Organização do Quadro Social (OQS): uma inovação institucional na gestão social de Cooperativas Outros Idiomas

ID:
1028
Resumo:
A OQS como estratégia para a gestão democrática de uma cooperativa é um processo sistemático de comunicação e integração. Este artigo objetiva identificar os limites da prática e o papel do programa de Organização do Quadro Social (OQS) na criação de um ambiente institucional favorável à participação social. A pesquisa realizada foi de caráter exploratório descritivo, sendo utilizado um estudo de caso na Cooperativa Agropecuária de Campos Altos, Minas Gerais. Entrevistas, dados secundários e observação participante foram utilizados para se chegar aos resultados, os quais indicam que a percepção dos cooperados em relação ao exercício do poder (centralizado) é um fator que inibe a participação, gerando desmotivação. O acesso restrito às informações por parte dos cooperados foi uma barreira a OQS, assim como a falta de identificação e apropriação das propostas cooperativistas. Concluiu-se que a mudança institucional promovida pela OQS gera uma transformação nas correlações de forças antes identificadas, mas, por sua vez, demanda o envolvimento de todos os cooperados e de profissionais qualificados para lidar com a complexa gestão de uma organização cooperativa.
Citação ABNT:
FREITAS, A. F.; FREITAS, A. F.; SAMPAIO, D. O.; MÁXIMO, M. S. Organização do Quadro Social (OQS): uma inovação institucional na gestão social de Cooperativas. Administração Pública e Gestão Social, v. 2, n. 1, p. 45-66, 2010.
Citação APA:
Freitas, A. F., Freitas, A. F., Sampaio, D. O., & Máximo, M. S. (2010). Organização do Quadro Social (OQS): uma inovação institucional na gestão social de Cooperativas. Administração Pública e Gestão Social, 2(1), 45-66.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/1028/organizacao-do-quadro-social--oqs---uma-inovacao-institucional-na-gestao-social-de-cooperativas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRANTES, José. Associativismo e cooperativismo: como a união de pequenos empreendedores pode gerar emprego e renda no Brasil. Rio de Janeiro: Interciência, 2004.

ANTONIALLI, Luiz M. Influência da mudança nas estratégias de uma cooperativa agropecuária. Revista de Administração Contemporânea, v.4, n.1, Jan./Abr., p.135-159. 2000.

BERVIAN, Pedro Alcino; CERVO, Amado Luiz. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CRÚZIO, Helnon de Oliveira. Como organizar e administrar uma cooperativa. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

FLEURY, M.T.L. Cooperativas agrícolas e o capitalismo no Brasil. São Paulo: Global, 1983.

GIL, Antônio C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

MAXIMIANO, Antônio C. Teoria Geral da Administração. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

NUNES, P. Conceito de gestor e de gestão. Disponível em: . Acesso em: 25 de nov. de 2008.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Manual de gestão das cooperativas: uma abordagem prática. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

PINHO, Diva Benevides. Economia e Cooperativismo. São Paulo: Saraiva, 1997.

VALADARES, J.H. Participação e poder: o comitê educativo na cooperativa agropecuária. Lavras: UFLA, 1995. 86 p. Dissertação (Mestrado em Administração Rural).

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

WAACK, Roberto S; FILHO, Cláudio P. M. Administração estratégia em cooperativas agroindustriais. In: WORKSHOP BRASILEIRO DE GESTÃO DE SISTEMAS AGROALIMENTARES. 2., 1999, Ribeirão Preto. Anais... Ribeirão Preto: USP-FEA, 1999.

YIN, R. K. Case study research: design and methods. London: Sage, 1988.

ZILBERSZTAJN, Décio. Quatro estratégias fundamentais para cooperativas agrícolas. In Série de Working Papers, n. 2/17. FEA USP. 2002.