Cultura de inovação: elementos da cultura que facilitam a criação de um ambiente inovador Outros Idiomas

ID:
19945
Resumo:
Este artigo analisa a relação entre cultura e inovação por meio da percepção dos atores organizacionais, tendo como foco a delimitação de nove elementos da cultura que influenciam a inovação organizacional. A pesquisa caracterizou-se como exploratória e descritiva, com método quantitativo. A população é composta por professores de uma Instituição de Ensino Profissionalizante (IEP) de Santa Catarina e a amostra foi de 339 respondentes. O instrumento de coleta se constituiu em um questionário com 100 perguntas fechadas em escala Likert de 5 pontos, divididas em 9 elementos da cultura organizacional: valores; crenças e pressupostos; ritos, rituais e cerimônias; estórias e mitos; normas; comunicação; heróis; tabus; e, artefatos e símbolos. Os dados foram tratados por meio de Modelagem de Equações Estruturais (MEE), no intuito de medir as correlações causais entre elementos da cultura que facilitam à inovação. Os resultados indicam que a IEP possui um ambiente propício à inovação com uma forte caracterização em 8 elementos da cultura. Como conclusões, os dados quantitativos comprovam resultados sobre cultura organizacional que, até o momento, somente foram citados em pesquisas qualitativas. Valores, Crenças e Pressupostos foram os elementos que, por meio de simulação e com correlações significativas, se apresentaram como exógenos, ou seja, preditores de outros elementos da cultura organizacional. Além disso, em análises mais aprofundadas se verificou que as crenças e pressupostos foram preditores na criação de heróis e que estes impactaram na criação da comunicação organizacional.
Citação ABNT:
MACHADO, D. D. P. N.; GOMES, G.; TRENTIN, G. N. S.; SILVA, A. Cultura de inovação: elementos da cultura que facilitam a criação de um ambiente inovador. Innovation and Management Review, v. 10, n. 4, p. 164-182, 2013.
Citação APA:
Machado, D. D. P. N., Gomes, G., Trentin, G. N. S., & Silva, A. (2013). Cultura de inovação: elementos da cultura que facilitam a criação de um ambiente inovador. Innovation and Management Review, 10(4), 164-182.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/19945/cultura-de-inovacao--elementos-da-cultura-que-facilitam-a-criacao-de-um-ambiente-inovador/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Afuah, A. (2003). Innovation mangement: strategies, implementation and profits. New York: Oxford University Press.

Ahmed, K. P. (1998). Culture and climate for innovation. European Journal of Innovation Management, 1(1), 30-43.

Barbetta, P. A. (2001). Estatística aplicada às ciências sociais. 4. ed. Florianópolis: Editora da Universidade Federal de Santa Catarina.

Barbieri, J. C. (2003). Organizações inovadoras: estudos e casos brasileiros. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Bruyne, P., Herman, J., Schoutheete, M. (1977). Dinâmica da Pesquisa em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: F. Alves.

Clark, B. R. (1972). The organizational saga in higher education. Administrative Science Quarterly, 17(1), 178-183.

Dandridge, T. C., Mitroff, I., Joyce, W. F. (1980). Organizational symbolism: A topic to expand organizational analysis. Academy of Management Review, 5(2), 77-82.

Drejer, I. (2004). Identifying innovation in surveys of services: a Schumpeterian perspective. Research Policy, 33(3), 551-562.

Fischer, T., Allister, M. M. (2001). Nota técnica: jogando com cultura organizacional. In. CLEGG, S. R., Hardy, C., Nord, W. R., Caldas, M., Fachin, R., Fischer, T. Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas.

Freitas, M. E. (1991). Cultura organizacional: formação, tipologias e impactos. São Paulo: Makron, McGraw-Hill.

Freitas, M. E. (1991). Cultura organizacional grandes temas em debate. Revista de Administração de empresas, 31(3), 73-82.

Gephart, R. J. (1978). Status degradation and organizational succession: An ethnomethodological approach. Administrative Science Quarterly, 23(3), 553-581.

Hair, Joseph F. Jr., Black, William C., Babin, Barry J. Anderson, Rolph E., Tatham, Ronald L. (2005). Análise multivariada de dados. 5a ed. Porto Alegre: Bookman.

Hargadon, A., Sutton, R. (2000). Building an Innovation Factory. Harvard Business Review, 78(3), 157-166.

Hartmann, A. (2006). The role of organizational culture in motivating innovative behavior in construction fi rms. Construction Innovation, 6(3), 59-172.

Hayes, R. H., Wheelwright, S. C. (1984). The Concept of Manufacturing Strategy: Restoring Our Competitive Edge: Competing Through Manufacturing. 1. ed. New York: John Wiley & Sons.

Jacobson, R. (1992). The “Austrian” school of strategy. The Academy of Management Review, 17(4), 782-807.

Knox, S. (2002). The boardroom agenda: developing the innovative organization. Corporate Governance, 2(1), 27-36.

Laraia, R. B. (2002). Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

Loesch, C., Hoeltgebaum, M.. (2005). Métodos estatísticos multivariados aplicados à economia de empresas. Blumenau: Nova Letra.

Machado, D. P. N. (1996). A Utilização dos Ritos e Rituais Organizacionais para Incorporação dos Conceitos da Qualidade. Revista de Negócios, 2(2), 07-16.

Machado, D. P. N. (1997). O Impacto da Qualidade Total sobre a Cultura da Empresa Gama. Revista Dynamis, 4(2), 51-84.

Machado, D. P. N. (1997). O impacto da qualidade total sobre a cultura têxtil. Revista de Negócios, 2(1), 07-15.

Machado, D. P. N. (2004). Inovação e cultura organizacional: um estudo dos elementos culturais que fazem parte de um ambiente inovador. 2004. Tese de doutorado em Administração de Empresas, Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. São Paulo, SP, Brasil.

Machado, D. P. N. (2007). Organizações Inovadoras: Estudo dos fatores que formam um ambiente inovador. RAI. Revista de Administração e Inovação, 4(2), 1-35.

Machado, D. P. N. (2008). Organizações Inovadoras: estudo dos principais fatores que compõem um ambiente inovador. Revista Alcance, 15(4), 1-16.

Machado, D. P. N., Giombelli, V.. (1998). A utilização da cultura organizacional na introdução de conceitos de preservação ambiental aos empregados de Empresas da região de Blumenau. Revista de Negócios, 3(1), 27-34.

Machado, D. P. N., Lehmann, C. A., Araújo, B. (2008). Organização e cultura de inovação: elementos concretos e fatores percebidos. Revista Alcance, 15(4), 1-16.

Machado, D. P. N., Vasconcellos, M. A. (2005). Inovação e Ambiente: o envolvimento da cultura no direcionamento organizacional In: 4th International conference of iberoamerican academy. Lisboa: Universidade Livre de Lisboa.

Machado, D. P. N., Vasconcellos, M. A. (2007). Organizações Inovadoras: existe uma cultura específica que faz parte deste ambiente? Revista de Gestão USP - REGE, 14(5), 1-15.

Meyer, J. W., Rowan, B. (1977). Institutionalized organizations: Formal structure, myth, and ceremony. American Journal of Sociology, v. 83, p. 340-361.

Mitroff, I., Emshoff, J. R., Kilmann, R. H. (1979). A Methodology for Strategic Problem Solving. Management Science. 25(6), 583-593.

Naranjo-Valencia, J C., Jiménez, D. J., Sanz-Valle, R. (2011). ¿Es la cultura organizativa un determinante de la innovación en la empresa? Cuadernos de Economía y Dirección de la Empresa, 14(3), 1-10

O’Reilly III, C. A., Chatman, J. ,Caldwell, D. F. (1991). People and Organizational Culture: a profile comparison approach to assessing person-organization fit. Academy of Management Journal, 34(3), 487-516.

Papaconstantinou, G. (1997). Technology and industrial performance. The OECD Observer. 204(6), 6-10.

Pettigrew, A. M. (1979). On studying organizational cultures. Administrative science quarterly, 24(4), 570-581.

Putnam, L., P., N., Chapman, P. (2004). Metáforas da Comunicação e da Organização. In.: Clegg, Stewart R., Hardy, C., & Nord, W. R. Handbook de Estudos Organizacionais: ação e análise organizacionais. São Paulo: Atlas.

Richardson, R. J. (1989). Pesquisa Social: Métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Rogers, E. M., Shoemaker, F.F. (1971). Communication of innovations. New York: Free Press.

Schein, E. H. (1984). Coming to a new awareness of organizational culture. Sloan Management Review. 25(2), 3-16.

Schumpeter, J.A. (1985). A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril.

Trice, H. M.; Belasco, J., ALUTTO, J. (1969). The role of ceremonials in organizational behavior. Industrial and Labor Relations Review, 23(2), 40-51.

Trompenaars, Fons. (1994). Nas ondas da cultura: Como entender a diversidade cultural nos negócios. São Paulo: Educator.

Van De Ven, A.H. (1986). Central Problems in the Management of Innovation. Management Science, 32(5), 590-607.

Van De Ven, A. H., Angle, H. L., Poole, M. S. (2000). Research on the management of innovation: the Minnesota studies. New York: Oxford University Press.

Zhuang, L., Williamson, D., Carter, M. (1999). Innovate or liquidate: are all organizations convinced? A two-phased study into the innovation process. Management Decision. 37(1), 67-71.