Orientação para mercado e interface funcional: evidências em projetos de desenvolvimento de novos produtos Outros Idiomas

ID:
13064
Resumo:
A inovação é reconhecida como uma das atividades que mais contribuem para o crescimento e manutenção da competitividade da empresa e pode estar associada a fatores importantes a serem considerados para se atingir o sucesso. Um deles consiste em transformar os sinais de mercado em respostas adequadas, em forma de produtos e serviços novos ou melhorados, por exemplo. O principal objetivo deste artigo é examinar a relação entre orientação para o mercado e interface funcional no contexto do desenvolvimento de novos produtos. A proposição básica é a de que as empresas mais orientadas para o mercado precisam de melhor integração funcional em seus esforços para criar e desenvolver novos produtos que respondam adequadamente aos sinais de mercado. Para tanto, realizou-se uma revisão bibliográfica, a partir da qual se extraíram as principais premissas e vertentes teóricas que serviram de base para o estudo. Os dados foram coletados por meio de um levantamento (survey), utilizando-se um questionário pré-testado e validado pelo cálculo do coeficiente alpha de Crombach. A pesquisa foi feita com participantes de projetos de desenvolvimento de novos produtos, em empresas consideradas inovadoras, com operações no Brasil. O critério de seleção da amostra foi intencional, por acessibilidade. A pesquisa contou com a participação de 21 entrevistados. Para análise dos dados, utilizaram-se estatísticas descritivas e correlações bivariadas, com o cálculo do coeficiente ρs (rho de Spearman). A análise dos resultados apontou que a maioria das empresas apresentou de moderados a altos graus de orientação para mercado e de interface funcional. As diversas correlações encontradas entre os indicadores das variáveis analisadas mostraram que, na maioria dos casos, organizações mais orientadas para mercado possuem, também, maior integração e confiança entre as áreas funcionais em atividades ligadas ao desenvolvimento de novos produtos, na visão dos participantes desse tipo de projetos.
Citação ABNT:
SBRAGIA, R.; LIMA, M. O. Orientação para mercado e interface funcional: evidências em projetos de desenvolvimento de novos produtos. Revista de Administração e Inovação, v. 10, n. 3, p. 184-207, 2013.
Citação APA:
Sbragia, R., & Lima, M. O. (2013). Orientação para mercado e interface funcional: evidências em projetos de desenvolvimento de novos produtos. Revista de Administração e Inovação, 10(3), 184-207.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/13064/orientacao-para-mercado-e-interface-funcional--evidencias-em-projetos-de-desenvolvimento-de-novos-produtos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Atuahene-Gima, K. (1995). An exploratory analysis of the impact of market orientation on new product performance: a contingency approach. Journal of Product Innovation Management, v. 12, p. 275-293.

Bamber, D., Owens, J., Davies, J., Suleman, A. (2002). Enabling the emergent entrepreneurial organization to develop new products. International Journal of Entrepreneurial Behavior & Research, 8(4), 203-221.

Bremser, W. G., Barsky, N. P. (2004). Utilizing balanced scorecard for R&D performance measurement. R&D Management, 34(3), 229-238.

Brown , S. L., Eisenhardt, K. M. (1995). Product development: past research, present findings, and future directions. Academy of Management Review, 20(2), 343-378.

Buss, C. O. (2002). Cooperação interfuncional no desenvolvimento de novos produtos: a interface marketing-engenharia. (2002). Dissertação de mestrado, Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.

Calantone, R. J., Dröge, C., Vickery, S. (2002). Investigating the manufacturing–marketing interface in new product development: does context affect the strength of relationships? Journal of Operations Management, 20(1), 273-287.

Carvalho, M. M., Rabechini, R., Jr. (2008) Construindo competências para gerenciar projetos: teoria e casos. São Paulo: Atlas.

Cooper, R. G. (1995). How to launch a new product successfully. CMA, 69(8), 20-23.

Cury, A. (2006). Organização e métodos: uma visão holística. São Paulo: Atlas.

Day, G.S. (1994). The capabilities of market-driven organizations. Journal of Marketing, 58(4), 37-52.

Department for Business, Enterprise & Regulatory Reform. (2008). The 2008 R&D scoreboard. Recuperado em 15 novembro 2010, de http://www.innovation.gov.uk/rd_scoreboard/downloads/2008_RD_Scoreboard_data.pdf

Deshpandé, R., Farley, J. U., Webster, F. E. (1993). Corporate culture, customer orientation, and innovativeness in Japanese firms: a quadrad analysis. Journal of Marketing, 57(1), 23-27.

Diegel, O. (2002). Designing breakdown structures: an extension to the work breakdown structure to manage innovation in new product development projects. Fevereiro. Proceedings of the Project Management Institute Annual Seminars & Symposium, San Antonio, Texas, USA.

Dinsmore, P. C. Winning business with enterprise project management. (1998). New York: Amacom.

García, N., Sanzo, M. J., Trespalacios, J. A. (2008). New product internal performance and market performance: evidence from Spanish firms regarding the role of trust, interfunctional integration and innovation type. Technovation, 28(11), 713-725.

Gupta, A. K. (1984). A study of r&d/marketing interface and innovation success in high technology firms. Ph.D. dissertation, Syracuse University, New York, USA.

Hair, J., Anderson, R., Tatham, R., Black, W. (2008). Multivariate Data Analysis. Upper Saddle River: Prentice-Hall.

Kara, A., Spillan, J. E., Deshields, O. W, Jr. (2005). The effect of a market orientation on business performance: a study of small-sized service retailers using MARKOR Scale. Journal of Small Business Management, 43(2), 105-118.

Kohli, A. K., Jaworski, B. J. (1990). Market orientation: the construct, research propositions, and managerial implications. Journal of Marketing, 54(4), 1-8.

Kohli, A. K.; Jaworski, B. J.,Kumar, A. (1993). MARKOR: a measure of market orientation. Journal of Marketing Research, 30(4), 467-477.

Kruglianskas, I. (1981). Efeito da interação organizacional na eficácia do centro de pesquisas e desenvolvimento cativo. Tese de Doutorado em Administração. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, São Paulo, Brasil.

Lima, M. O. (2010). Orientação para mercado e interface inter-funcional: um estudo no contexto do desenvolvimento de novos produtos. Dissertação de Mestrado em Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, São Paulo, Brasil.

Littler, D. (1994). Marketing and innovation. In Dodgson, M., Rothwell, R. (Ed.). The handbook of industrial innovation. Cheltenham, UK: Edward Elgar.

Martins, A. P., Martins, M. R. Pereira, M. M. M., Martins, V. A. (2005). Implantação e consolidação de escritório de gerenciamento de projetos: um estudo de caso. Revista Produção, 15(3), 404-415.

Matsuno, K., Mentzer, J. T.,Rentz, J. O. (2000). A Refinement and validation of the MARKOR scale. Journal of the Academy of Marketing Science, 28(4), 527-539.

Moenaert, R.,Souder, W. (1990). An information transfer model for integrating marketing and R&D personnel in new product development projects. Journal of Product Innovation Management, 7(1), 91-107.

Moenaert, R., Souder, W., De Meyer, A.,Deschoolmeester, D. (1994). R&D - marketing integration mechanisms, communication flows, and innovation success. Journal of Product Innovation Management, 11(1), 31-45.

Müller, H. F., Neto. (2005). Inovação orientada para o mercado: um estudo da relação entre orientação para mercado, inovação e performance. Tese de Doutorado em Administração, Escola de Administração da UFRGS, Porto Alegre, Brasil.

Narver, J. C.,Slater, S. F. (1990). The effect of a market orientation on business profitability. Journal of Marketing, 54(10), 20-35.

Neely, A.,Hii, J. Innovation and business performance. (1998). The Judge Institute of Management Studies, University of Cambridge, 1-49.

Organization for Economic Co-operation and Development. Oslo manual: proposed guidelines for vollecting and interpreting technological innovation data. Recuperado em 15 novembro, 2010, de http://www.oecd.org/document/23/0,3343,en_2649_34409_35595607_1_1_1_1,00.html.

Purdon, W. A. B. (1996). Increasing R&D effectiveness: researches as business people. Research Technology Management, 39(4), 48-56.

Rabechini Jr., R., Carvalho, M. M.,Laurindo, F. J. B. (2002). Fatores críticos para implementação de gerenciamento por projetos: o caso de uma organização de pesquisa. Revista produção, 12(2), 28-41.

Rodrigues, I., Rabechini, R. R., Jr.,Csillag, J. M. (2006). Os escritórios de projetos como indutores de maturidade em gestão de projetos. R. Adm., 41(3), 273-287.

Roussel, P. A., Saad, K. N., Bohlin, N. (1992). Pesquisa & Desenvolvimento: como integrar P&D ao plano estratégico e operacional das empresas como fator de produtividade e competividade. São Paulo: Makron Books.

Sampieri, R., Collado, C.,Lucio, P. (2006). Metodologia da pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill.

Schumpeter, J. A. (1982). A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Editora Abril.

Shapiro, B.P. (1977). Can marketing and manufacturing coexist? Harvard Business Review, 55(5), 104-114.

Shapiro, B.P. (1988). What hell is market oriented? Harvard Business Review, 55 (5), 119-125.

Siegel, S. (2006). Estatística não paramétrica para ciências do comportamento. Porto Alegre: Artmed.

Slater, S. F.,Narver, J. C. (1994). Market orientation, customer value and superior performance. Business Horizon, 37(2), 22-28.

Song, X. M.,Parry, M. E. (1997). The determinants of Japanese new product success. Journal of Marketing Research, 34(1), 64-76.

Song, X. M.,Thieme, R. J. (2006). A cross-national investigation of the R&D–marketing interface in the product innovation process. Industrial Marketing Management, 35(3), 308-322.

Tajeddini, K., Trueman, M.,Larsen, G. (2006). Examining the effect of market orientation on innovativeness. Journal of Marketing Management, 22(5/6), 529-551.

Vasconcellos, L.,Guedes, L. F. A. (2007). E-Surveys: Vantagens e Limitações dos Questionários Eletrônicos via Internet no Contexto da Pesquisa Científica. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Vasquez, R., Santos, M. L.,Álvares, L. I. (2001). Market orientation, innovation and competitive strategies in industrial firms. Journal of Strategic Marketing, 9(1), 69-90.

Verhees, F. (2005). Market oriented product innovation in small firms. Tese de Doutorado, Wageningen University, Alemanha.

Zawislak, P. A. (1995). A relação entre conhecimento e desenvolvimento: essência do progresso técnico. Análise, 6(1), 125-149.