Um estudo sobre práticas de remuneração estratégica nas maiores empresas de Santa Catarina Outros Idiomas

ID:
10526
Periódico:
Resumo:
O objetivo deste trabalho foi identificar as práticas de remuneração estratégica nas maiores empresas de Santa Catarina. O delineamento metodológico é descritivo, conduzido através do instrumento de levantamento e amostragem por acessibilidade. Os resultados sugerem forte presença da remuneração funcional e da estratégica. A principal base de aplicação da remuneração estratégica são os resultados, seguida dos lucros e medidas de desempenho. Verifica-se também que a maioria das empresas utiliza o resultado como base, entretanto, nem todas incluem o lucro no cálculo. A metodologia de um sistema único é o mais  representativo entre as empresas que utilizam a remuneração estratégica. A pesquisa mostra que esse sistema é mais aplicado no nível de gerência, seguido pela área operacional e pela alta direção. Como futuras pesquisas, sugere-se replicar este estudo em outra população; realizar outros estudo de caso; e pesquisar o entendimento, a satisfação e o envolvimento dos empregados nos programas de remuneração estratégica.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
MARQUART, A.; LUNKES, R. J.; ROSA, F. S. Um estudo sobre práticas de remuneração estratégica nas maiores empresas de Santa Catarina. Gestão e Sociedade, v. 6, n. 13, p. 4-25, 2012.
Citação APA:
Marquart, A., Lunkes, R. J., & Rosa, F. S. (2012). Um estudo sobre práticas de remuneração estratégica nas maiores empresas de Santa Catarina. Gestão e Sociedade, 6(13), 4-25.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/10526/um-estudo-sobre-praticas-de-remuneracao-estrategica-nas-maiores-empresas-de-santa-catarina/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, K.; NUNES, A.; ALVES, T.; MONTEIRO, R. A remuneração baseada no desempenho e seus Impactos no negócio: um estudo de caso. In: X SEMEAD, 10., 2007, São Paulo. Seminários em Administração FEA–USP, 2007.

BEUREN, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

BRASIL. Lei nº 10.101 de 19 de dezembro de 2000. Dispõe sobre a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados da empresa e dá outras providências. Casa Civil da Presidência da República. Subchefia para assuntos jurídicos. Brasília, 2000. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2012.

CARVALHO, A. V.; NASCIMENTO, L.P. Gestão estratégica de pessoas: sistema, remuneração e planejamento. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2006.

CHIAVENATO, I. Recursos humanos: o capital humano das organizações. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

COSTA, S.A. A prática das novas relações trabalhistas, por uma empresa moderna. São Paulo: Atlas, 1997.

FAQUIM, L. A necessidade de tornar-se competitiva e obter melhor performance em seus resultados tem feito as empresas mudarem suas formas de remunerar os funcionários. Revista RH em si, v.4, n. 20, p. 25-27, jan/fev. 1999. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2012.

FLEURY, M. T.; LACOMBE, B. A. Gestão por competências e a gestão de pessoas: um balanço preliminar de resultados de pesquisa no contexto brasileiro. In: Iberoamerican Academy of Management, São Paulo, 2003.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, A. C. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2007.

LAWLER III, E. E. Pay strategy: new thinking for the new millennium. Saranac Lake, v. 32, n. 1. jan/feb. 2000.

MARRAS, J. P. Administração da remuneração: remuneração tradicional e estratégica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

MILKOVICH, G. T.; NEWMAN, J. M. Compensation. 2. ed. Texas: Business Publications, 1987.

NUNES, A. L.; SOUZA NETO, S. P. A Avaliação de desempenho baseada nos pilares da remuneração por competências: um estudo de caso. Sociedade, Contabilidade e Gestão, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 97-111, jan./jun. 2008.

OLIVEIRA, L. M. B. Estratégias e práticas de remuneração utilizadas pelas empresas brasileiras. Organização e Sociedade, v. 8, n. 21, mai./ago. 2001.

O`TOOLE, J.; LAWLER III, E. E. The new american workplace. New York: Palgrave, 2006.

PASCHOAL L. Como gerenciar a remuneração na sua empresa. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2006.

RESENDE, E. Remuneração e carreira baseadas em competências e habilidades. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.

RIBEIRO, A. Gestão de pessoas. São Paulo: Saraiva, 2006.

SILVA, L. V.; LUZ, T. R. Gestão por competências: um estudo dos impactos gerados na avaliação de desempenho e remuneração. Revista Gestão e Sociedade, Belo Horizonte, v. 4, n. 8, p. 539561, mai. /ago. 2010.

SILVA, M. O. Gestão de pessoas através do sistema de competências: estratégias, processos, desempenho e remuneração. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2005.

WEBER, C. L.; RAYNE, S. L. Effects of compensation strategy on job pay decision. Academy of Management Journal, Briarcliff Manor, v. 34, n. 1, p. 86-109, 1991.

WERNER, S.; TOSI, H.; GOMEZ-MEJIA, L. Organizational governance and employee pay: how ownership structure affects the firm's compensation strategy. Strategic Management Journal, Malden ,v. 26, n. 4, p. 377-384, 2005.

WERNER, S.; TOSI, H. Other peple`s money: the effects of ownership on compensation strategy and managerial pay. Academy of Management Journal, Briarcliff Manor, v. 38, n. 6, p. 16721691, 1995.

WOOD JR., T.; PICARELLI FILHO, V. Remuneração e carreira por habilidades e por competências: preparando a organização para a era das empresas de conhecimento intensivo. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2004a.

WOOD JR., T.; PICARELLI FILHO, V. Remuneração estratégica: a nova vantagem competitiva. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2004b.

XAVIER, P. R.; SILVA, M. O.; NAKAHARA, J. M. Remuneração variável: quando os resultados falam mais alto. São Paulo: Makron Books, 1999.