Inovação social, prazer e sofrimento no trabalho: o caso do Projeto Mandalla no Ceará Outros Idiomas

ID:
19833
Resumo:
O objetivo deste artigo é deslindar a contribuição do projeto Mandalla para a construção de sentido e significado do trabalho para o agricultor familiar. Consiste em um estudo exploratório-descritivo, de natureza qualitativa, por meio de análise de relatórios, de vídeos e de entrevistas. Os resultados apontam que o Projeto Mandalla é uma Inovação Social que potencializa o prazer no trabalho, à medida que aumentam o sentimento de pertença do trabalhador rural, suas relações sociais e a percepção de significância de seu labor, contribuindo para evitar sua migração para os centros urbanos, além de fortalecer a agricultura familiar.
Citação ABNT:
COSTA, J. S.; BASTOS, G. M. F.; LIMA, B. C. C.; SILVA FILHO, J. C. L. Inovação social, prazer e sofrimento no trabalho: o caso do Projeto Mandalla no Ceará. Administração Pública e Gestão Social, v. 6, n. 1, p. 11-18, 2014.
Citação APA:
Costa, J. S., Bastos, G. M. F., Lima, B. C. C., & Silva Filho, J. C. L. (2014). Inovação social, prazer e sofrimento no trabalho: o caso do Projeto Mandalla no Ceará. Administração Pública e Gestão Social, 6(1), 11-18.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/19833/inovacao-social--prazer-e-sofrimento-no-trabalho--o-caso-do-projeto-mandalla-no-ceara/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Carneiro, M. J. (1997). Política pública e agricultura familiar: uma leitura do Pronaf. Estudos Sociedade e Agricultura, 8 (4), 70-82.

Centre de recherche sur les innovations sociales [CRISES]. (2004). An Introduction to Crises. Montréal: Université du Québec au Montréal

Cloutier, J. (2003). Qu´est-ce que l´innovation sociale? Cahierde recherche du CRISES, n. ET0314, Montreal: UQAM.

Codo, W.C. (2006). Um diagnóstico do trabalho: em busca do prazer. In: Codo, W.C., R. M., Tadeschi, M. A., Alchieri, J. C. e Hoffman, M. H. (Org.), Por uma psicologia do trabalho: ensaios recolhidos. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado do Ceará.Estado libera R$ 4,5 milhões para municípios do Cariri. (2010). Recuperado em 11/05/2013, de http://www.ceara.gov.br/salade-imprensa/noticias/884-estado-libera-r-45-milhoes-para-municipios-do-cariri

Costa, J. S., Maia, A. B. G. R., de Freitas, A. R. P., Silva Filho, J. C. L., de Abreu, M. C. S., Teixeira Filho, M. C. T. (2013). Social technology as a sustainable public policy: The Mandalla Project in Ceará. Journal of Technology Management and Innovation, 8 (SPL.ISS.2), 177-187.

Cristophe, D. (2007). A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Dagnino, E. (1996). Cultura Politica e Democracia. Revista Brasileira de Ciencias Sociais, 32, 182-184.

Dagnino, R., Brandao, F. C., Novaes, H. T. (2004). Sobre o marco analítico-conceitual da tecnologia social. In: De Paulo, C. J. Mello, L. Nascimento Filho e T. Koracakis (Eds.), Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento (pp. 18-64). Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil.

Decreto nº 1.946, de 28 de junho de 1996. (1996) Cria o programa nacional de fortalecimento da agricultura familiar - PRONAF, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Presidência da República.

Dejours, C. (1992). A loucura do trabalhador: estudo de psicopatologia do trabalho. 5.ed. São Paulo: Cortez.

Dejours, C. (2004). Subjetividade, trabalho e ação. Revista Produção, 14 (3), 027-034.

Dosi, G. (1988). Institutions and markets in a dynamic world. The Manchester School, 56(2), 119-146.

Freire, L. C.; Bastos, A. V. B. (2000). Tendências de transformação no mundo do trabalho: uma análise da dinâmica ocupacional brasileira. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 35 (3), 48-59.

Freitas, H. M.R., Janissek, R. (2000). Análise léxica e análise de conteúdo: técnicas complementares, sequenciais e recorrentes para exploração de dados qualitativos. Porto Alegre: Sagra Luzzatto.

Freud, S. O mal-estar na civilização [1930]. (1976). In: Edição Standard brasileira das Obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Vol. XXI. Rio de Janeiro: Editora Imago.

Gariglio, M. A., Sampaio, E., Cestaro, L.A., Kageyama, P. (2010). Uso sustentável e conservação dos recursos naturais da caatinga. Brasília: Serviço Florestal Brasileiro.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Greenfield, G. (2009). Lampião, Luiz and Padim Ciço: three icons of the Brazilian Northeast. Memory Studies, 2 (3), 393-410.

Grieve, R. H. (2004). Appropriate technology in a Globalizing World. International Journal of Technology Management and Sustainable Development, 3 (3), 173–187.

Guimaraes, F. A. L., Martins, M. do C. F. (2010). Valores e prazer-sofrimento no trabalho: um estudo com profissionais de nível superior. Estud. psicol., 27 (2), 133-145.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. (2006). Censo agropecuário 2006. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Instituto de Tecnologia Social [ITS]. (2004). Reflexões sobre a construção do conceito de tecnologia social. In: De Paulo, C. J. Mello, L. Nascimento Filho e T. Koracakis (Eds.), Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento(pp. 117-134). Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil.

Küster, A., Martí, J. F., Melchers, I. (2006). Tecnologias apropriadas para terras secas: manejo sustentável de recursos naturais em regiões semi-áridas no nordeste do Brasil. Fortaleza: Fundação Konrad Adenauer.

Maciel, A. L. S.; Fernandes, R. M. C. (2011). Tecnologias sociais: interface com as políticas públicas e o serviço social. Revista Serv. Soc. (São Paulo), 105(1), 146-165.

Mendes, A. M. (2007). Da psicodinâmica a psicopatologia do trabalho. In: MENDES, A. M. (org.) Psicodinâmica do trabalho: teoria, métodos e pesquisas. São Paulo: All Books.

Mendes, A. M.; Tamayo, A. (2001) Valores organizacionais e prazer-sofrimento no trabalho. PSICO-USF, 6 (1), 39-46.

Merlo, Á. R. C., Vaz, M. A., Spode, C. B., Elbern, J. L. G., Karkow, A. R. M., Vieira, P. R. B. (2003). O trabalho entre prazer, sofrimento e adoecimento: a realidade dos portadores de lesões por esforços repetitivos. Psicologia Sociedade, 15 (1), 117-136.

Mesiano, A., Dias, R. (2008). A Tecnologia Social como estratégia para o desenvolvimento sustentável: o caso da Mandalla.Artigo apresentado na VII Jornadas Latino-Americanas de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias - ESOCITE, Rio de Janeiro. Acessado 11/05/1011, em http://www.necso.ufrj.br/esocite2008/resumos/36047.htm

Morin, E. M. (2001). Os sentidos do trabalho. Revista de Administração de Empresas (São Paulo), 41(3), 8-19.

Morin, E. M. (2007). Sens du travail, santé mentale au travail et engagement organisationnel. Cahier de Recherche (Montréal), 543, 99-193.

Moulaert, F., Martinelli, F., Swyngedouw, E., Gonzalez, S. (2005). Towards alternative model(s) of local innovation. Urban Studies, 42(11), 1969-1990.

Nelson, D. R.; Finan, T. J. (2009). Praying for drought: persistent vulnerability and the politics of patronage in Ceará, Northeast Brazil. American Anthropologist, 111 (3), 302-316.

Offe, C. (1989). Capitalismo desorganizado. Rio de Janeiro: Brasiliense

Oliveira, Otávio J. (2008). Gestão da qualidade: tópicos avançados: São Paulo: Thomson

Pol, E., Ville, S. (2009). Social innovation: Buzz word or enduring term? Journal of Socio-Economics, 38(6), 878-885.

Porto, J. B.; Tamayo, A.(2003) Escala de valores relativos ao trabalho EVT. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19(2), 145-152.

Record News Rural [RNR]. (Producer). (2010). Ceará: benefícios do projeto Mandalla. Recuperado em 11/05/2011, de http://www.youtube.com/watch?v=Y1kDE10BWtw

Rede de Tecnologia Social [RTS]. (2010). Tecnologia Social: Mapeadas pela RTS. Recuperado em 12/05/2011, de http://www.rts.org.br/rts/tecnologia-social/apoiadas-pela-rts

Rede de Tecnologia Social [RTS]. (2010). Tecnologias sociais vencem prêmio ODM. Recuperado em 15/05/2011, de http://www.rts.org.br/noticias/destaque-2/tecnologias-sociais-vencem-premio-odm

Resende, S. (2003). Vivências de prazer e sofrimento no trabalho bancário: o impacto dos valores individuais e das variáveis demográficas. (Dissertação de mestrado), Universidade de Brasília.

Richardson, R. J. (2008) Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Rocha, S. R. A. (2003). O pior é não ter mais profissão, bate uma tristeza profunda: sofrimento, distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho e depressão em bancários. (Dissertação de mestrado), Universidade de Brasília.

Sachs, I. (2004). Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond.

Schumpeter, J. A. (1934); The theory of economic development. Cambrigde: Harvard University Press.

Souza, M. G.; Vasconcelos, L. C.; Borges-Andrade, J. (2009). Pesquisa sobre mudança nas organizações: a produção brasileira em micro comportamento organizacional. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 9(2), 32-46.

Strange, M. (2008). Family farming: a new economic vision. Lincoln: University of Nebrasca Press.

Taylor, J. B. (1970). Introducing Social Innovation. Journal of Applied Behavioral Science, 6(1), 69-77.

Veras, V. S. (2006). Relações sociais de trabalho e custo humano da atividade: vivências de mal-estar e bem-estar em serviço de tele atendimento governamental. (Dissertação de mestrado), Universidade de Brasília.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.