“Corpo e Alma” nas organizações: um estudo sobre dominação e construção social dos corpos na organização militar Outros Idiomas

ID:
1111
Resumo:
Este trabalho tem por objetivo discutir como ocorre o processo de construção social do sujeito militar e os mecanismos de controle subjacentes a essa socialização. Resultado de uma pesquisa de mestrado, a análise aborda o corpo como elemento central desse processo, devido ao seu caráter performático na atividade militar. Nesse sentido, autores como Pierre Bourdieu e sua articulação campo-habitus como elemento de reprodução do social, em conjunto com as reflexões de Michel Foucault sobre o poder disciplinar e as tecnologias de docilização dos corpos, nos ajudam a compreender como se processam esses corpos, a partir de uma tecnologização inerente à socialização militar. A metodologia utilizada foi o estudo de caso com a observação não-participante, entrevistas em profundidade e análise documental e de conteúdo. Com base nos resultados, concluímos que há uma variação nas formas de dominação, no sentido de privilegiar técnicas que vão desde uma pedagogia corporal para os soldados, até uma pedagogia moral para os oficiais, como principais instrumentos que visam, sobretudo, a uma espécie de dominação total do sujeito, ou seja, possuí-lo de corpo e alma na organização militar.
Citação ABNT:
ROSA, A. R.; BRITO, M. J. “Corpo e Alma” nas organizações: um estudo sobre dominação e construção social dos corpos na organização militar. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 2, art. 1, p. 194-211, 2010.
Citação APA:
Rosa, A. R., & Brito, M. J. (2010). “Corpo e Alma” nas organizações: um estudo sobre dominação e construção social dos corpos na organização militar. Revista de Administração Contemporânea, 14(2), 194-211.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/1111/---corpo-e-alma----nas-organizacoes--um-estudo-sobre-dominacao-e-construcao-social-dos-corpos-na-organizacao-militar/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Berger, P., & Luckmann, T. (1996). A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes.

Bonnewitz, P. (2003). Primeiras lições sobre a sociologia de Bourdieu. Petrópolis: Vozes.

Bourdieu, P. (1983). Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Zero.

Bourdieu, P. (1989). O poder simbólico. Lisboa: Difel.

Bourdieu, P. (1995). Distinction. Cambridge: Cambridge University Press.

Bourdieu, P. (1996a). A economia das trocas lingüísticas. São Paulo: Edusp.

Bourdieu, P. (1996b). As regras da arte. São Paulo: Companhia das Letras.

Bourdieu, P. (1999). A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Bourdieu, P. (2004). Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense.

Bourdieu, P. (2005). Esboço de auto-análise. São Paulo: Companhia das Letras.

Bourdieu, P., & Passeron, J. C. (1982). A reprodução. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

Brito, M. J., & Pereira, V. (1996). Socialização organizacional: a iniciação na cultura militar. Revista de Administração Pública, 30 (4), 138-165.

Castro, C. (1990). O espírito militar: um estudo de antropol ogia social na Academia Militar das Agulhas Negras. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

DaMatta, R. (1996). Carnavais, malandros e heróis. São Paulo: Cortês.

Decreto n.º 4.346, de 26 de agosto de 2002 (2002, agosto 27). Aprova o regulamento disciplinar do exército (R-4) e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Foucault, M. (1987). Vigiar e punir: nascimento da prisão (5a ed.). Petrópolis: Vozes.

Goffman, E. (1971). As características de instituições totais. In A. Etzioni (Org.), Organizações complexas. São Paulo: Atlas.

Lei n.º 6.880, de 09 de dezembro de 1980 (1980, dezembro 11). Dispõe sobre o estatuto dos militares (E-1). Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Leirner, P. (1997). Meia-volta, volver: um estudo antropológico sobre a hierarquia militar. Rio de Janeiro: FGV.

Maanen, J. van (1989). Processando pessoas: estratégi as de socialização organizacional. In M. Fleury & R. Fischer (Orgs.), Poder e cultura nas organizações (Parte I). São Paulo: Atlas.

Morgan, G. (1996). Imagens da organização. São Paulo: Atlas.

Wacquant, L. (2002). Corpo e alma: notas etnográficas de um aprendiz de boxe. Rio de Janeiro: Relumé-Dumará.

Wacquant, L. (2005). Habitus. In J. Beckert & M. Zafirovski (Eds.). International encyclopedia of economic sociology. London: Routledge.

Weber, M. (2002). Ensaios de sociologia (5a ed.). Rio de Janeiro: LTC