A gaiola de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais Outros Idiomas

ID:
10985
Resumo:
O que torna as organizações tão similares? Afirmamos que o mecanismo da racionalização e da burocratização se deslocou do mercado competitivo para o Estado e para as categorias profissionais. Uma vez que um grupo de organizações emerge como um campo, surge um paradoxo: atores racionais tornam suas organizações cada vez mais similares, à medida que tentam transformá-las. Descrevemos três processos de isomorfismo - coercitivo, mimético e normativo - que conduzem a esse resultado. Depois definimos hipóteses sobre o impacto da centralização e da dependência de recursos, da ambigüidade de metas e da incerteza técnica, e da profissionalização e estruturação em mudanças isomórficas. Por fim, sugerimos implicações para a teoria das organizações e para a mudança social.
Citação ABNT:
DIMAGGIO, P.; POWELL, W. A gaiola de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 2, p. 74-89, 2005.
Citação APA:
Dimaggio, P., & Powell, W. (2005). A gaiola de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais. Revista de Administração de Empresas, 45(2), 74-89.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/10985/a-gaiola-de-ferro-revisitada--isomorfismo-institucional-e-racionalidade-coletiva-nos-campos-organizacionais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português