Influência do perfil empreendedor na gestão de uma instituição de ensino Outros Idiomas

ID:
22798
Resumo:
Este artigo trabalhou o conceito de perfil de um empreendedor e relacionou-o ao sucesso de um empreendimento por meio de um da análise das características empreendedoras descritas por McClelland (1971). A empresa pesquisada foi o Instituto Praetorium e o foco foi analisar as ações que proporcionaram a sobrevivência e crescimento nos 14 anos de sua existência. Os resultados apontaram para uma relação entre o perfil e características empreendedoras do empreendedor Dr. Nelson, sujeito da pesquisa, com o sucesso da organização. Por meio de seu relato pôde-se relacionar as características comportamentais de um empreendedor de sucesso com suas ações que podem ter contribuído para a sobrevivência do Instituto por 14 anos. Percebe-se que o estudo do perfil pode caracterizar, neste caso, uma empresa de sucesso influenciado pelo seu empreendedor. Apesar de reconhecer as limitações do estudo e da escolha metodológica, verifica-se que a partir dos resultados podem-se indicar novas pesquisas e questionamentos no sentido de estudar a relação entre sucesso empresarial e perfil empreendedor.
Citação ABNT:
MUYLDER, C. F.; FALCE, J. L.; PIRES, A. M. Influência do perfil empreendedor na gestão de uma instituição de ensino. Amazônia, Organizações e Sustentabilidade, v. 2, n. 2, p. 7-18, 2013.
Citação APA:
Muylder, C. F., Falce, J. L., & Pires, A. M. (2013). Influência do perfil empreendedor na gestão de uma instituição de ensino. Amazônia, Organizações e Sustentabilidade, 2(2), 7-18.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/22798/influencia-do-perfil-empreendedor-na-gestao-de-uma-instituicao-de-ensino/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ADAM, J. M.; REVAZ, F. A análise da narrativa. Lisboa: Gradiva, 1997.

ALBERTI, V. História oral: a experiência do CPDOC. Rio de Janeiro: Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, 1989.

Alvarez, Sharon A., Barney, Jay B. How Do Entrepreneurs Organize Firms Under Conditions of Uncertainty. Jounal of Management. v. 31, p. 776, 2005.

CASSON, M.; YEUNG, B.; BASU, A.; WADESON, NIGEL The Oxford Handbook of Entrepreneurship. London: Oxford University Press, 2006.

CIELO, I. D. Perfil do pequeno empreendedor: uma investigação das características empreendedoras nas empresas de pequena dimensão. 1992. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, 2001.

DEGEN, R. J. O empreendedor: empreender como opção de carreira. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

DEGEN, R. J. O empreendedor: fundamentos da iniciativa empresarial. São Paulo: McGraw-Hill, 1989.

DOLABELA, F. O segredo de Luisa. Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

DRUCKER, Peter Ferdinand. Inovação e espírito empreendedor: prática e princípios. Trad. Carlos Malferrari. São Paulo: Pioneira, 2002.

FILION, L. J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 5-28, abr./jun. 1999.

FONTENELLE, Caio Julio de Souza ; HOELTGEBAUM, M. A. Influência do perfil empreendedor dos franqueados no desempenho organizacional. Revista de Negócios, Blumenau, v. 14, n.4, p. 1-25, 2006.

HISRICH, Robert D.; PETERS, Michael P.; SHEPERD, Dean A. Empreendedorismo. 7.ed. Tradução Tereza F. Souza. Porto Alegre: Bookman, 2009.

LANDES, D. S.; MOKYR, J.; BAUMOL, W. J. A origem das corporações: uma visão histórica do empreendedorismo da Mesopotâmia aos dias atuais. Rio de Janeiro: Campus, 2010.

McCLELLAND, D. C. A sociedade competitiva: realização e progresso social. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1972.

McCLELLAND, D. C. The achieving society. Van Nostrand: Princeton, 1961.

RICKETTS, M. Theories of entrepreneurship: Historical development and critical assessment. In: CASSON, M.; YEUNG, B.; BASU, A.; WADESON, NIGEL The Oxford Handbook of Entrepreneurship.London: Oxford University Press, 2006. p. 33-58.

SCHUMPETER, J. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril, 1985.

SCHUMPETER, J. A. A teoria do desenvolvimento econômico. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SEBRAE. Manual empreetec: manual do instrutor. Brasília: Sebrae, 2009.

SEBRAE. Relatório GEM 2008. Brasília: Sebrae, 2008.

SOUZA, P., MULLA, Z. R. Can an entrepreneurial personality compensate for a boring job? The influence of proactive personality and job characteristics on employee engagement levels. Journal of Entrepreneurship, v. 20, p. 207-226, 2011.

TEIXEIRA, R. M.; DUCCI, N. P. C.; SARRASSINI, N. S.; MUNHÊ, V. P. C.; DUCCI, L. Z. Empreendedorismo jovem e a influência da família: a história de vida de uma empreendedora de sucesso. REGE São Paulo, v. 18, n.1, p. 3-18, jan./mar. 2011.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

WALKER, J. K., JEGER, M., KOPESCKI, D.. The Role of Perceived Abilities, Subjective Norm and Intentions in Entrepreneurial Activity. The Journal of Entrepreneurship. v. 22, p. 181-202, 2013.