A composição do endividamento das empresas brasileiras de capital aberto: um estudo empírico Outros Idiomas

ID:
23428
Resumo:
Este artigo examina os principais determinantes de colocação privada versus oferta pública de dívida por parte de empresas com ações negociadas em bolsa. Os principais resultados foram que empresas que possuam grande proporção de ativos fixos com relação ao total de ativos – e por isso, sujeitos a custos maiores em caso de liquidação – tendem a demandar uma maior porcentagem de colocações privada de dívida. Outro resultado indica que as decisões sobre o nível global do endividamento e da sua composição estão inter-relacionadas. Quanto maior o exigível de longo prazo, maior a probabilidade que a empresa diversifique as suas fontes de financiamento, aumentando a proporção de oferta pública de dívida. Isto evidencia que empresas que apresentam decréscimo de assimetria de informação, a oferta pública de dívida aumenta. O papel das economias de escala no processo de composição do endividamento é bastante reduzido, para a amostra em questão, e as variáveis construídas para mensurar o grau de assimetria de informação se mostraram pouco significantes.
Citação ABNT:
LUCINDA, C.; SAITO, R. A composição do endividamento das empresas brasileiras de capital aberto: um estudo empírico. Revista Brasileira de Finanças, v. 3, n. 2, p. 173-193, 2005.
Citação APA:
Lucinda, C., & Saito, R. (2005). A composição do endividamento das empresas brasileiras de capital aberto: um estudo empírico. Revista Brasileira de Finanças, 3(2), 173-193.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/23428/a-composicao-do-endividamento-das-empresas-brasileiras-de-capital-aberto--um-estudo-empirico/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Diamond, D. (1984). Financial intermediation and delegated monitoring. Review of Economic Studies, pages 393–414.

Diamond, D. (1989). Reputation acquisition in debt markets. Journal of Political Economy, 97:828–861.

Diamond, D. (1991). Monitoring and reputation: The choice between bank loan and directly placed debt. Journal of Political Economy, 99:1367–1400.

Fazzari, S., Hubbard, R. G., & Petersen, B. C. (1988). Financing constraints and corporate investment. Brookings Papers on Economic Activity, 1:141–195.

FGV/EAESP, S˜ao Paulo. Rajan, R. G. (1992). Insiders and outsiders: The choice between informed and arm’s lenght debt. The Journal of Finance, 47(4):1367–1400.

Hart, O. (1995). Firms, Contracts, and Financial Structure. Clarendon Press, Cambridge, Oxford.

Johnson, S. A. (1997). An empirical analysis of corporate debt ownership structure. Journal of Financial and Quantitative Analysis, 32(1):47–69.

Krishnaswami, S., Spindt, P. A., & Subramanian, V. (1999). Information asymmetry, monitoring, and the placement structure of corporate debt. Journal of Financial Economics, 51:407–444.

Lucinda, C. R. (2004). O endividamento das empresas brasileiras: Três ensaios em finanças e economia. Tese de Doutorado em Economia de Empresas -

Wooldridge, J. M. (2002). Econometric Analysis of Cross-Section and Panel Data. The MIT Press, Cambridge.