A cadeia de valores e as cinco forças competitivas como metodologia de planejamento estratégico Outros Idiomas

ID:
16323
Resumo:
O presente artigo tem o intuito de compreender as possíveis vantagens da utilização da cadeia de valores e das cinco forças competitivas, propostas por Porter (1990; 1992), na implementação do planejamento estratégico na área da saúde, mais especificamente no ramo comercial de farmácia (drogarias). Por isso, este estudo é: uma pesquisa descritiva quanto ao objetivo; qualitativa, quanto à análise; e de estudo de caso, quanto à estratégia de abordagem do problema. Nesse sentido, foram identificadas as seguintes vantagens inerentes à utilização da cadeia de valores como instrumento metodológico de planejamento estratégico: (i) sistema de identificação de pontos fortes e fracos de maneira objetiva e eficaz; (ii) subsídio para a formulação de estratégias dentro do planejamento condizentes com a realidade interna da organização; e (iii) percepção de possível compartilhamento e envolvimento de ações e de informações em todas atividades – primárias e de apoio – da organização. Com relação à utilização das cinco forças competitivas, identificam-se como vantagens: (i) a identificação de vantagens competitivas; (ii) a exploração das vantagens competitivas identificadas; (iii) a identificação de oportunidades a serem vislumbradas pela organização; e (iv) a abordagem das ameaças ambientes, a fim de exercer a proatividade diante de possíveis mudanças ambientais. O estudo demonstra a fragilidade da empresa pelo desconhecimento tanto do ambiente interno quanto externo, das formas e procedimentos mínimos necessários para a gestão do empreendimento, manutenção e desenvolvimento deste. Sendo assim, considera-se que as devidas adequações, sem grandes investimentos, e considerando-se o longo prazo, desenham para a empresa uma possibilidade ampla de desenvolvimento e de adequação aos fatores do ambiente mercadológico.
Citação ABNT:
VARGAS, K. F. S.; MOURA, G. L.; BUENO, D. F. D. S.; PAIM, E. S. E. A cadeia de valores e as cinco forças competitivas como metodologia de planejamento estratégico. Revista Brasileira de Estratégia, v. 6, n. 1, p. 11-22, 2013.
Citação APA:
Vargas, K. F. S., Moura, G. L., Bueno, D. F. D. S., & Paim, E. S. E. (2013). A cadeia de valores e as cinco forças competitivas como metodologia de planejamento estratégico. Revista Brasileira de Estratégia, 6(1), 11-22.
DOI:
10.7213/rebrae.7663
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/16323/a-cadeia-de-valores-e-as-cinco-forcas-competitivas-como-metodologia-de-planejamento-estrategico/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANSOFF, H. I. A nova estratégia empresarial. São Paulo: Atlas, 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Doutrinas e princípios: ABC do SUS, Brasília, 1990a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Planejamento local: ABC do SUS. Brasília, 1990a.

CARVALHO, B. G. Planejamento em saúde. Centro de Ciências da Saúde – UEL, Rede de Ensino para Gestão Estratégica do SUS – Paraná. Disponível em . Acesso em: nov. de 2009.

CERTO, S. C.; PETER, J. P. Administração estratégica: planejamento e implantação da estratégia. São Paulo: Makron Books, 1993.

CHIAVENATO, I.; SAPIRO, A. Planejamento estratégico: fundamentos e aplicações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA CFF. Estatísticas. Disponível em: Acesso em: dez. de 2009.

FISCHMANN, A. A.; ALMEIDA, M. I. R. Planejamento estratégico na prática. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1991.

GODOY, A. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995. doi:10.1590/ S0034-75901995000200008.

HAIR JUNIOR, J. F. et al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Cidades. Disponível em: . Acesso em: ago. de 2009.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MEZOMO, J. C. Gestão da qualidade na saúde:princípios básicos. Barueri: Manole, 2001.

MOTTA, P. R. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. São Paulo: Record, 2003.

OLIVEIRA, D. P. R. Excelência na administração estratégica: a competitividade para administrar o futuro das empresas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1997. doi:10.1590/ S1415-65551997000300006.

PORTER, M. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

PORTER, M. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE. Oportunidades de negócios: o vigor das farmácias. Jornal do Comércio,2002. Disponível em: . Acesso em: jun. 2010.

TANCREDI, F. B.; BARRIOS, S. R. L.; FERREIRA, J. H. G. Planejamento em saúde. v. 2, 1998. (Série Saúde & Cidadania).

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.