conotação de espaços seguros com os  quais as pessoas se identificariam, resultando numa relação mais racional de troca de interesses.]]>2012-04-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/10732012-04-23A dimensão identitária em duas feiras hippies: uma comparação entre Estados Unidos e Brasil2012-04-23http://www.spell.org.br/documentos/ver/9472012-04-23De camelô a empreendedor? O impacto da mudança espacial na identidade dos ambulantesconstituem. A identidade é entendida como fluida e em constante mudança.]]>2012-04-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/8472012-04-22Dos Recursos Humanos a Gestão de Pessoas: reflexões arqueológicas das mudanças conceituais2012-04-22http://www.spell.org.br/documentos/ver/8562012-04-22Estratégias Subversivas de Sobrevivência na “Feira Hippie” de Belo Horizonte2012-04-21http://www.spell.org.br/documentos/ver/7792012-04-21O tema da proteção ambiental incorporado nos discursos da responsabilidade social corporativa2012-04-20http://www.spell.org.br/documentos/ver/7042012-04-20Social practices and strategizing: a study of produce merchants in the Vila Rubim Market2012-04-17http://www.spell.org.br/documentos/ver/6162012-04-17The construction of organizational identity: discourses on a Brazilian Private Railroad2012-04-16http://www.spell.org.br/documentos/ver/5502012-04-16Homofobia e violência moral no trabalho no Distrito FederalNeste artigo se analisam formas de violência moral no trabalho, envolvendo homos sexuais masculinos do Distrito Federal. Foram realizadas entrevistas com trabalhadores desse grupo, com o intuito de registrar suas histórias de vida e situações de constrangimento em função de sua orientação sexual. O material coletado foi tratado mediante a análise de conteúdo, tendo sido discutidas duas categorias principais: a vida em sociedade e a vida em organizações. Os principais resultados revelam a existência de um contexto de violência moral, explícita ou velada, e de omissão dos superiores hierárquicos em relação a tais situações. Conclui-se que este estudo pode auxiliar na compreensão da violência moral no ambiente de trabalho, evidenciando a necessidade de as organizações trabalharem na prevenção e no combate à discriminação em qualquer nível.]]>2012-04-11http://www.spell.org.br/documentos/ver/4352012-04-11Políticas de RH: instrumentos de consenso e ambigüidade Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE MicrosoftInternetExplorer4 O objetivo deste artigo é problematizar a seguinte questão: no cotidiano do trabalho, as políticas de RH podem ser vistas unicamente pela ótica da integração organizacional ou existem implicações que geram dissensos e/ou conflitos? As propostas de integração organizacional de autores como Deal e Kennedy (1982) e Schein (1985) dificultam o reconhecimento de construções heterogêneas, inerentes à gestão de pessoas. Em contraposição, autores como Reed (1989), Martin (1992) e Aktouf (1994) baseiam uma ótica em que as políticas de RH 'fragmentam' a organização. A discussão é embasada por um estudo de caso sobre as políticas de RH, em uma Regional da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. A coleta de dados se baseou em documentos e entrevistas semi-estruturadas, com 26 atores em diversos níveis gerenciais. Para o tratamento dos dados utilizou-se a análise de conteúdo (Bardin, 1977). Buscaram-se padrões ou recorrências de palavras, frases, idéias e tópicos de interesse (Bogdan & Biklen, 1994). Como conclusão, evidenciou-se que as políticas de RH devem ser recontextualizadas com base no reconhecimento de que remetem à integração e à fragmentação organizacional, inseridas em processo de mediação das diferenças (re)construídas socialmente. ]]>2012-04-10http://www.spell.org.br/documentos/ver/4002012-04-10Sport Club Internacional e a constituição da identidade corporativa de “clube-empresa”Este artigo apresenta resultados de pesquisa realizada com o objetivo de compreender o processo de constituição da identidade corporativa do Sport Club Internacional, um dos primeiros e mais bem-sucedidos clubes brasileiros a se tornar clube-empresa.Aborda, sobretudo, a forma como o clube constituiu e vem gerenciando a ambigüidade dos papéis de clube e empresa. O estudo conjuga teorias de branding, principalmentea segunda corrente, que compreende a identidade como fluida e fruto de negociaçõespolíticas entre coalizões de poder, estabelecidas entre stakeholders internos e externos, com a sociologia de Pierre Bourdieu, sobretudo, os conceitos de campo, habitus, capitais e trajetória.]]>2012-04-10http://www.spell.org.br/documentos/ver/3992012-04-10Identidade nas organizações: múltipla? Fluida? Autônoma?Este ensaio não busca defender ou consolidar uma noção específica de identidade, não se detém a apresentar uma tradição teorico-epistemológica em particular, mas objetiva explorar várias vias teóricas e epistemológicas, no intuito de sensibilizar os estudiosos sobre a identidade nas organizações à  multiplicidade de caminhos possíveis. Busca-se, assim, instigar caminhos para a pesquisa sobre identidade nos estudos organizacionais, sugerindo “novas” possíveis orientações para o avanço do conhecimento na área. Mais precisamente, três idéias, aparentemente incompatíveis entre si, são propostas para estimular pesquisas futuras sobre identidade nas organizações. Tratam-se das idéias de identidade pelo prisma da multiplicidade, da fluidez e da autonomia. Cada prisma pode instigar pesquisas que a avancem em relação aos temas que interceptam as três idéias iniciais. Paralelamente, levantam-se algumas  indagações, respondemos algumas questões e partilham-se outras tantas dúvidas com o leitor.
]]>
2012-04-09http://www.spell.org.br/documentos/ver/3122012-04-09
A abordagem sócio-construcionista e a produção de sentidos sobre o desemprego: um estudo no setor industrial da região metropolitana de Belo Horizonte (RM-BH)O emprego, como categoria de trabalho formal, ocupa grande parte dos trabalhadores no Brasil; por isso, o desemprego é uma questão social central e atual para a discussão no cenário brasileiro. Portanto, defende-se que o fenômeno do desemprego pode ser investigado por meio de um processo de produção de sentidos, tendo por base os sujeitos sociais. Para tanto, adotaram-se as abordagens do Construcionismo Social e a análise das práticas discursivas como possibilidade teóricometodológica para o estudo. Desenvolveu-se a argumentação com o aporte de uma pesquisa empírica, realizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, com o objetivo de compreender o processo de produção de sentidos acerca do fenômeno do desemprego, considerando as práticas discursivas de sujeitos envolvidos com esse fenômeno. Foram identificados quatro repertórios discursivos: condição de empregado(a); mudanças nas configurações do emprego no setor industrial; condição de nãoempregado(a); e, condição de trabalhador(a). Desse modo, este estudo contribui para o avanço do debate teórico-metodológico acerca dos estudos sobre a realidade do trabalho/desemprego.]]>2012-04-09http://www.spell.org.br/documentos/ver/3552012-04-09A institucionalização da feira hippie de Belo Horizonte.O objetivo neste artigo é analisar o processo de institucionalização da Feira de Arte, Artesanato e Produtores de Variedades, popularmente conhecida como Feira Hippie de Belo Horizonte. A análise foi feita de forma longitudinal, com foco particular na identidade, e baseada na teoria institucional. A estratégia de pesquisa, de cunho qualitativo, articulou como métodos principais o estudo multi-casos e o método biográfico (história de vida), tendo os dados sido coletados por meio de entrevistas em profundidade baseadas em roteiros semi-estruturados. A amostragem se baseou em um critério não probabilístico intencional, com foco na antigüidade dos entrevistados na Feira Hippie. Os dados foram tratados usando a análise do discurso, adequada a recortes longitudinais. Os resultados revelam a influência do poder público (isomorfismo coercitivo) sobre o campo nestes quase 40 anos de Feira Hippie, embora tenha havido fases em que outros tipos de isomorfismo emergiram com maior força. Conclui-se que a legitimidade de organizações não ortodoxas como esta pode se submeter a critérios ortodoxos, como a legislação, à medida que os atores não delimitam seu território claramente, o que dá margem a que trabalhos com foco simbólico possam ser desenvolvidos para analisar como os indivíduos se posicionam dentro dos campos institucionalizados.]]>2012-04-08http://www.spell.org.br/documentos/ver/2892012-04-08