A consolidação da profissionalização da empresa familiar e o legado do fundador: concepções teóricas e implicações práticas Outros Idiomas

ID:
18381
Resumo:
O ensaio analisa o período de consolidação do processo de profissionalização em empresas familiares. Faz-se um contraponto entre o legado do fundador e os valores emergentes dos novos gestores, utilizando uma perspectiva simbólica. Posições favoráveis e contrárias à gestão familiar são encontradas na literatura. Diante da força da racionalidade instrumental no ambiente empresarial, prevalece a defesa da profissionalização em oposição a uma condição de ausência de racionalidade associada ao gestor familiar. Nesta ótica, a escolha por uma profissionalização da gestão de empresas familiares sofre uma pressão institucional de mercado. Nos casos efetivos de profissionalização, até que a mesma fique consolidada, haverá um embate simbólico entre a imagem e o legado do fundador e os ideais emergentes dos novos líderes. Gestores profissionais possuem assim, um novo front de análise e de subsídio para as suas decisões. Uma discussão sobre estes novas habilidades dos gestores profissionais é realizada.
Citação ABNT:
BARROSO, H. C. M. P.A consolidação da profissionalização da empresa familiar e o legado do fundador: concepções teóricas e implicações práticas. Teoria e Prática em Administração, v. 3, n. 2, p. 27-43, 2013.
Citação APA:
Barroso, H. C. M. P.(2013). A consolidação da profissionalização da empresa familiar e o legado do fundador: concepções teóricas e implicações práticas. Teoria e Prática em Administração, 3(2), 27-43.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/18381/a-consolidacao-da-profissionalizacao-da-empresa-familiar-e-o-legado-do-fundador--concepcoes-teoricas-e-implicacoes-praticas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Bertero, C. Cultura organizacional e instrumentalização do poder. In: Fleury, M.; Fischer, R. (Org.) Cultura e poder nas organizações. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

Leone, N. Sucessão na empresa familiar. São Paulo: Atlas, 2005.

Lodi, J. A Empresa Familiar. 4. ed. São Paulo: Pioneira, 1993.

López A. V.; Ortiz, M.; Quinteros, M.; Moreno, E. La Profesionalización Como Factor de Competitividad: Un Análisis de Las Empresas Familiares del Sector Industrial, en Tijuana, B.C., México. Revista Internacional Administración & Finanzas, 6, 2013.

Martin, J. Culture in Organizations: three perspectives. Ney Yorker: Oxford University Press, 1992.

Muzzio, H. Racionalidades em Jogo em um Processo de Profissionalização Organizacional. Revista de Administração Contemporânea, 16, 2012.

Trice, H. M.; Beyer, J. M. Studying Organizational Cultures through Rites and Ceremonials. Academy of Management Review, v. 09, n. 04, p. 653-669, 1984.

Zilber, T. The Work of the Symbolic in Institutional Processes: translations of rational myths in Israeli high tech. Academy of Management Journal, 49, 2006.

Smircich, L. Concepts of Culture and Organizational Analysis. Administrative Science Quarterly, 28, 1983.

Berger, P.; Luckmann, T. A Construção Social da Realidade. 24. ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2004.

Borges, A.; Lescura, C.; Oliveira, J. O Campo de Pesquisas Sobre Empresas Familiares no Brasil: Análise da Produção Científica no Período 1997-2009. Organização & Sociedade, 19, 2012.

Borges, A.; Lima, J.; Carvalho, F. Interação entre indivíduos, família e empresa na construção do processo de sucessão em uma empresa familiar. XXXII EnANPAD, ANPAD, 2008.

Capelão, L.; Melo, M. Relações de poder no processo de sucessão em empresa familiar: o caso das Indústrias Filizola S/A. XXV EnANPAD, ANPAD, 2001.

Carrieri, A.; Saraiva, L. (Org.) Simbolismo Organizacional no Brasil. São Paulo: Atlas, 2007.

Chittoor R.; Das, R. Professionalization of Management and Succession Performance – a vital linkage. Family Business Review, 20, 2007.

Chrisman, J., Chua, J.; Pearson, A.; Barnett, T. Family Involvement, Family Influence, and Family-Centered NonEconomic Goals in Small Firms. Entrepreneurship: Theory & Practice, 36, 2012.

Chua, J.; Chrisman, J.; Sharma, P. Defining the Family Business by Behavior. Entrepreneurship: Theory & Practice , 23, 1999.

Clarke, C.; Brown, A.; Hailey, V. Working identities? Antagonistic discursive resources and managerial Identity. Human Relations, 62, 2009.

Clercq D. de; Voronov, M. The Role of Cultural and Symbolic Capital in Entrepreneurs’ Ability to Meet Expectations about Conformity and Innovation. Journal of Small Business Management, 47, 2009.

Egan, M.; Bendick JR, M. Combining Multicultural Management and Diversity into One Course on Cultural Competence. Academy of Management Learning & Education, 7, 2008.

Everett, J. Organizational Research and the Praxeology of Pierre Bourdieu. Organizational Research Methods, 5, 2002.

Freitas, M. Cultura Organizacional: Evolução e Crítica. São Paulo: Thomson Learning, 2007. Gagliardi, P. Organizational Symbolism." International Encyclopedia of Organization Studies. 2007.

Gagliardi, P. Organizational Symbolism." International Encyclopedia of Organization Studies. 2007.

Gedajlovic, E.; Lubatkin, M.; Schulze, W. Crossing the threshold from founder management to professional management: A governance perspective. Journal of Management Studies, 41, 2004.

Grzybovski, D.; Hoffmann, P.; Muhl, E. Estratégia e Sucessão na Gestão de Empresas Familiares: um estudo do caso Gerdau. V Encontro de Estudos Organizacionais, ANPAD, 2008.

Guerreiro Ramos, A. A nova ciência das organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. Rio de Janeiro: FGV, 1981.

Hall, A.; Nordqvist, M. Professional Management in Family Businesses: Toward an Extended Understanding. Family Business Review, 21, 2008.

Kuper, A. Cultura: a visão dos antropólogos. Bauru: EDUSC, 2002.

Le Breton-Miller, I.; Miller, D.; Steier, L. Towards an integrative model of effective FOB succession. Entrepreneurship Theory & Practice, 28, 2004.

Lissoni, J.; Pereira, M.; Almeida, M.; Serra, F. Family Business: how Family and ownership shapes business professionalization. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 12, 2010.

Lourenço, C.; Ferreira, P. Simbolismo, Cultura Organizacional e Mito Fundador: um estudo de caso em uma empresa familiar. V Encontro de Estudos Organizacionais, ANPAD, 2008.

Miller, D.; Le Breton-Miller, I. Family Governance and Firm Performance: Agency, Stewardship, and Capabilities. Family Business Review, 19, 2006.

Oliveira, J.; Albuquerque, A.; Pereira, R. Governança, Sucessão e Profissionalização em uma Empresa Familiar: (re)arranjando o lugar da família multigeracional. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 14, 2012.

Pettigrew, A. M. On Studying Organizational Cultures. Administrative Science Quarterly, 24, 1979.

Prestes Motta, F. Cultura e Organizações no Brasil. In: Prestes Motta, F.; Caldas, M. (Org.) Cultura Organizacional e Cultura Brasileira. São Paulo: Atlas, 1997.

SAGE Publications. http://www.sage-ereference.com/organization/Article_n405.html. Gedajlovic, E.; Lubatkin, M.; Schulze, W. Crossing the threshold from founder management to professional management: A governance perspective. Journal of Management Studies, 41, 2004.

Scott, W. Institutions and organizations. 2.ed. Sage Publications, 2001.

Sindhuja, P. Performance and Value Creation: family managed business versus non-family managed business. The IUP Journal of Business Strategy, 06, 2009.

Stablein, R.; Nord, W. Practial ad Emancipatory Interests in Organizational Symbolism: a review and evaluation, Journal of Management, 11, 1985.

Stewart, A.; Hitt, M. Why Can't a Family Business Be More Like a Nonfamily Business?: Modes of Professionalization in Family Firms. Family Business Review, 25, 2012.

Suchman, M. Managing legitimacy: strategic and institutional approaches. Academy of Management Review, 20, 1995.

Vince, R.; Broussine, M. Paradox, defense and attachment: accessing and working with emotions and relations underlying organizational change. Organization Studies, v.1, n.17, p. 1-21, 1996.

Walsh, I.; Glynn, M. The Way Were: legacy organizational identity and the role of leadership. Corporate Reputation Review, 11, 2008.

Yildirim-Oktem, O.; Üsdiken, B. Contingencies versus External Pressure: Professionalization in Boards of Firms Affiliated to Family Business Groups in Late-Industrializing Countries. British Journal of Management, 21, 2010.

Zhang, J., MA, H. Adoption of professional management in Chinese family business: A multilevel analysis of impetuses and impediments. Asia Pacific Journal Management, 26, 2009.