Dimensões críticas das políticas públicas Outros Idiomas

ID:
12521
Periódico:
Resumo:
Este artigo elabora reflexão crítica, em forma de ensaio, sobre algumas dimensões negligenciadas ou pouco desenvolvidas nas principais abordagens teóricas das “políticas públicas”. Metodologicamente, questões conceituais são articuladas ao debate público, a começar pela própria revisão do termo “política pública”. Conclui-se que questões como o papel do conflito, de naturezas variadas; dos constrangimentos advindos do modelo de acumulação capitalista e do sistema político (brasileiro, no caso) quanto à efetivação de reformas transformadoras; e do poder de veto da mídia e de outros atores devem ser revalorizados e ressignificados, com vistas a uma interpretação mais profícua do papel das “políticas públicas”. Particularmente, essas dimensões podem contribuir para a compreensão das “políticas públicas” na sociedade brasileira: suas características, funções e impactos.
Citação ABNT:
FONSECA, F.Dimensões críticas das políticas públicas. Cadernos EBAPE.BR, v. 11, n. 3, p. 402-418, 2013.
Citação APA:
Fonseca, F.(2013). Dimensões críticas das políticas públicas. Cadernos EBAPE.BR, 11(3), 402-418.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/12521/dimensoes-criticas-das-politicas-publicas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BOBBIO, N. O futuro da democracia – uma defesa das regras do jogo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

CASTELLS, M. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FAGNANI, E. “As lições do Desenvolvimento Social Recente no Brasil”. Le Monde Diplomatique Brasil, 01 de dezembro de 2011, n. 53. Disponível em: http://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=1060. Acesso em: 05 jun. 2013.

FONSECA, F. O consenso forjado – a grande imprensa e a formação da agenda ultraliberal no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2005.

HALL, P.; SOSKICE, D. (Orgs.). Varieties of capitalism: the institutional foundation of comparative advantage. Oxford University Press: Oxford, 2001.

HARVEY, D. The condition of postmodernity: an enquiry into the origins of cultural change. Cambridge: Blackwell, 1990.

HIRSCHMAN, A. A retórica da intransigência: perversidade, futilidade, ameaça. São Paulo: Cia. das Letras, 1985.

IPEA. A Década Inclusiva (2001-2011): Desigualdade, pobreza e políticas de renda. Comunicados do IPEA, n. 155, Brasília, IPEA, 25 set. 2012. LE MONDE DIPLOMATIQUE BRASIL. Disponível em: www.diplomatique.org.br. Acesso em: 05 jun.2013.

LINDBLOM, C. The science of „muddling through‟. Public Administration Review, v. 19, n. 2, p. 79-88, 1959.

OFFE, C. Problemas estruturais do estado capitalista. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro: 1984.

PORTAL CARTA MAIOR. Disponível em: www.cartamaior.com.br. Acesso em 05 jun.2013.

RIFKIN, J. O fim dos empregos: o declínio inevitável dos níveis dos empregos e a redução da força global de trabalho. São Paulo: Makron Books, 1995.

SENNETT, R. The corrosion of character: the personal consequences of work in the new capitalism. London: W. W. Norton, 1998.