Experiências de Turismo Cervejeiro em Curitiba, PR Outros Idiomas

ID:
10161
Resumo:
O Turismo Cervejeiro tornou-se um segmento turístico emergente, que vem ganhando destaque no Brasil. Nesse contexto, observa-se o crescimento e o surgimento de centros cervejeiros por todo país, cenário em que se coloca a cidade de Curitiba, Paraná, definida como objeto deste estudo. A partir disso, foi proposta a avaliação de doze casas especializadas na comercialização de cervejas especiais e artesanais e que são componentes da oferta do turismo cervejeiro curitibano. Os itens analisados na pesquisa foram: a) qualidade da experiência ofertada, e b) reputação online. Para tanto, foi utilizada a metodologia de um estudo multicasos, exploratório e descritivo e de cunho qualitativo. A metodologia permitiu a análise e verificação de conteúdos online, em blogs (onde foram analisadas as postagens sobre o contexto cervejeiro curitibano, com vistas à aquisição de uma visão mais abrangente da oferta do segmento na cidade) e outras mídias sociais (onde se analisou os comentários postados pelos consumidores). Como resultado da pesquisa, observou-se que, em geral, a experiência nos estabelecimentos analisados é positiva, sendo ressaltados como fatores fundamentais para a qualidade da experiência os seguintes: o atendimento, a ambientação e a qualidade das cervejas artesanais comercializadas.
Citação ABNT:
BIZINELLI, C.; MANOSSO, F. C.; GANDARA, J. M. G.; VALDUGA, V. Experiências de Turismo Cervejeiro em Curitiba, PR. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, v. 5, n. 2, p. 349-375, 2013.
Citação APA:
Bizinelli, C., Manosso, F. C., Gandara, J. M. G., & Valduga, V. (2013). Experiências de Turismo Cervejeiro em Curitiba, PR. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, 5(2), 349-375.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/10161/experiencias-de-turismo-cervejeiro-em-curitiba--pr/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Akel, G. M. (2012). Reputação Online no Mundo da Alimentação Comercial: Um estudo comparativo entre Ourense (Espanha) e Curitiba (Brasil). Dissertação de Mestrado apresentada para obtenção de título de Planificación y Dirección del Turismo Interior y de Salud. Facultad de Ciencias Empresariales y Turismo. Universidade de Vigo, Ourense, Espanha.

Alén Gonzaléz, M. E.; Gândara, J. M. G.; & Fraiz Brea, J. A. (2006). Explicación de las intenciones de comportamiento a través de la calidad percibida y la satisfacción en el turismo termal em España. Turismo em Análise, São Paulo, 17(2), 206-224.

Allen, F. (1984). Reputation and product quality. Rand Journal of Economics, v. 15, p. 311-327.

Almeida, M. A.; Redín, L. B.; & Castilla, J. I. M. (2006). Gestión de la calidad de los procesos turísticos. Espanha: Editora Sintesis.

Arnould, E.; & Price, L. (1993). River magic: extraordinary experience and the extended service encounter. Journal of Consumer Research, 20(1), 24-45.

Biz, A. (2009). Avaliação dos portais turísticos governamentais quanto ao suporte à gestão do conhecimento. Santa Catarina: UFSC, 242p. Tese (Doutorado) – Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina.

Blogueiros Brasileiros de Cerveja. (2011). 1° Convenção Nacional de Blogueiros de Cerveja - Carta de Intenção. Recuperado em 26 setembro, 2012, de .

Brandão Júnior, A.; Lira, W. S.; & Gonçalves, G. A. C. (2004). A satisfação do cliente como base para a qualidade em serviços: o caso de um supermercado de pequeno porte. Qualit@s Revista Eletrônica, João Pessoa, v. 3, n. 1.

Carbone, L. P.; & Haeckel, S. H. (1994). Engineering customer experiences. In IBM – Advanced Business Institute. Reprinted with permission Marketing Management, v. 3, n. 3, p. 1-10.

Cardoso, G. (2007). A mídia na Sociedade em Rede. Rio de Janeiro, FGV.

Caru, A.; & Cova, B. (2003). Revisiting consumption experience: a more humble but complete view of the concept. Marketing Theory, 3(2), 267-286.

Carvalho, A. A. A.; Simões, A.; & Silva, J. P. (2004). Indicadores de Qualidade e de Confiança de um Site. In M. P. Alves & E. A. Machado (Ed. ) Actas das II Jornadas da Secção Portuguesa da ADMEE: A avaliação e a validação das competências em contextos escolares e profissionais, Braga, Portugal: CIED, IEP.

Castelli, G. (2003). Administração hoteleira. Caxias do Sul: EDUCS.

Csikszentmihalyi, M. (1975). Beyond boredom and anxiety. San Francisco: Jossey-Bass.

Csikszentmihalyi, M. (1991). Flow: The psychology of optimal experience. New York: Harper & Row.

Cuenllas, A. (2012). ¿Quién gestiona la reputación online de tu hotel? In: Hosteltur. com. Recuperado em 18 agosto, 2012, de .

Cunha, L. (2012). Produção de cerveja cresce 3,3% em 2011. Jornal da Tarde. Recuperado em 12 setembro, 2012, de .

Escobar, J. L. (2007). Blogs jornalísticos como objeto de estudo: uma metodologia possível. In II Coneco - Congresso de Estudantes de Pós-graduação em Comunicação, GT Jornalismo em Pauta.

Ferreira, D. B. (2008). Blog como Ferramenta da Comunicação Empresarial. (Monografia). Bacharel em Jornalismo, Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro.

Fitzsimmons, J.; & Fitzsimmons, J. (2000). Administração de serviços: operações, estratégia e tecnologia de informação. Porto Alegre: Bookman.

Fraiz Brea, J. A.; Río Rama, M. C.; & Garcia, J. A. (2012). Motivaciones para implementar un sistema de gestión de la calidad: Análisis empírico en el sector turístico español. Cultur -Revista de Cultura e Turismo, Ilhéus (BA), v. 6(1), 40-68.

Francioni, J. L. (2012). Beer Tourism: a visitor and motivational profile for North Carolina Craft Breweries. (Dissertação). Master of Science, University of North Carolina, Greensboro.

Freitas, H.; & Janissek, R. (2000). Análise Léxica e Análise de Conteúdo: Técnicas complementares, sequenciais e recorrentes para exploração de dados qualitativos. Porto Alegre: Sphinx: Editora Sagra Luzzatto.

Friedlander, RJ. (2012). Tendencias en la gestión de la reputación y las opiniones online de hoteles. In Hosteltur. com. Recuperado em 21 setembro, 2012, de .

Furquim, T. A. (2004). Fatores Motivadores de uso do site web: um estudo de caso. In Ci. Inf.; Brasília, v. 33, n. 1, p. 48-54.

Gianesi, I. G. N.; & Corrêa, H. L. (1996). Administração Estratégica de Serviços. São Paulo: Editora Atlas.

Gimenes, M. H. S. G.; Fraiz Brea, J. A.; & Gândara, J. M. G. (2012). Comida inolvidables: la construcción de una metodología para analizar las experiencias de comer fuera de casa. In Estudios y Perspectivas en Turismo, v. 21, pp. 802-824.

Gonçalves, A. (2005). Excelência no atendimento – atraindo, convertendo e fidelizando clientes. Recuperado em 20 setembro, 2012, de .

Greztel, U.; Fesenmaier, D. R.; & O’Leary, J. T. (2006). The Transformation of Consumer Behaviour. In Buhalis, D.; Costa, C. (Org). Tourism Business Frontiers: consumers, products and industry. Oxford: Elsevier.

Grönroos, C. (1988). The Six Criteria of Good Service Quality. In Review of Business, 3. New York: St. John University Press.

Guzmán, V. ET AL. (2011). Curso en Community Management. Fundación UNED.

Hirschman, E. C.; & Holbrook, M. B. (1982). Hedonic Consumption: Emerging, Concepts, Methods and Propositions. Journal of Marketing, v. 46, p. 92-101.

IBGE – Instituto Brasileiro De Geografia e Estatística. (2011). Pesquisa de Orçamentos Familiares – Análise do Consumo Alimentar Pessoal do Brasil, 2008-2009. Recuperado em 25 setembro, 2012, de .

Kaniak, T. (2011). Curitiba: a nova meca da cerveja artesanal. Revista Ideias. Recuperado em 25 setembro, 2012, de .

Kimes, S. E. (2008). The role of technology in restaurant revenue management. Cornell Hospitality Quarterly, v. 49, p. 297-309.

Lascelles, D. M.; & Dayle, B. G. (1989). A review of the issues involved in quality improvement. International Journal of Quality & Reliability Management, 5(5), 76-94.

Laville, C.; & Dionne, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul: Belo Horizonte: Editora UFMG.

Marchiori, E.; & Cantoni, L. (2012). The Online Reputation Construct: Does it Matter for the Tourism Domain? Information Technology & Tourism, v. 13, p. 139-159.

Matos, R. (2004). Can slow tourism bring new life to alpine regions? Weirmair, K.; & Mathies, C. The tourism and leisure industry: Shapping the future. United States The Haworth Hospitality Press, pp. 93-104.

Miguéns, J.; Baggio, R.; & Costa, C. (2008). Social media and Tourism Destinations: TripAdvisor Case Study. In IASK ATR2008 (Advances in Tourism Research 2008), Aveiro, Portugal, May. 26-28.

Montardo, S. P. (2010). Conteúdo gerado pelo consumidor: reflexões sobre sua apropriação pela Comunicação Corporativa. Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo, 33(2), 161-180.

Niester, J. (2008). Beer, Tourism and Regional Identity Relationships between beer and tourism in Yorkshire, England. (Dissertação de Mestrado). Master of Applied Environmental Studies in Local Economic Development – Tourism Policy and Planning. Waterloo, Ontario, Canadá.

O’Shauhnessy, J.; & O´Shauhnessy, N. J. (2003). The Marketing Power of Emotion. Oxford: Oxford University Press.

Pantelidis, I. S. (2010). Electronic Meal Experience: A Content Analysis of Online Restaurants Comments. Cornell Hospitality Quarterly, November, v. 51, n. 4, p. 483-491.

Parasuraman, A.; Zeithaml, V.; & Berry, L. (1988). A Multiple-item Scale for Measuring Consumer Perceptions of Service Quality, Journal of Retailing, 64(1), 12-40.

Parasuraman, A.; Zeithaml, V.; & Berry, L. . (1994). Reassessment of expectations as a comparison standard in measuring service quality: implications for further research. Journal of Marketing, v. 58, n. 1, p. 111-124.

Penteado, C. L. C.; Santos, M. B. P.; & Araujo, R. P. A. (2006). Blogs de Política: caminhos para reflexão. Congresso Anual da Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação e Política, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA.

Penteado, C. L. C.; Santos, M. B. P.; & Araujo, R. P. A. . (2008). Blogs e ação política na Internet. II Simpósio ABCiber - Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura, PUCSP.

Penteado, C. L. C.; Santos, M. B. P.; & Araujo, R. P. A. (2009). Metodologia de Pesquisa de Blogs de Política Análise das Eleições Presidenciais de 2006 e do movimento “Cansei”. Rev. Sociol. Polít.; Curitiba, v. 17, n. 34, p. 159-181.

Petrocchi, M. (2006). Hotelaria: Planejamento e Gestão. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Pine II, B. J.; & Gilmore, J. H. (1999). The Experience Economy – work is theatre & every business a stage. Massachusetts: Ed. Harvard Business School Press.

Plummers, R.; Telfer, D.; Hashimoto, A.; & Summer, R. (2005). Beer tourism in Canada along the Waterloo Wellington Ale Trail. Tourism Management, v. 26, p. 447-458.

Quadros, C. I. (2007). Sobre metodologias para pesquisar blogs. Anais. . . 5º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo. Universidade Federal de Sergipe.

Recuero, R. (2003). Weblogs, webrings e comunidades virtuais, 2003. Recuperado em 26 setembro, 2012, de .

Reis, G. (2011). Brasil passa Alemanha e Rússia e é o 3º produtor mundial de cerveja. Recuperado em 12 setembro, 2012, de .

Revista da Cerveja. (2012). Colorado a Cerveja da Brasilidade. Ano 1, n. 2. Recuperado em 25 setembro, 2012, de (para assinantes).

Rodriguez, I. L. (2009). Social Media in Tourism Behaviour. Dissertação de Mestrado para obtenção de Mestre em European Tourism Management. Bournemouth University & Université de Savoie.

Rosenfield, L.; & Morvile, P. (1998). Information architecture for the world wide web: designing large-scale web sites. Cambridge: O’Reilly.

Sartori, R. V.; & Reis, D. R. (2010). Gerenciamento da Reputação Digital como ferramenta de apoio a gestão da inovação. Anais. . . XXX Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil.

Shapiro, C. (1983). Premiums for high quality products as returns to reputations. Quarterly Journal of Economics, v. 98, p. 659-680.

Terra, C. F. (2006). Blogs corporativos como estratégia de comunicação. In RP em Revista, v. 4, n. 15. Salvador, BA.

Tofoli, E. T.; & Tofoli, I. (2006). A busca da qualidade no atendimento em empresas do setor supermercadista da Região Noroeste do Estado de São Paulo. Revista FACEF Pesquisa, São Paulo, v. 9, n. 1.

Valduga, V. (2011). Enoturismo no Vale dos Vinhedos. Jaguarão: Fundação Universidade Federal do Pampa.

Wanderlei, H. (2004). A percepção dos hóspedes quanto aos atributos oferecidos pelos hotéis voltados para o Turismo de Negócios na cidade de São Paulo. Dissertação apresentada para obtenção de título de Mestre em Engenharia na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo. Webshoppers. 26° Edição. Recuperado em 3 outubro, 2012, de .

Weigelt, K.; & Camerer, C. (1988). Reputation and corporate strategy: A review of recent theory and applications. In Strategic Management Journal, v. 9, p. 443-454.

Whiteley, R. (1992). A Empresa Totalmente Voltada para o Cliente. Rio de Janeiro: Campus.

Yacquel, N.; & Fleischer, A. (2012). The Role of Cybermediaries in Reputation Building and Price Premiums in the Online Hotel Market. Journal of Travel Research, v. 51, n. 2, p. 219-226.

Zeithaml, V. A.; & Bitner, M. J. (2000). Services Marketing: integrating customer across the firm. New York: McGraw-Hill. Jan.

Zeithaml, V. A.; & Bitner, M. J. (2003). Marketing de Serviços: a empresa com foco no cliente. Porto Alegre: Bookman.

Zhang, J.; & Marcussen, C. (2007). Tourist motivation, market segmentation and marketing strategies, 5th Bi-Annual Symposium of the International Society of Culture, Tourism, and Hospitality Research, Charleston, South Carolina, USA, pp. 1-27.