Abordagens da administração pública e sua relação com o desenvolvimento em um contexto regional: o caso do Meio Oeste Catarinense Outros Idiomas

ID:
1229
Periódico:
Resumo:
Considerando a esfera local como espaço privilegiado para a promoção do desenvolvimento regional, definiu-se, neste estudo, como objetivo central, a descrição e a análise da percepção dos gestores públicos municipais de uma das regiõesdo estado de Santa Catarina (Brasil) sobre as práticas da administração pública e sua relação com três formas de abordagem: a administração pública patrimonialista, a burocrática e a nova administração pública. Quanto aos procedimentos metodológicos, optou-se por uma pesquisa qualitativa do tipo descritiva, com múltiplos métodos de coleta de dados, sobretudo a entrevista semiestruturada e a observação. As entrevistas foram transcritas e analisadas efetuandose a relação dos dados obtidos com aqueles apreendidos do estudo da literatura acerca de  três abordagens de administração pública. Constatou-se que as crenças e preferências dos entrevistados, gestores do Meio-Oeste Catarinense, recaíram majoritariamente sobre a abordagem burocrática nas suas características: especialização do serviço, eficiência, foco nos controles, legalismo, disciplina e impessoalidade. Contudo, essa abordagem não  apareceu na sua forma pura, apresentando-se combinada com resquícios de práticas  patrimonialistas e algumas nuances dos pressupostos da nova administração pública. Concluiu-se que a visão atual acerca de administração pública reflete a tentativa dos gestores municipais de atender a uma cobrança do meio social por maior controle dos gastos públicos, resultando na sua adesão mais contumaz à abordagem burocrática. Daí decorre a reflexão de que, na condição de mais bem capacitado para realizar e defender suas escolhas quanto ao estilo de desenvolvimento que quer para seu território, o cidadão exercerá pressão positiva sobre a ação dos gestores públicos.
Citação ABNT:
FILIPPIM, E. S.; ROSSETTO, A. M.; ROSSETTO, C. R. Abordagens da administração pública e sua relação com o desenvolvimento em um contexto regional: o caso do Meio Oeste Catarinense. Cadernos EBAPE.BR, v. 8, n. 4, art. 10, p. 734-752, 2010.
Citação APA:
Filippim, E. S., Rossetto, A. M., & Rossetto, C. R. (2010). Abordagens da administração pública e sua relação com o desenvolvimento em um contexto regional: o caso do Meio Oeste Catarinense. Cadernos EBAPE.BR, 8(4), 734-752.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/1229/abordagens-da-administracao-publica-e-sua-relacao-com-o-desenvolvimento-em-um-contexto-regional--o-caso-do-meio-oeste-catarinense/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRUCIO, F. L. O impacto do modelo gerencial na administração pública: um breve estudo sobre a experiência internacional recente. Cadernos da ENAP, Brasília: NAP, 1997.

ABRUCIO, F. L.; SOARES, M. M. Redes federativas no Brasil: cooperação intermunicipal no grande ABC. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, 2001.

AMIN, A. An institutionalist perpective on regional economicdevelopment. London, Department of Geography, UCL. 1998. Disponível em: . Acesso em: 15 set.2004. 1998.

BANDEIRA, P. S. As Mesorregiões no contexto da nova política federal de desenvolvimento regional: considerações sobre aspectos institucionais e organizacionais. Rio de Janeiro: UFRGS/CEDEPLAR, 2004.

BATISTA NETO, J. História da Baixa Idade Média. São Paulo: Ática, 1989.

BENKO, G.; LIPIETZ, A. As Regiões Ganhadoras: distritos e redes, os novos paradigmas da geografia econômica. Oeiras: Celta Editora, 1994.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O modelo estrutural de governança pública. São Paulo, EAES/FGV, 2007. (PDF).

BRESSER-PEREIRA, L. C. Reforma do estado para a cidadania: a reforma gerencial brasileira na perspectiva internacional. São Paulo: Editora 34, 1998.

CAMARGO, A. B. A. Atualidade do federalismo: tendências internacionais e a experiência brasileira. In: VEGARA, S. C.; CORRÊA, V. L. A. (Org). Propostas para uma gestão pública municipal efetiva. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

COELHO, V. S. P; FAVARETO, A. Dilemas da participação e desenvolvimento territorial. In: DAGNINO, E.; TATAGIBA, L. (Orgs.) Democracia, sociedade civil e participação. Chapecó: Argos, 2007.

COMTE, A. Curso de filosofia positiva. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

DALLABRIDA, R.; ZIMERMANN, V. J. Descentralização na gestão pública e estruturas subnacionais de gestão do desenvolvimento: o papel dos consórcios intermunicipais. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 5, n. 3, p. 3-28, set./dez. 2009.

DE MARCO, B. Os oestinos: quem são e como vivem os habitantes do Oeste catarinense. Joaçaba: UNOESC, 2004.

FERLIE, E. et al. A nova administração pública em ação. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.

FILIPPIM, E. S. et al. A trajetória da triticultura na região de Joaçaba. Joaçaba: UNOESC, 1994. (Mimeo).

FILIPPIM, E. S; TESSER, D. P. Estudo da cadeia de aves. Joaçaba: UNOESC, 2001. (Mimeo).

GUERREIRO RAMOS, A. Administração e estratégia do desenvolvimento: elementos de uma sociologia especial da administração. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1966.

HARVEY, D. The Condition of Postmodernity. An enquiry into the origins of cultural change. Cambridge, Mass: Basil Blackwell, 1989.

HERZLICH, C. Réussir sa thèse en sciences sociales. Paris: Nathan. 2002.

HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MARTINS, H. F. Uma análise dos paradigmas de administração pública à luz do contexto do estado social. Disponível em: Acesso em: 19 mar.2004.

MARTINS, L. Reforma da Administração Pública e cultura política no Brasil: uma visão geral. Cadernos ENAP, Brasília, n. 8, 1997.

MARTINS, R. D.; CALDAS, E de L. Uma análise comparada de experiências de desenvolvimento econômico local no Brasil. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v .5, n. 3, p. 70-93, set/dez. 2009.

MERTON, R. K. Sociologia: teoria e estrutura. São Paulo: Ed. Mestre Jou, 1968.

MISOCZKY, M. C. Uma defesa da reflexão teórico-crítica na pesquisa e prática da administração pública. In: Encontro de Administração Pública e Governança. Anais... Rio de Janeiro: ENAPG, 2004.

MORGAN, G.; SMIRCICH, L. The case for qualitative research. Academy of management review, v. 5, n. 4, 1980.

PACHECO, R. S. Escolas de governo como centros de excelência em gestão pública: a perspectiva da ENAP – Brasil. Revista do Serviço Público. Brasília: ENAP, v. 53, n. 1, jan./mar. 2002.

PAULA, A. P. P. Administração pública brasileira entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de administração de empresas, São Paulo: FGV, v. 45, n. 1, jan. /mar. 2005.

PÉREZ, M. A. R.; YÁÑEZ, C. J. N.; TERRY, N. C. Local governance : redes de responsividad en un espaciode multigovernance. In: IX Congresso internacional del CLAD sobre la reforma del estado y de la administación pública. Anais... Madrid, 2-5, nov. 2004.

POLLITT, C.; BOUCKAERT, G. Avaliando reformas da gestão pública: uma perspectiva internacional. Revista do Serviço Público. Brasília: ENAP, v. 53, n. 03, jul./set. 2002.

PRADO JÚNIOR. C. Evolução política do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1977.

PRADO JÚNIOR. C. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 1976.

PUTNAM. R. D.; LEONARDI, R.; NANETTI, R. Y.; Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. Tradução: MONJARDIM, L A. 5 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

RAUD, C. O ecodesenvolvimento e o desenvolvimento territorial: problemáticas cruzadas. In: VIEIRA, Paulo Freire et al. (Org.) O ecodesenvolvimento e o desenvolvimento territorial: problemáticas cruzadas. Porto Alegre: Pallotti; Florianópolis: APED, 1998.

SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescimento sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.

SCHERER-WARREN, I. Redes enquanto conceito propositivo dos movimentos sociais. Fundação Eletrônica, 2003. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2007. 3 p. 2003.

SEGES − Secretaria da Gestão Pública. Gestão Pública para um Brasil de todos: um plano de gestão para o governo Lula/Secretaria de Gestão. Brasília: MP, SEGES, 2003. Disponível em: . Acesso em: 04 fev.2004. 2003.

TASSARA, H. Perdigão, uma trajetória para o futuro. São Paulo: Empresa das Artes, 1996.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 1987.

VERGARA, S. C.; CORRÊA, V. L. A. (Org). Propostas para uma gestão pública municipal efetiva. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

WEBER, M. Ensaios de Sociologia. Rio de janeiro: Editora Guanabara, 1982.

WEBER, M. Os três tipos puros de dominação legítima. In: Sociologia. COHN, G. (Org.) São Paulo: Ática, 1991.