Assédio moral nas organizações: percepção dos gestores de pessoas sobre danos e políticas de enfrentamento Outros Idiomas

ID:
2133
Resumo:
O presente trabalho teve por objetivo maior levantar a percepção de gestores de pessoas de grandes empresas do norte do Paraná sobre a temática do assédio moral. Os aspectos centrais tratados foram: conhecimento sobre o tema; efeitos danosos de sua existência e políticas inibidoras. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os gestores de recursos humanos de sete empresas de diferentes ramos de atividade. A pesquisa demonstrou que há sim conhecimento por parte dos gestores sobre o que é e quais são os principais efeitos do assédio moral sobre as pessoas e as organizações. Todavia, um aspecto negativo evidenciou-se, mesmo conhecedoras das consequências negativas do assédio moral, as empresas participantes da pesquisa não possuem políticas inibidoras de seu acontecimento no ambiente de trabalho. Os entrevistados relataram ainda que preferem não explicitar nem discutir abertamente problemas com assédio junto a seus funcionários, questão contrária ao pensamento vigente de autores que tratam o tema.
Citação ABNT:
TEIXEIRA, R. F.; MUNCK, L.; REIS, M. C. D. Assédio moral nas organizações: percepção dos gestores de pessoas sobre danos e políticas de enfrentamento. Revista Gestão Organizacional, v. 4, n. 1, art. 2, p. 30-48, 2011.
Citação APA:
Teixeira, R. F., Munck, L., & Reis, M. C. D. (2011). Assédio moral nas organizações: percepção dos gestores de pessoas sobre danos e políticas de enfrentamento. Revista Gestão Organizacional, 4(1), 30-48.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/2133/assedio-moral-nas-organizacoes--percepcao-dos-gestores-de-pessoas-sobre-danos-e-politicas-de-enfrentamento/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARRETO, Margarida. Assédio moral no trabalho: uma odisséia de sofrimento e incertezas. In: NUNES SOBRINHO, Francisco de Paula; NASSARALLA, Iara (Org.). Pedagogia institucional: fatores humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Zit, 2004.

BIRMAN, J. O assédio na atualidade e seus jogos de verdade. Revista do Departamento de Psicologia da UFF, v. 17, n. 1, jan./jun. 2005.

EINARSEN, S. The nature, causes and consequences of bullying at work: the Norwegian experience. Pistes, v. 7, nov. 2005. Disponível em: . Acesso em: 19 nov.010.

FREITAS, Maria Ester de. Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 41, n. 2, p. 8-19, abr./jun. 2001. Disponível em: . Acesso em: 11 mar.2009. 2001

FREITAS, Maria Ester de. Quem paga a conta do assédio moral no trabalho. RAE-eletrônica, v. 6, n. 1, art. 5, jan./jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 26 mar.2009. 2007

FREITAS, Maria Ester de; HELOANI, Roberto; BARRETO, Margarida. Assédio moral no trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2008. (Coleção Debates em Administração). 2008.

HELOANI, Roberto. Assédio moral: um ensaio sobre a expropriação da dignidade no trabalho. RAE-eletrônica, São Paulo, v. 3, n. 1, 2004. Disponível em: . Acesso em: 17 mar.2009. 2004.

HELOANI, Roberto. Fator humano: violência invisível. RAE-executivo, São Paulo, v. 2, n. 3, 2003. Disponível em: . Acesso em: 03 abr.2009. 2003.

HIRIGOYEN, M. F. Assédio moral: a violência perversa no cotidiano. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

HIRIGOYEN, M. F. Mal-estar no trabalho: redefinindo o assédio moral. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

MACIEL, Regina Heloisa et al. Auto relato de situações constrangedoras no trabalho e assédio moral nos bancários: uma fotografia. Psicologia & Sociedade, v. 19, n. 3, p. 117-128, 2007.

O’LEARY-KELLY, A.; GRIFFIN, R.; GLEW, D. J. Organization-motivated aggression: a research framework. Academy of management review, v. 21, n. 1. p. 225-253, 1996.

OIT. Un informe de la OIT estudia la salud mental em el trabajo en Alemania, Estados Unidos, Finlandia, Polonia y Reino Unido. Comunicados de prensa 2000, Ginebra, 2000. OIT 37. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2010. 2000.

PALÁCIOS, M. et al. Relatório preliminar de pesquisa, violência no trabalho no setor saúde – Rio de Janeiro – Brasil. Instituto de Estudo em Saúde Coletiva, UFRJ. Rio de Janeiro, 2002. Disponível em: . Acesso em: 15 maio2007. 2002.

PAROSKI, Mauro Vasni. Assédio moral no trabalho. Jus Navigandi, v. 10, n. 1196, 2006. Disponível em: . Acesso em: 23 abr.2009. 2006

QUADROS, Dante; TREVISAN, Rosi Mary. Comportamento organizacional. Gestão do Capital Humano, v. 5, p. 1-15, 2002. (Coleção Gestão Empresarial). Disponível em: . Acesso em: 24 nov.2008. 2002.

SCANFONE, L.; TEODÓSIO, A. S. S. Assédio moral nas organizações: novas roupagens para uma antiga temática? E & G Economia e Gestão, Belo Horizonte, v. 4, n. 7, p. 71-80, jun. 2004.

SINA, Amália. A outra face do poder. São Paulo: Saraiva, 2007.

SINDICATO DOS QUÍMICOS E PLÁSTICOS DE SÃO PAULO E REGIÃO. Assédio moral: violência psicológica que põe em risco sua vida. 2. ed. São Paulo. n. 6, jun. 2003. (Coleção Saúde do Trabalhador)

TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2000.