Estrutura e posicionamento estratégico da indústria de vinhos de mesa do Rio Grande do Sul Outros Idiomas

ID:
16310
Resumo:
Este estudo tem o objetivo de descrever e analisar a estrutura e os posicionamentos estratégicos no segmento de vinhos de mesa da indústria vinícola do estado do Rio Grande do Sul (RS) - Brasil. Por meio da análise de dados secundários e do método de estudo de casos múltiplos, foram conduzidas entrevistas semiestruturadas em oito vinícolas. Os resultados mostram que o segmento de vinhos de mesa no Brasil representa cerca de 70% do total de vinhos comercializados em 2007. O Rio Grande do Sul se destaca como o principal estado vitivinicultor, e o setor constitui um importante polo de desenvolvimento econômico, sendo responsável por cerca de 60% da área plantada com videiras, 50% da produção de uvas e mais de 90% da produção vinícola nacional. Identificou-se, nesse segmento, forte concorrência, decorrente da baixa diferenciação dos produtos, baixas barreiras à entrada, forte poder de negociação dos clientes, especialmente dos supermercados, e a significativa ameaça dos importados. Optou-se por analisar o processo competitivo com base em grupos estratégicos: o Grupo 1, com vendas predominantemente a granel; o Grupo 2, com vendas predominantemente do produto engarrafado; e o Grupo 3, com vendas do vinho tanto a granel quanto engarrafado. A compreensão desse segmento da indústria vinícola possibilitou descrever as suas principais características e o posicionamento estratégico das empresas presentes nesse mercado.
Citação ABNT:
THOMÉ, R. B. M.; HEXSEL, A. E.; TONI, D.; MILAN, G. S. Estrutura e posicionamento estratégico da indústria de vinhos de mesa do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Estratégia, v. 6, n. 2, p. 151-164, 2013.
Citação APA:
Thomé, R. B. M., Hexsel, A. E., Toni, D., & Milan, G. S. (2013). Estrutura e posicionamento estratégico da indústria de vinhos de mesa do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Estratégia, 6(2), 151-164.
DOI:
10.7213/rebrae.06.002.AO04
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/16310/estrutura-e-posicionamento-estrategico-da-industria-de-vinhos-de-mesa-do-rio-grande-do-sul/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. S. Administração estratégica e vantagem competitiva: conceitos e casos. São Paulo: Pearson / Prentice Hall, 2007.

BESANKO, D. et al. A economia da estratégia. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

DATAMONITOR. Global Wine : Industry Profile. 2007. Reference code: 0199-0800. Disponível em . Acesso em: 15 jan. 2008.

GHEMAWAT, P. A Estratégia e o cenário dos negócios. Porto Alegre: Bookman, 2000.

HOOLEY, G. J.; SAUNDERS, J. A.; PIERCY, N. F. Estratégia de marketing e posicionamento competitivo. 3. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DO VINHO – IBRAVIN. Brasil Vitivinícola: rumo à integração. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DO VINHO – IBRAVIN. Cadastro Vinícola. Disponível em: . Acesso em: 9 nov. 2007.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MATSUNO, K.; MENTZER, J. T.; RENTZ, J.O. A refinement and validation of the markor scale. Journal of Academy of Marketing Science, v. 28, n. 4, p. 527-539, 2000.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MINTZBERG, H. The strategv concept I: five Ps for strategv. California Management Review, v. 30, n. 1, p. 11-24, 1987.

PORTER, M. E. Estratégia Competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 28. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

PORTER, M. E. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. 28. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

PORTER, M. E. What is strategy? Harvard Business Review, v. 74, n. 6, p. 61-78, 1996.

RIBEIRO, J. L. D.; MILAN, G. S. Planejando e conduzindo entrevistas individuais. In: RIBEIRO, J. L. D.; MILAN, G. S (Ed.). Entrevistas Individuais: teoria e aplicações. Porto Alegre: FEEng/UFRGS, 2004. p. 9-22.

ROSA, S. E. S.; SIMÕES, P. M. Desafios da vitivinicultura brasileira. BNDES Setorial, n. 19, p. 67-90, mar. 2004.

TEECE, D. J.; PISANO, G.; SHUEN, A. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, v. 18, n. 7, p. 509-533, Aug. 1997.

THOMPSON JR., A. A.; STRICKLAND III, A. J. Planejamento estratégico. São Paulo: Pioneira, 2000.

UNIÃO BRASILEIRA DE VITIVINICULTURA – UVIBRA. Dados Estatísticos. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2008.

WINE INSTITUTE. World wine production by country. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2008.

YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.