Mudanças de política salarial na Pierre Alexander Cosméticos: o dilema de Gerusa Outros Idiomas

ID:
17854
Resumo:
Este caso relata a história real de Gestão de Carreira da executiva Gerusa Maria Milli, que trabalhou durante mais de 25 anos para a Pierre Alexander Cosméticos. Com a morte do fundador e presidente, em 2004, a Empresa passou por várias reestruturações e processos de compra e venda, o que quase a levou a decretar estado de falência. Em novembro de 2008, após nova compra, Gerusa deve decidir se aceita o novo sistema de remuneração oferecido pelos sócios-diretores, consideravelmente mais baixo do que o recebido anteriormente. Esse caso de ensino pode ser utilizado com alunos de graduação e de pós-graduação em sala de aula, tendo como base as temáticas: Cultura Organizacional; Gestão de Carreiras (na Terceira Idade); valores pessoais e organizacionais; motivação; confiança interpessoal e organizacional, negociação e processo de tomada de decisão. Dados e informações foram obtidos por meio da realização, em julho e dezembro de 2012, de entrevistas semiestruturadas com o sócio-diretor da PA, Márcio Mansur, com a executiva de vendas, Gerusa Maria Milli, e com o gerente de Operações, Homero Ferreira.
Citação ABNT:
LUCCHI, M.; BARROS, J. F. Mudanças de política salarial na Pierre Alexander Cosméticos: o dilema de Gerusa. Tecnologias de Administração e Contabilidade, v. 3, n. 2, p. 152-167, 2013.
Citação APA:
Lucchi, M., & Barros, J. F. (2013). Mudanças de política salarial na Pierre Alexander Cosméticos: o dilema de Gerusa. Tecnologias de Administração e Contabilidade, 3(2), 152-167.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/17854/mudancas-de-politica-salarial-na-pierre-alexander-cosmeticos--o-dilema-de-gerusa/i/pt-br
Tipo de documento:
Caso de Ensino
Idioma:
Português
Referências:
Abrahim, G. S. (2008). O papel dos valores nas decisões de carreira. Revista Contemporânea de Economia e Gestão (Contextus), 6(2), 35-44.

Alderfer, C. (1969). An empirical test of a new theory of human needs. Organizational Behavior and Human Performance, 4(1), 142-175. doi: 10.1016/0030-5073(69)90004-X

Amorim, W. A. C., Fischer, A. L. F., Dutra, J. S., Veloso, E. F. R., Pimentel, J. E. A., & Pires, F. M. (2009, novembro). Empresas que buscam se destacar pela qualidade do ambiente organizacional: um perfil diferenciado de funcionários no mercado formal de trabalho? Anais do Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho, Curitiba, PR, Brasil, 2.

Arthur, M. B. (1994). The boundaryless career: a new perspective for organizational inquiry. Journal of Organizational Behavior, 15(4), 295-306. doi: 10.1002/job.4030150402

Associação Brasileira de Vendas Diretas. (2005). Venda direta: histórico. São Paulo. Recuperado de http://www.abevd.org.br/htdocs/index.php?secao=venda_direta

Bergamini, C. W. (1997). Motivação nas organizações. São Paulo: Atlas.

Boudreau, J. W., & Ramstad, P. M. (2005). Talentship, talent segmentation, and sustainability: a new HR decision science paradigm for a new strategy definition. Human Resource Management, 44(2), 129-136. doi: 10.1002/hrm.20054

Cameron, K. S., & Quinn, R. E. (2011). Diagnosing and changing organizational culture: based on the competing values framework. São Francisco: Jossey-Bass.

De Fillipi, R. J., & Arthur, M. B. (1994). The boundaryless career: a competency-based perspective. Journal of Organizational Behavior, 15(4), 307-324. doi: 10.1002/job.4030150403

Denison, D. R. (1997). Corporate culture and organizational effectiveness. Estados Unidos: Library of Congress Cataloging in Publication Data.

Fombrun, C. (1982). Environmental trends create new pressures on human resources. Journal of Business Strategy, 3(1), 61-69. doi: 10.1108/eb038957

Fontes, J. R., Filho, & Ribeiro, M. C. S. (2010). Carreiras sem fronteiras e as necessidades de conhecimento da organização: desafios em busca de soluçã o. Revista do Mestrado em Administração e Desenvolvimento Empresarial, 14(1), 37-50.

Gil, A. C. (2010). Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas.

Hills, M. D. (2002). Kluckhohn and Strodtbeck's values orientation theory. Online Readings in Psychology and Culture, 4(4), 1-13. doi: 10.9707/2307-0919.1040

Kosloski, K., Ekerdt, D., & DeViney, S. (2001). The role of job-related rewards in retirement planning. The Journals of Gerontology, 56(3), 160-169. doi: 10.1093/geronb/56.3.P160

Limongi-França, A. C. L. (2002). As pessoas na organização. São Paulo: Gente.

Locke, E. (1968). Toward a theory of task motivation and incentives. Organizational Behavior and Human Performance, 3(2), 157-189. doi: 10.1016/0030-5073(68)90004-4

Magalhães, M. O. de, Krieger, D. V., Vivian, A. G., Straliotto, M. C. S., & Poeta, M. P. (2004). Padrões de ajustamento na aposentadoria. Aletheia, (19), 57-68.

Mayer, R. C., Davis, J. H., & Schoorman, F. D. (1995). An integrative model of organizational trust. Academy of Management Review, 20(3), 709-734. doi: 10.2307/258792

Meglino, B. M., Ravlin, E. C., & Adkins, C. L. (1989). A work values approach to corporate culture: a field test of the value congruence process and its relationship to individual outc omes. Journal of Applied Psychology, 74(3), 424-432.

Mello, J. C. M. (2003). Negociação baseada em estratégia. São Paulo: Atlas.

Neher, A. (1991). Maslow´s theory of motivation: a critique. Journal of Humanistic Psychology, 31(3), 89-112. doi: 10.1177/0022167891313010

Nelson, R. E. (2006). Cultura empresarial e atendimento superior: gerenciando a prestação de serviços no século 21. Sorocaba: Cidade.

Nelson, R. E. (2011, setembro). Leadership, personal values, and cultural context in Brazil, china, and the United States: a pattern approach. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 35.

Nelson, R. E., & Gopalan, S. (2003). Do organizational cultures replicate national cultures? isomorphism, rejection and reciprocal opposition in the corporate values of three countries. Organization Studies, 24(7), 1115-1151. doi: 10.1177/01708406030247006

Nierenberg, J., & Ross, I. S. (2003). Os segredos da negociação. São Paulo: Publifolha.

O´Connor, D. J., & Wolfe, D. M. (1987). On managing midlife transitions in career and family. Human Relations, 40(12), 799-816. doi: 10.1177/001872678704001202

Pienta, A. M., & Hayward, M. D. (2002). Who expects to continue working after age 62? The retirement plans of couples. Journal of Gerontology, 57(4), 199-208. doi: 10.1093/geronb/57.4.S199

Pierre Alexander Cosméticos. (2012). Resultado do setor 1122, anos 2011 e 2012. São Paulo. Intranet. Recuperado de http://consultora.pierrealexander.com.br/portal/first.php

Rokeach, M. (1981). Crenças, atitudes e valores: uma teoria de organização e mudança. Rio de Janeiro: Interciência.

Roman, D. J., Piana, J., Lozano, M. A. S. P. L., Mello, N. R., & Erdmann, R. H. (2012). Fatores de competitividade organizacional. Brazilian Business Review, 9(1), 27-46.

Romani, D., Xavier, A., & Kovaleski, J. (2005). Aposentadoria: período de transformações e preparação. Revista Gestão Industrial, 1(3), 91-100. doi: 10.3895/S1808-04482005000300009

Schein, E. H. (1984). Coming to a new awareness of organizational culture. Sloan Management Review, 25(2), 3-16.

Schein, E. H. (2004). Organizational culture and leadership. São Francisco: Jossey-Bass.

Sullivan, S. E., & Baruch, Y. (2009). Advances in career theory and research: a critical review and agenda for future exploration. Journal of Management, 35(6), 1542-1571. doi: 10.1177/0149206309350082

Tuomi, K., Huuhtanen, P., Nykyri, E., & Ilmarinen, J. (2001). Promotion of work ability, the quality of work and retirement. Ocupational Medicine Magazine, 5(5), 318-324. doi: 10.1093/occmed/51.5.318

Vroom, V. H. (1964). Work and motivation. Nova Iorque: John Wiley.

Wanderley, J. A. (1998). Negociação total: encontrando soluções, vencendo resistências, obtendo resultados. São Paulo: Gente.