Fatores condicionantes da vantagem competitiva nos postos de combustíveis de Florianópolis Outros Idiomas

ID:
16327
Resumo:
A identificação dos fatores que determinam a Vantagem Competitiva das firmas tem sido objeto de pesquisa ao longo do tempo. Nesse sentido, várias teorias tentaram explicar de forma concreta o segredo da competitividade de algumas organizações, destacando-se as estratégias genéricas de posicionamento propostas por Porter (1980) e os recursos estratégicos propostos pela RBV de Wernerfelt (1984) e Barney (1991). Assim, este artigo visa identificar os elementos condicionantes da vantagem competitiva dos postos de combustíveis do município de Florianópolis (SC), tendo em vista as particularidades desse setor. Para alcançar o objetivo proposto, empreendeu-se uma pesquisa quantitativa, com uso de modelo estatístico que usa regressão linear relacionando indicadores de vantagem competitiva com fatores explicativos aqui considerados: localização, preço, marca e facilidades. Foram utilizados dados primários, coletados no mês de maio de 2011 junto aos distribuidores de combustíveis e aos gerentes de postos pesquisados e dados secundários oriundos da Agência Nacional do Petróleo. A partir da análise realizada para a população estudada, em virtude das características da configuração do setor na cidade de Florianópolis, os fatores que se apresentaram como determinantes de Vantagem Competitiva foram a Localização e Facilidades.
Citação ABNT:
LEITE, A. L. S.; FIATES, G. G. S.; LIMA, M. A. Fatores condicionantes da vantagem competitiva nos postos de combustíveis de Florianópolis. Revista Brasileira de Estratégia, v. 6, n. 1, p. 37-44, 2013.
Citação APA:
Leite, A. L. S., Fiates, G. G. S., & Lima, M. A. (2013). Fatores condicionantes da vantagem competitiva nos postos de combustíveis de Florianópolis. Revista Brasileira de Estratégia, 6(1), 37-44.
DOI:
10.7213/rebrae.7665
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/16327/fatores-condicionantes-da-vantagem-competitiva-nos-postos-de-combustiveis-de-florianopolis/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO - ANP. A defesa da concorrência no mercado de combustíveis - ANP /SDE. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2010.

ALMEIDA, E. L. F.; LOSEKANN, L. Estratégias de propaganda e marketing. In: KUPFER, D.; HASENCLEVER, L. (Org.). Economia industrial: fundamentos teóricos e práticas no Brasil. Rio de janeiro: Ed. Campus, 2002. p. 449-481.

BAIN,J. S. Industrial organization. New York: john Wiley & Sons, Inc., 1959.

BARBOSA, R. A.; BATAGLIA, W. A evolução das correntes explicativas da vantagem competitiva. Revista Gestão e Planejamento, v. 11, n. 2, p. 192-211, ju!./ dez. 2010.

BARNEY, J. B. Firm resources and competitive advantage. Journal of Management, v. 17, n. 1, p. 99-120, 1991.

BARNEY, J. B. Gaining and sustaining competitive advantage. Prentice Hall: Pearson Education, 2007.

FIANI, R. Regulação da entrada no setor de distribuição de combustível. Conjuntura e informação, n. 18, p. 7-11, 2002.

FONSECA, V.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Conversação entre abordagens da estratégia em organizações: escolha estratégica, cognição e instituição. Organizações & Sociedade, v. 9, n. 25, p. 93-110, set./dez. 2002.

GRANT, R. M. The resource-based theory of competitive advantage: implications for strategy formulation. California Management Review, v. 33, n. 3 p. 114-135, 1991.

LEITE, A. L. S. Competitividade, mercados e estratégia. In: ANGELONI, M. T.; MUSSI, C. C. (Org.). Estratégias: formulação, implementação e avaliação. São Paulo: Saraiva, 2008. p. 3-23.

LEITE, A. L. S.; LANZER, E. A.; SERRA, F. A R. Entre hierarquia e mercado: análise da competição no setor de postos de combustíveis na Grande Florianópolis. Revista Alcance - Eletrônica, v. 16, n. 1, p. 45-61, jan.jabr. 2009.

LIPPMAN, S. A.; RUMELT, R. P. Uncertain imitability: an analysis of interfirm differences in efficiency under competition. Bell Journal of Economics, v. 12, p. 413-38, 1982.

McGAHAN, A. M.; PORTER, M. E. How much does industry matter really? Strategic Mangement Journal, v. 18, p. 15-30, 1997.

MEYER-STAMER, j. Systemic competitiveness revisited. Mesopartner Working Paper, p. 1-35, 2005.

NEVES, J. A. D.; COSTA, A M. Fatores de localização dos postos de combustíveis em Fortaleza. Revista de Administração Contemporânea, ed. esp., p. 175-192, 2008.

NUNES, C.; GOMES, C. Aspectos concorrenciais do varejo de combustíveis no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA - ANPEC, 33., 2005, Natal. Anais ... Natal: ANPEC, 2005.

OLIVEIRA, G. Combate aos cartéis. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2006.

PENROSE, E. T. The theory of the growth of the firm. New York: Willey, 1959.

PINTO, M. R.; SILVA, E. C. D. O brilho da bandeira branca: concorrência no mercado de combustíveis no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA-ANPEC, 32., 2004, João Pessoa. Anais ... joão Pessoa: ANPEC, 2004.

PORTER, M. E. Competição: estratégias competitivas essenciais. 9. ed. Rio de janeiro: Campus, 1999.

PORTER, M. E. Competitive advantage: creating and sustaining superior performance. New York: The Free Press, 1985.

PORTER, M. E. Competitive strategy: techniques for analyzing industries and competitors. New York: Free Press, 1980.

POSSAS, M. L. Regulação e restrições à concorrência em telecomunicações no Brasil. Economia, v. 3, n. 3, p. 399-430, 2002.

RAGAZZO, C. E.; SILVA, R. M. Aspectos econômicos e jurídicos sobre cartéis na revenda de combustíveis: uma agenda para investigações. SEAE/MF. Documento de trabalho n. 40, dez. 2006.

RUMELT, R. P. How much does industry matter? Strategic Management Journal, v. 12, n. 3, p. 167-185, 1991.

SCHERER, F. M.; ROSS, D. Industrial market structure and economic performance. 3 ed. Boston: Houghton Mifflin Company, 1990.

SCHNEIDER, A. B. et al. Estratégia competitiva: Michael Porter 30 anos depois. Revista de Administração da UFSM, v. 2, p. 338-369, 2009.

SHARP, B. Competitive marketing strategy: Porter revisited. Marketing Intelligence & Planning, v. 9, n. 1, p. 04-10, 1991.

VARADARAJAN, P. R. A two-factor classification of competitive strategy variables. Strategic Management Journal, v. 6, p. 357-375, 1985.

VASCONCELOS, F.; CYRINO, A. Vantagem competitiva: os modelos teóricos atuais e a convergência entre estratégia e teoria organizacional. Revista de Administração de Empresas, v. 40, n. 4, out./ dez. 2000.

WERNERFELT, B. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal, v. 5, n. 2, p. 171-180, 1984.