Custo histórico e custo histórico corrigido: um estudo das empresas brasileiras

ID:
20279
Resumo:
A contabilidade brasileira desenvolveu, ao longo das décadas de 1970 a 1990, um conjunto de mecanismos para o tratamento das informações diante da variação de preços da economia. A inflação anual, nesse período, calculada pelo índice geral de preços da Fundação Getúlio Vargas, Com a existência de mecanismos de correção monetária de preços e salários (indexação), esse aumento na inflação persistiu nos anos seguintes, chegando aos três dígitos de inflação anual em 1980 e aos quatro dígitos oito anos depois. Os mecanismos de correção montaria também alcançaram as demonstrações contábeis. Esse mecanismo foi instituído para as demonstrações através da Lei n. 6.404, de 1976, que regulamentava as sociedades por ações e ficou conhecido como correção monetária de balanços. O objetivo desse trabalho é tentar verificar se a utilização do CHC provoca diferença representativa em termos estatísticos. O teste de correlação mostrou existir uma alta correlação entre as informações produzidas pelo CH e pelo CHC. Finalmente, poder-se-ia aumentar o conjunto de variáveis utilizadas na pesquisa, de forma a analisar os efeitos da ausência da correção das informações contábeis sobre o nível de endividamento, a liquidez empresarial, a lucratividade operacional etc.
Citação ABNT:
SILVA, C. A. T.Custo histórico e custo histórico corrigido: um estudo das empresas brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 5, n. 1, p. 37-47, 2002.
Citação APA:
Silva, C. A. T.(2002). Custo histórico e custo histórico corrigido: um estudo das empresas brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança, 5(1), 37-47.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/20279/custo-historico-e-custo-historico-corrigido--um-estudo-das-empresas-brasileiras/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português