Impacto da estrutura de propriedade e do nível de governança corporativa no ajuste parcial de preços em um IPO Outros Idiomas

ID:
10422
Resumo:
A fixação de preço de uma abertura de capital (IPO) reflete a qualidade da empresa emissora e das condições de mercado no momento da emissão. Desta forma, a estratégia organizacional, em especial a estrutura de propriedade e a governança corporativa, pode influenciar o preço da emissão de ações em um IPO. O ajuste parcial de preços (APP) é afetado por variáveis associadas ao desempenho recente do mercado, às características da emissão e da firma emissora. Este trabalho busca identificar e quantificar o impacto da estrutura de propriedade e da governança corporativa sobre o ajuste parcial de preços. Os dados foram coletados de IPOs realizados por empresas não financeiras no Brasil, no período de 2004 a 2007. Foi possível constatar que todas as variáveis relacionadas ao ambiente de mercado foram estatisticamente relevantes e que o único aspecto relacionado à estrutura de propriedade que afeta o APP é o percentual de ações preferenciais emitidas. O sinal do coeficiente associado à concentração do controle pós-IPO é consistente com a literatura sobre o assunto, mas não é significante
do ponto de vista estatístico. Os aspectos de governança corporativa que afetam o APP são o fato da empresa pertencer ao Novo Mercado e se a mesma  pessoa ocupa a posição de CEO e presidente do conselho de administração.
Citação ABNT:
HOFFMANN, R.; BORTOLUZZO, A. B.; MACHADO, S. J. Impacto da estrutura de propriedade e do nível de governança corporativa no ajuste parcial de preços em um IPO. Revista de Economia e Administração, v. 12, n. 1, p. 56-74, 2013.
Citação APA:
Hoffmann, R., Bortoluzzo, A. B., & Machado, S. J. (2013). Impacto da estrutura de propriedade e do nível de governança corporativa no ajuste parcial de preços em um IPO. Revista de Economia e Administração, 12(1), 56-74.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/10422/impacto-da-estrutura-de-propriedade-e-do-nivel-de-governanca-corporativa-no-ajuste-parcial-de-precos-em-um-ipo/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGGARWAL, R.; BHAGAT, S.; RANGAN, S. The impact of fundamentals on IPO valuation. Financial Management, v. 38, n. 2, p. 253-284, Summer 2009. http://dx.doi.org/10.1111/j.1755-053X.2009.01035.x.

ALLEN, F.; GALE, D. Comparing financial systems. Cambridge: MIT Press, 2000. 520p.

ASTRACHAN, J. H.; MCCONAUGHY, D. L. Venture capitalists and close held IPOs: lessons for family-controlled firms. Family Business Review, v. 14, n. 4, p. 295-312, Dec. 2001.

BEATTY, R. P.; ZAJAC, E. J. Managerial incentives, monitoring, and risk bearing: a study of executive compensation, ownership, and board structure in initial public offerings. Administrative Science Quarterly, v. 39, n. 2, p. 313-335, Jun. 1994. http://dx.doi.org/10.2307/2393238.

BENVENISTE, L. M.; SPINDT, P. A. How investments bankers determine the offer price and allocation of new issues. Journal of Financial Economics, v. 24, n. 2, p. 343-362, Sep. 1989. http://dx.doi.org/10.1016/0304-405X(89)90051-2.

BOUIS, R. The short-term timing of initial public offerings. Journal of Corporate Finance, v. 15, n. 5, p. 587-601, Dec. 2009. http://dx.doi.org/10.1016/j.jcorpfin.2009.07.002.

BOULTON, T. J.; SMART, S. B.; ZUTTER, C. J. IPO Underpricing and International corporate governance. Journal of International Business Studies, v. 41, p. 206-222, 2010. http://dx.doi.org/10.1057/jibs.2009.38.

CASSOTI, F. P.; MOTTA, L. F. J. Oferta pública inicial no Brasil (2004-2006): uma abordagem da avaliação através de múltiplos e do custo de capital próprio. Revista Brasileira de Finanças, v. 6, n. 2, p. 157-204, jun. 2008.

COLES, J. W.; MCWILLIAM, V. B.; SEN, N. An examination of the relationship of governance mechanisms to performance. Journal of Management, v. 27, n. 1, p. 23-50, Jan. 2001. http://dx.doi.org/10.1177/014920630102700102.

CORE, J. E.; HOLTHAUSEN, R. W.; LARCKER, D. F. Corporate governance, chief executive officer compensation and firm performance. Journal of Financial Economics, v. 51, n. 3, p. 371-406, Mar. 1999. http://dx.doi.org/10.1016/S0304-405X(98)00058-0.

CORNELLI, F.; GOLDREICH, D. Bookbuilding: how informative is the order book? The Journal of Finance, v. 58, n. 4, p. 1415-1443, Aug. 2003. http://dx.doi.org/10.1111/1540-6261.00572.

CRYSTAL, G. In search of excess: the overcompensation of American executives. New York: W.W. Norton and Company, 1991. 272p.

DALTON, D.; DAILY, C. The board and financial performance: bigger is better. NACD Director’s Monthly, p. 1-5, Aug. 2000.

DIMOVSKI, W.; BROOKS, R. The ricing of property trust IPOs in Australia. Journal of Real Estate Finance and Economics, v. 32, n. 2, p. 185–199, 2006. http://dx.doi.org/10.1007/s11146-006-6014-5.

DING, H. B.; PUKTHUANTHONG-LE, K. Family firm IPO performance and market signals. Journal of Enterprising Culture, v. 17, n. 1, p. 55-77, Mar. 2009. http://dx.doi.org/10.1142/S0218495809000266.

EDELEN, R.; KADLEC, G. Issuer surplus and the partial adjustment of IPO prices to public information. Journal of Financial Economics, v. 77, n. 2, p. 347-373, 2005. http://dx.doi.org/10.1016/j.jfineco.2004.05.009.

JENKINS, T.; LJUNGQVIST, A. Going Public: The Theory and Evidence on How Companies Raise Equity Finance. Oxford University Press, 2001, 241p.

LA PORTA, R.; SHLEIFER, A.; LOPEZ-DE-SILANES, F. Corporate ownwership around the world. Journal of Finance, v. 54, n. 2, p. 471-517, 1999. http://dx.doi.org/10.1111/0022-1082.00115.

LEAL, R. P. C. Por que há retornos anormais nas aberturas de capital? Revista de Administração da USP, v. 26, n. 4, p. 107-112, out./dez. 1991.

LOUGHRAN, T.; RITTER, J. R. Why don´t issuers get upset about leaving money on the table in IPOs? The Review of Financial Studies, v. 15, n. 2, p. 413-443, Mar. 2002. http://dx.doi.org/10.1093/rfs/15.2.413.

MENDES, E. A.; BASSO, L. F. C.; KAYO, E. K. Estrutura de capital e janelas de oportunidade: testes no mercado brasileiro, Revista de Administração Mackenzie, v. 10, n. 6, p. 78-100, nov./dez. 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S1678-69712009000600006.

PORTER, M. Capital disadvantage: america’s falling capital investment system. Harvard Business Review, v. 70, n. 5, p. 65-82, Sep./Oct. 1992.

SAITO, R.; PEREIRA, J. A. C. Bookbuilding e alocação estratégica: evidência do mercado brasileiro de ações, Revista Brasileira de Finanças, v. 4, n. 1, p. 31-51, jun. 2006.

SHLEIFER, A.; VISHNY, R. A survey of corporate governance. Journal of Finance, v. 52, n. 2, p. 737-783, Jun. 1997. http://dx.doi.org/10.1111/j.1540-6261.1997.tb04820.x.

YEH, Y. H.; SHU, P. G.; GUO, R. J. Ownership structure and IPO valuation-evidence from Taiwan. Financial Management, v. 37, n. 1, p. 141-161, Mar. 2008. http://dx.doi.org/10.1111/j.1540-6261.1997.tb04820.x.

ZHENG, S. X.; STANGELAND, D. A. IPO underpricing, irm quality, and analyst forecasts. Financial Management, v. 36, n. 2, p. 45-64, 2007. http://dx.doi.org/10.1111/j.1755-053X.2007.tb00086.x.

ZIERTH, H. G. O underpricing das ofertas públicas iniciais de ações como conseqüência do ajuste parcial às informações públicas e privadas: uma análise empírica. São Paulo, 2008 (Dissertação de Mestrado em Economia) - Insper Instituto de Ensino e Pesquisa, Insper-SP.