Teoria dos Custos de Transação (TCT): análises bibliométrica e sociométrica nos EnANPAD de 1997 a 2010 Outros Idiomas

ID:
12540
Resumo:
A Teoria dos Custos de Transação – TCT tem como foco nas transações realizadas entre firmas e outros atores localizados na fronteira de suas atividades, que estejam inseridos em uma rede ou não. O objetivo deste trabalho é analisar o desenvolvimento da TCT, bem como a estrutura de relacionamento entre os pesquisadores que trabalharam com a teoria nos Encontros da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - EnANPAD, mais especificamente no período de 1997 a 2010. Em relação aos procedimentos técnicos empregados, pode-se caracterizar esta como pesquisa bibliográfica, documental, bibliométrica e sociométrica. Os dados foram coletados por meio de pesquisa documental com a aplicação do software Copernic Desktop Search (2011) nos mais de 8.000 artigos dos EnANPADs do período analisado. No que diz respeito à pesquisa bibliométrica, observaramse o ano de publicação, o número de autores dos artigos, as instituições às quais aqueles se encontravam vinculados na ocasião da publicação e as abordagens de pesquisa utilizadas nestes artigos. Posteriormente, a identificação dos atores sociais mais relevantes envolvidos com o tema TCT, deu-se por meio de um estudo bibliométrico e sociométrico, que está direcionado à exploração da matriz de relacionamentos estabelecida entre atores sociais, com a utilização do software UCINET® 6. A pesquisa deu-se a partir de uma abordagem classificatória-hierárquica, em que como critério de segregação buscaram-se aqueles autores que publicaram mais de 3 artigos utilizando a TCT. Existem núcleos de pesquisa estruturados em formatos de rede, em que existe a cooperação entre os autores-pesquisadores, tanto na área de ESO quanto em GOL. Os autores que mais publicaram, sozinhos ou em parceria, nos EnANPADs de 1997 a 2010 foram: Décio Zylberstajn; Paulo Antonio Zawislak; Maria Teresa Franco Ribeiro e Alessandro Porporatti Arbage, na área de ESO. O autor Luiz Carlos Di Serio é o que mais contribuiu na área GOL sobre o assunto TCT. Em termos sociométricos, a análise das redes indicou autores com vários laços de co-autoria, porém, poucos artigos produzidos; e por outro lado, autores com poucos laços e maior produção de artigos. Constatou-se, também a falta de laços entre as redes dos autores maisprolíficos e entre os autores de modo geral. Espera-se que haja maior preocupação dos acadêmicos para aumentar seus laços, a fim de obter uma maior abrangência entre os autores que se debruçam sobre os variados temas de pesquisa. Há, também a constatação de potencial de desenvolvimento de trabalhos com foco na TCT em todas as áreas dos EnANPADs.
Citação ABNT:
ARRUDA, A. G.; BENEVIDES, G.; FARINA, M. C.; FARIA, A. C. Teoria dos Custos de Transação (TCT): análises bibliométrica e sociométrica nos EnANPAD de 1997 a 2010. Revista de Administração da Unimep, v. 11, n. 2, p. 175-194, 2013.
Citação APA:
Arruda, A. G., Benevides, G., Farina, M. C., & Faria, A. C. (2013). Teoria dos Custos de Transação (TCT): análises bibliométrica e sociométrica nos EnANPAD de 1997 a 2010. Revista de Administração da Unimep, 11(2), 175-194.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/12540/teoria-dos-custos-de-transacao--tct---analises-bibliometrica-e-sociometrica-nos-enanpad-de-1997-a-2010/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALSTON, L.J.; GILLESPIE, W. Resource coordination and transaction costs: a framework for analyzing the firm market/boundary. Journal of Economic Behavior and Organization. v.11, n.2, p.191-212, 1989.

ANPAD – Associação dos Programas de Pós Graduação em Administração. Eventos. Disponível em: Acesso em: 02.Fev.2011.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 6a. Ed. Lisboa: Edições 70, 2008.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. Economia das organizações: entendendo a relação entre as organizações e a análise econômica. In: CLEGG, S; HARDY, C.; NORD, W. (Ed.).Handbook de Estudos Organizacionais. v. III, p.131-179. São Paulo: Atlas, 2004.

BEUREN, I. M. Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2004.

COASE, Ronald H. The firm, the market and the law. Chicago: Chicago Press, 1988.

COKINS, G. Measuring profits and costs across the supply chain for collaborations. Cost Management, v. 17, n. 5, p. 22-29, 2003. COPERNIC. Copernic Desktop Search. Disponível em: http://www.copernic.com/en/products/desktop-search/home/download.html. Acesso em 10. Fev. 2011.

DAVID, R.J.; HAN, S.K. A systematic assessment of the empirical support for transaction cost economics. Strategic Management Journal. v.25, n.1, p.39-58, 2004.

DICKSON, P. H.; WEAVER, K. M. “Environmental Determinants and Individual level Moderators of Alliance Use,” Academy of Management Journal, 40(2), 404-425, 1997

DOH, J.P. Entrepreneurial Privatization Strategies: Order of Entry and Local Partner Collaboration as Sources of Competitive Advantage. The Academy of Management Review. v. 25, no. 3, Jul, 2000.

DYER, J. H. Specialized Supplier Networks as a Source of Competitive Advantage: Evidence from the Auto Industry. Strategic Management Journal. v. 17, n. 4, p. 271-291, 1996.

GALASKIEWICZ, J.; WASSERMAN, S. Advances in social network analysis: Research in the social and behavioral sciences. London: Sage, 1994.

GEYSKENS, I; STEENKAMP, J. E. M.; KUMAR, N. Make, Buy or Ally: A Transaction Cost Theory Meta-Analysis. Academy of Management Journal, v. 49, n.3, p. 519-543, Jun. 2006.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6a. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GRANOVETTER, M.S. The strength of weak ties. American Journal of Sociology. Chicago. v.78, n.6, p. 1360-1380, 1973.

GROVER, V.; MALHOTRA, M. Transaction cost framework in operations and supply chain management research: theory and measurement. Journal of Operations Management. v. 21, n. 4, p. 457-473, 2003.

HALL, R. H. Organizações: estruturas, processos e resultados. 8ª. Ed. São Paulo: Prentice Hall do Brasil, 2004.

JALAL,S M; BISWAS S C; MUKHOPADHYAY P. Bibliometrics to webometrics Information Studies. v. 15, n° 1, p. 3-20, January 2009.

JOSKOW, P. Vertical integration. 2003. Handbook of New Institutional Economics. Disponível em: Acesso em: 20 Fev 2010.

KUPFER, D. Economia Industrial: Fundamentos teóricos e práticos no Brasil. 2a. Ed. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

LEIBLEIN, M.; MILLER, D. An empirical examination of transaction - and firm-level influences on the vertical boundaries of the firm. Strategic Management Journal. v. 24. p. 839-59, 2003.

LUO, Y. Contract, cooperation and performance in industrial joint ventures. Strategic Management Journal. v.23, n.10, p.903-920, 2002.

MACIAS-CHAPULA, C. A. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, pp. 64-68, 1998.

MARCH, J. G.; OLSEN, J. P. Neo-institucionalismo: fatores organizacionais na vida política. Revista de Sociologia e Política. v.16, n.31, 2008.

McGUIGAN, J. R.; MOYER, R. C.; HARRIS, F. H. B. Economia de Empresas: aplicações, estratégia e táticas. Tradução de Roberto Galman. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

McNALLY, R. C. Efficiency motives and institutional considerations in make-or-buy decisions. Thesis (Doctor of Philosophy in Business Administration). University of Illinois – Urbana-Champaign, 2002.

NAKANO, D. N. Fluxos de conhecimento em redes interorganizacionais: conceitos e fatores de influência; IN: AMATO NETO, J. Redes entre organizações. São Paulo: Atlas, 2005.

NEWMAN, M. E. J. Networks: An Introduction. Oxford: Oxford University Press, 2010.

OLIVER, C. Determinants of inter-organizational relationships: integration and future directions. Academy of Management Review, v. 15, no. 2, p.241-265, 1990.

POPPO, L.; ZENGER, T. Do formal contracts and relational governance function as substitute or complements? Strategic Management Journal. v.23, n.8, p.707-725, 2002.

RAYNAUD, E.; SAUVEE, L.; VALCESCHINI, E. Quality Enforcement Mechanisms and the Governançe of Supply Chains in the European Agro-food Sector. Proceedings… In: 6th Annual Meeting of the International Society for New Institutional Economics: Institutions and Performance. September, 2002.

SHERVANI, T.A.; FRAZIER, G; CHALLAGALLA, G. The moderating influence of firm market power on the transaction cost economics model: an empirical test in a forward channel integration context. Strategic Management Journal. vol. 28, p. 635-52, 2007.

TRIENEKENS, J. Management of Processes in chains: a research framework. Thesis Wageningen University, Holland, 1999.

WASSERMAN, S.; FAUST, K. Social Network Analysis: Methods and Applications. New York: Cambridge University Press, 1994.

WILLIAMSON, O. E. Strategizing, Economizing and Economic Organization. Strategic Management Journal. vol. 12, p. 75-94, 1991.

WILLIAMSON, O. E. Strategy research: governance and competence perspectives. Strategic Management Journal. v. 20, p. 1087-108, 1999.

WILLIAMSON, O. E. The economic institutions of capitalism – firms, markets, relational contracting. New York: The Free Press - a division of McMillan, 1985.

WILLIAMSON, O. E. The Economics of Organization: The Transaction Cost Approach. The American Journal of Sociology. 1981.

WILLIAMSON, O. E. The Mechanisms of Governance. Nova York: Oxford University Press, 1996.

WILLIAMSON, O. E. Transaction Cost Economics: The Natural Progression. Journal of Retailing. v. 3, n.86, p. 215-226, 2010.