Internacionalização de organizações: propostas de análise à luz da cultura Outros Idiomas

ID:
13082
Resumo:
O objetivo deste texto é identificar, por meio de práticas sociais, manifestações culturais de organizações internacionalizadas, utilizando os modelos de pesquisa de D’Iribarne e de Hofstede. Do ponto de vista cultural, o modo como cada país conta com seus costumes, define seus direitos e deveres; constrói suas normas, coopera e estabelece relações faz com que as empresas internacionalizadas constituam um espaço com especificidades culturais, influenciando suas práticas ao se inserirem em países hospedeiros. Visando à identificação dessas práticas e das manifestações culturais que representam, foram considerados os conceitos de cultura, práticas sociais e internacionalização e os modelos de estudo de D’Iribarne e Hofstede. Os principais resultados mostram que valores, símbolos são inseparáveis de comportamentos, ações e práticas, moldando a cultura organizacional. Sugere-se, por derradeiro a utilização das duas abordagens – Hofstede e D’Iribarne – de forma complementar, a fim de identificar manifestações culturais de organizações internacionalizadas, destacando diferenças que se refletem nos modelos de gestão dessas organizações.
Citação ABNT:
SOUZA, E. C. L.; LUCAS, C. C.; FENILI, R. R.; FARIAS, R. M. C. Internacionalização de organizações: propostas de análise à luz da cultura. Revista de Administração FACES Journal, v. 12, n. 1, p. 139-151, 2013.
Citação APA:
Souza, E. C. L., Lucas, C. C., Fenili, R. R., & Farias, R. M. C. (2013). Internacionalização de organizações: propostas de análise à luz da cultura. Revista de Administração FACES Journal, 12(1), 139-151.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/13082/internacionalizacao-de-organizacoes--propostas-de-analise-a-luz-da-cultura/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BOURDIEU, Pierre. O senso prático. Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

CHANLAT, J. F. Entre as culturas latinas, anglo-saxã e nórdica: os quebequenses em economia, negócios e administração. In: CHANLAT, J. F.; FACHIN, R.; FISCHER, T. (Org.). Análise das Organizações: perspectivas latinas. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2007.

CHANLAT, J. F. L’Analyse interculturelle en gestion: décloisonner les aprpoches classiques. In : DAVEL, E.; DUPUIS, J. P.; CHANLAT, J. F. Gestion en contexte interculturel. Approches, problématiques, pratiques et plongées. Canada: Les Presses de l’Université Laval, 2008.

D´IRIBARNE, P.; HENRY, A.; CHEVRIER, S.; GLOBOCAR, T. Cultures et mundialisation. Gérer par delà les frontières. Paris: Éditions du Seuil, 1998.

D´IRIBARNE, P. La logique d’honneur. Gestion des entreprises et traditions nationales. Paris: Éditions du Seuil, 1989.

D´IRIBARNE, P. Práticas modernas de gestão inseridas nas culturas do terceiro mundo. Civitas - Revista de Ciências Sociais, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 327-337, 2003.

DUPUIS, J. P. Antropologia, Cultura e Organização: proposta de um modelo construtivista. In: CHANLAT, J. F. (Org.). O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, 1996.

FREITAS, A. B. Traços brasileiros para uma análise organizacional. In: MOTTA, F. P.; CALDAS, M. P. (Org.). Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 1997.

HILAL, A.; HEMAIS, C. A. O processo de internacionalização na ótica da escola nórdica: evidências empíricas em empresas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, [S. l.], v. 7, n. 1, 2003.

HOFSTEDE, G. Culture’s Consequences. Beverly Hills: Sage, 1980.

IRRMANN, O. L’analyse interculturelle en gestion: une approche interactionniste. In : DAVEL, E. ; DUPUIS, J. P.; CHANLAT, J. F. Gestion en contexte interculturel. Approches, problématiques, pratiques et plongées. Canada: Les Presses de l’Université Laval. 2008.

JARILLO J. C; MARTNEZ, J. I. Different Roles for Subsidiaries: The Case of Multinational Corporations in Spain. Strategic Management Journal, [S. l.], v. 11, p. 501-512, 1990.

MOTTA, F. C. P. Cultura e organizações no Brasil. In: MOTTA, F. C. P.; CALDAS, M. P. (Org.) Cultura nacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 1997.

PRATES, M. A. S.; BARROS, B. T. O estilo brasileiro de administrar. São Paulo: Atlas, 1997.

SMITH, P. B.; BOND, M. H. Social Psychology: Across Cultures. Boston: Allyn & Bacon, 1999.

TORRES, C. V. Leadership Style Norms among Americans and Brazilians: Assessing Differences Using Jackson’s Return Potential Model. 1999. Unpublished doctoral dissertation, California School of Professional Psychology, San Diego, CA, 1999.

TRICE, H. M.; BEYER, J. M. Studying organizational Culture through Rites and Ceremonials. The Academy of Management Review, [S. l.], v. 9, n. 4, p. 653669, 1984.