O tratamento contábil das administradoras e grupos de consórcios no Brasil

ID:
20305
Resumo:
O presente artigo objetiva analisar, criticar, mostrar a existência de dissonância entre determinados critérios e procedimentos estabelecidos pelas normas em vigor para elaboração das demonstrações contábeis das administradoras e das operações dos grupos de consórcios e os princípios fundamentais de contabilidade, em especial, da entidade continuidade, oportunidade e competência, estes, enunciados pela Resolução CFC 750, de 29 de dezembro de 1993 (CFC, 2000, p.29) e finalmente, propor novos modelos de demonstrações contábeis com a finalidade de expressar adequadamente a situação patrimonial e financeira das administradoras e das operações dos grupos de consórcios. A premissa básica fundamenta-se no fato da dissonância entre a teoria – princípios – e a prática contábil – normas.
Citação ABNT:
CARVALHO, D. G.O tratamento contábil das administradoras e grupos de consórcios no Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 4, n. 2, p. 69-107, 2001.
Citação APA:
Carvalho, D. G.(2001). O tratamento contábil das administradoras e grupos de consórcios no Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, 4(2), 69-107.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/20305/o-tratamento-contabil-das-administradoras-e-grupos-de-consorcios-no-brasil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português