Evidências empíricas de modelos de estimação do custo do capital próprio

ID:
20532
Resumo:
Este artigo investiga se existem diferenças estatisticamente significantes entre os valores estimados para o custo de capital próprio de empresas brasileiras através de 4 modelos e suas variantes: Gordon, CAPM, APM e Ohlson-Juettner. Para isso, foi utilizada uma amostra em cross-section de 34 empresas que fizeram parte do Ibovespa em 29/12/2005. Os resultados encontrados não permitem dizer que a escolha do modelo é indiferente com relação ao resultado da estimação do custo de capital próprio, com isso, a hipótese metodológica foi rejeitada. Com relação aos modelos, os baseados em projeções de lucros e dividendos, notadamente os modelos OJ e de Gordon, resultam em valores médios equivalentes entre si e fora os que mais se igualaram em relação aos outros. Finalmente, é importante comentar a superioridade teórica do modelo OJ, dado que este é desenvolvido com um menor número de premissas e de maneira analítica, com relação ao modelo de Gordon e ao modelo de Gordon & Gordon.
Citação ABNT:
MARTINS, E.; GALDI, F. C.; LIMA, G. A. S. F.; NECYK, G. A.; ABE, C. H. S. Evidências empíricas de modelos de estimação do custo do capital próprio. Brazilian Business Review, v. 3, n. 2, p. 137-156, 2006.
Citação APA:
Martins, E., Galdi, F. C., Lima, G. A. S. F., Necyk, G. A., & Abe, C. H. S. (2006). Evidências empíricas de modelos de estimação do custo do capital próprio. Brazilian Business Review, 3(2), 137-156.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/20532/evidencias-empiricas-de-modelos-de-estimacao-do-custo-do-capital-proprio/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português