A gestão do desenvolvimento de produtos na indústria de materiais de construção Outros Idiomas

ID:
1347
Resumo:
Essa pesquisa, qualitativa e exploratória, focou nas empresas Cecrisa e Tigre, líderes na indústria de componentes para construção, e buscou identificar o grau de formalização, as etapas da gestão do desenvolvimento de produtos e as práticas e características peculiares à IMC, cotejando-as com a literatura. Excetuadas algumas diferenças relevantes, constatou-se uma prática atualizada em relação à literatura e um processo e estrutura formais e organizados. Observou-se a predominância de projetos derivativos, em especial topológicos; diferenças na captação de ideias, com recurso à grande variedade de informações; a inserção pela Cecrisa de depoimentos de especialistas sobre a imagem da linha e a atualidade da ideia no desenvolvimento do conceito do produto, com reflexos potenciais nas suas peças promocionais. A Cecrisa se destaca ainda por montar o produto em etapas iniciais, utilizando a matéria-prima e o processo produtivo finais. As duas empresas realizam o lançamento interno do produto, distinguindo-se pela forma como é feito, o que não é tratado na literatura. As empresas estudadas recorrem à estrutura leve de projeto, pois são empresas pequenas com distâncias hierárquicas menores, onde constantemente acontecem reuniões formais e encontros informais para discussões e esclarecimentos dos projetos.
Citação ABNT:
COSTA, D. D.; NASCIMENTO, P. T. S. A gestão do desenvolvimento de produtos na indústria de materiais de construção. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 1, art. 1, p. 1-24, 2011.
Citação APA:
Costa, D. D., & Nascimento, P. T. S. (2011). A gestão do desenvolvimento de produtos na indústria de materiais de construção. Revista de Administração Contemporânea, 15(1), 1-24.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/1347/a-gestao-do-desenvolvimento-de-produtos-na-industria-de-materiais-de-construcao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Fundação Getúlio Vargas Projetos. (2007). A cadeia produtiva da construção e o mercado de materiais. Recuperado em 24 agosto, 2007, de http://www.abramat.org.br/files/Estudo%20%20Cadeia%20Produtiva%20%20Abramat%20.pdf

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Fundação Getúlio Vargas Projetos. (2007). Análise setorial Abramat. Recuperado em 24 agosto, 2007, de http://www.abramat.org.br/files/Boletim%20Analise%20Setorial%202_Out07(completo).pdf

Associação Nacional de Fabricantes de Cerâmica para Revestimento. (2006). Números do setor. Recuperado em 18 fevereiro,2008, de http://www.anfacer.org.br

Brown, S.; Eisenhardt, K. (1995). Product development: past research, present findings and future directions. The Academy of Management Review, 20(2), 343-378.

Cardoso, L R A de; Abiko, A. K.; Gonçalves, O. M. (2002). Estudo prospectivo da cadeia produtiva da construção civil no Brasil: produção e comercialização de unidades habitacionais. Anais do Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 9.

Cecrisa. (2008). Intenção estratégica. Recuperado em 15 fevereiro, 2008, de http://www.cecrisa.com.br

Cecrisa. (2008). Premios. Recuperado em 15 fevereiro, 2008, de http://www.cecrisa.com.br

Clark, K. B.; Wheelwright, S. C. (1993). Managing new product and process development: text and cases. New York: The Free Press.

Coelho, L. (2007). Tecnologia contra o desperdício. Revista Arquitetura e Urbanismo, 22(161), 82-86.

Cooper, D. R.; Schindler, P. S. (2003). Métodos de pesquisa em administração. 7a ed. Porto Alegre: Bookman.

Cooper, R. G.; Edgett, S. J.; Kleinschmidt, E. J. (2002). Optimizing the stage-gate process: what best practice companies are doing – Part II. Research Technology Management, 45(5), 1-15.

Costa, D. D. (2008). A gestão do desenvolvimento de produtos na indústria de materiais de construção. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Dalcul, A. L. P. C. (1994). Novas tecnologias e relações de trabalho na construção civil. Anais do Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, São Paulo, SP, Brasil, 18.

Fundação Getúlio Vargas. (2006). A construção do desenvolvimento sustentado: a importância da construção na vida econômica e social do país. Recuperado em 15 junho,2007, de http://www.fiesp.com.br/deconcic/publica%C3%A7%C3%B5es/estudo%20final%20da%20unc %20-%202%C2%AA%20edi%C3%A7%C3%A3o%20-%2010out06.pdf

Gil, A. C. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa. 4a ed. São Paulo: Atlas.

Godoy, A. S. (1995). Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, 35(3), 20-29.

Kaminski, P. C. (2000). Desenvolvendo produtos com planejamento, criatividade e qualidade. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos.

Krishnan, V.; Ulrich, K. T. (2001). Product development decisions: a review of the literature. Management Science, 47(1), 1-21.

Martins, M. G. (2002, novembro). Implantação de inovações tecnológicas no setor da construção: a visão do fornecedor. Anais do Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, Salvador, BA, Brasil, 22.

Rozenfeld, H.; Amaral, D. C.; Forcellini, F. A.; Toledo, J C de; Silva, S L da, Alliprandini, D. H.; Scalice, R. K. (2006). Desenvolvimento de produtos: uma referência para a melhoria do processo. São Paulo: Saraiva.

Sanderson, S.; Uzumeri, M. (1995). Managing product families: the case of the Sony Walkman. Research Policy, 24(5), 761-782.

Sattler, M. A. (2002). Edificações e comunidades sustentáveis: atividades em desenvolvimento no NORIE/UFRGS. Anais do Seminário Ibero-Americano da Rede CYTED XIV.C, São Paulo, SP, Brasil, 4.

Smith, P. G.; Reinertsen, D. G. (1998). Desenvolvendo produtos na metade do tempo: a agilidade como fator decisivo diante da globalização do mercado. São Paulo: Futura.

Souza, R. de (2004). Qualidade no setor da construção. In O. J. S. Oliveira (Org.), Gestão da qualidade: tópicos avançados. (pp. 199-210). São Paulo: Pioneira Thomson.

Tidd, J.; Bessant, J.; Pavitt, K. (1999). Managing innovation: integrating technological, market and organizational change. England: Wiley.

Tigre. (2007). A Tigre. Recuperado em 11 outubro, 2007, de http://www.tigre.com.br/pt/institucional.php?rcr_id=7ctt_id=28uni=0

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3a ed. Porto Alegre: Bookman.