Por que ocorre? Como lidar? A percepção de professores de graduação em Administração sobre o assédio moral Outros Idiomas

ID:
11224
Resumo:
Tem-se observado em muitas pesquisas que o assédio moral do aluno para com o professor tem sido incrementado com o processo de mercantilização do ensino superior. Tal processo insere-se num cenário de desvalorização da figura do professor e de exaltação da concepção do aluno-cliente. Nesse sentido, abre-se espaço para práticas de assédio moral na relação aluno-professor. O propósito neste artigo é compreender por que acontece o assédio moral no vetor aluno-professor e o que pode ser feito para que esse comportamento seja evitado. Para cumprir o objetivo da investigação, foram coletados e analisados, pelo método do discurso do sujeito coletivo (DSC) de caráter qualiquantitativo, os depoimentos provenientes de 51 questionários respondidos por professores universitários. A análise das respostas dos professores universitários às questões de pesquisa oferece uma percepção do por quê da ocorrência do assédio moral aluno-professor na visão dos pesquisados, os quais identificam motivos que vão desde valores sociais não apreendidos até a mercantilização do ensino. A partir das respostas, verificam-se possibilidades de ação que apontam prioritariamente a discussão institucional como meio de suporte à vítima e como alicerce para ações preventivas, dentre outras atitudes individuais que influenciam positivamente esse tipo de assédio, e mesmo a disputa judicial como última instância para a solução do problema.
Citação ABNT:
PAIXÃO, R. B.; MELO, D. R. A.; SILVA, J. C. S.; CERQUINHO, K. G. Por que ocorre? Como lidar? A percepção de professores de graduação em Administração sobre o assédio moral. RAUSP Management Journal, v. 48, n. 3, p. 516-529, 2013.
Citação APA:
Paixão, R. B., Melo, D. R. A., Silva, J. C. S., & Cerquinho, K. G. (2013). Por que ocorre? Como lidar? A percepção de professores de graduação em Administração sobre o assédio moral. RAUSP Management Journal, 48(3), 516-529.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/11224/por-que-ocorre--como-lidar--a-percepcao-de-professores-de-graduacao-em-administracao-sobre-o-assedio-moral/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALKIMIN, M.A. Assédio moral na relação de emprego. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2006.

ALMEIDA, D.R.; LAGEMANN, L.; ARAÚJO, S.V. Assédio moral na percepção de professores de cursos de Administração: um estudo exploratório. In: ENCONTRO DE GESTÃO DE PESSOAS E RELAÇÕES DE TRABALHO, 1., 2007, Natal. Anais...Rio Grande do Norte: Anpad, 2007.

BARTLETT, L.; FREDERICK, M.; GULBRANDSEN, T.; MURILLO, E. The marketization of education: public schools for private ends. Anthropology & Education Quarterly, Philadelphia, v. 33, n. 1, p. 5-29, Mar. 2002.

BRASIL. Tribunal Superior do Trabalho. TST reduz valor de condenação por dano moral. Brasília, 08 jul. 2005. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2011.

BUENDÍA, M. Radiografía del mobbing en el centro de studios. Boletín de notícias sobre acoso psicológico, nov. 2003. Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2008.

CARAN, V. C.S. Riscos psicossociais e o assédio moral no contexto acadêmico. 2007. 188f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem Fundamental) – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, 2007.

CARRION, V. Comentários à Consolidação das Leis do Trabalho. 29.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

CASSAR, V. B. Direito do trabalho. 4.ed. Niterói: Impetus, 2010.

CAVALIERI FILHO, S. Programa de responsabilidade civil. 5.ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

FARRINGTON, D.P. Understanding and preventing bullying. Crime and Justice, Chicago, v. 17, n. 3, p. 381-458, Ja. /June. 1993.

FIUZA, C. Direito civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2004.

FREITAS, M.E. Assédio sexual: a proposta perversa. RAE Light, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 4-9, jul./set. 1996.

FREITAS, M.E. Existe uma saúde moral nas organizações? O&S, Salvador, v. 12, n. 32, p. 13-27, ja.-mar. 2005.

FREITAS, M.E. Quem paga a conta do assédio moral? RAE-Eletrônica, São Paulo, v. 6, n. 1, ja./ju. 2007.

GALLINDO, L.P. Assédio moral nas instituições de ensino. Jus Navigandi, Teresina, ano 14, . 2070, 2 mar. 2009. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2011.

HIRIGOYEN, M.F. Assédio moral: a violência perversa no cotidiano. 5.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

HIRIGOYEN, M.F. Mal-estar no trabalho: redefinindo o assédio moral. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

JODELETE, D. Répresentations sociales: un domaine en expansio. In: JODELETE, D. (Org.). Répresentations sociales. Paris: PUF, 1989. p. 31-61.

LAZZAROTTO, E.M.; SOUZA, A.A.L.; ALVES, S.M.; ROECKER, S.; BARATIERI, T.; MACHADO, L.F. Assédio moral nas relações de trabalho. Ciências Sociais em Perspectiva, Cascavel, v. 5, n. 9, p. 121-135, jul./dez. 2006.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE A.M. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa – desdobramentos. Caxias do Sul: Educs, 2003.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE A.M. O sujeito coletivo que fala. Revista Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 10, n. 20, p. 517-524, jul./dez. 2006.

LEYMANN, H. Content and development of moral harassment at work (mobbing). European Journal of Work and Organizational Phychology, London, v. 5, n. 2, p. 165-184, Ja. 1996.

MELLOR, A. Helping victims. In: ELLIOTT, Michele (Ed.). Bullying: a practical guide to coping for schools. Harlow: Longman, 1991.

MORAES, A. Direito constitucional. 24.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MUNTHE, E. Bullying in Scandinavia. In: ROLAND, Erling; MUNTHE, Elaine (Ed.). Bullying: an international perspective. London: DavidFulton, 1989.

O’MOORE, A.M. What do teachers need to know. In: ELLIOTT, Michele (Ed.). Bullying: a practical guide to coping for schools. Harlow: Longman, 1991.

OLWEUS, D. Aggression in the schools. Washington, D.C.: Hemisphere, 1978.

PAIXÃO, R.B.; SANTOS, L.C.; MARTINS FILHO, L.. Comportamentos negativos no contexto acadêmico: uma análise da relação professor-aluno. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 33., 2009. São Paulo. Anais...São Paulo: Anpad, 2009.

REZENDE, L.O. A deteriorização das relações de poder dentro do organismo empresarial: uma análise do assédio moral no contrato de trabalho. 2006. 177f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil, 2006.

SAHIN, M. Teachers perceptions of bullying in high schools: a Turkish study. Social Behavior and Personality, New Zealand, v. 38, n. 1, p. 127-142, Ja. 2010.

SENNETT, R. A corrosão do caráter as consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. 14.ed. Rio de Janeiro: Record, 2009. 204p.

SOUZA-SILVA, J.C.; DAVEL, E. Concepções, práticas e desafios na formação do professor: examinando o caso do ensino superior de Administração no Brasil. Organizações e Sociedade, Salvador, v. 12, n. 35, p. 113-134, out./dez. 2005.

TEIXEIRA, J.J.V. ; LEFÈVRE, F. Significado da intervenção médica e da fé religiosa para o paciente idoso com câncer. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, n. 4, p. 1247-1256, jul./ago. 2008.

VEGA, G.; COMER, D.R. Sticks and stones may break your bones, but words can break your spirit: bullying in the work place. Journal of Business Ethics, New York, v. 58, n. 1/3, p. 101-109, Apr./May. 2005.