Reversões hierárquicas e eclosão de conflitos em prisões Outros Idiomas

ID:
14847
Resumo:
As prisões são contextos particularmente privilegiados para o estudo da ordem social enquanto fenômeno emergente de negociações subjacentes a processos interativos. A natureza da sua clientela e o grau de privação a que ela está submetida evocam, mais que em qualquer outro tipo de organização, modelos de análise que derivam sua ordem interna de: a) esquemas de punição e recompensa que, na medida em que fornecem aos prisioneiros bases claras e confiáveis para o cálculo dos custos e benefícios adstritos aos seus atos, mostram-se eficazes na conformação dos mesmos a preceitos organizacionais (modelos utilitaristas); b) dispositivos organizacionais que se mostram eficazes na definição e implementação de distâncias hierárquicas e morais entre prisioneiros e funcionários -- o que dá ênfase à importância de medidas preventivas de controle, tais como a disciplina, a vigilância, as revistas e o isolamento de internos "problemáticos" (modelos racional-burocráticos).
Citação ABNT:
FREITAS, R. S.Reversões hierárquicas e eclosão de conflitos em prisões. Revista de Administração Pública, v. 19, n. 4, p. 27-37, 1985.
Citação APA:
Freitas, R. S.(1985). Reversões hierárquicas e eclosão de conflitos em prisões. Revista de Administração Pública, 19(4), 27-37.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/14847/reversoes-hierarquicas-e-eclosao-de-conflitos-em-prisoes/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português