Administração pública e políticas públicas Outros Idiomas

ID:
2420
Resumo:
Análise da incorporação das políticas públicas (PP) pela administração pública (AP),nos EUA e no Brasil. O trabalho se baseia em: a) balanços sobre a evolução da APe do campo de estudos de políticas públicas; b) análise da produção sobre PP em periódicos de AP; c) análise do currículo de cursos de mestrado em AP. Inicialmente,nos EUA, as PP não foram objeto da AP, dado o paradigma que presidiu a criaçãoda disciplina, o da administração científica, que dissociava administração e política.Nos anos 1960 e 1970, o movimento de análise de políticas públicas levou à constituiçãode escolas e cursos de PP e à reformulação de cursos e programas de AP. Estespassaram a incluir disciplinas de políticas públicas, enquanto os novos cursos de PPincluíram disciplinas de gestão pública. As políticas públicas foram incorporadaspela AP no Brasil ao mesmo tempo que nos EUA, sob a influência daquele país. Talincorporação refletiu, porém, especificidades da disciplina em nosso país: presençado desenvolvimentismo; valorização do planejamento; contexto ditatorial e tensãoderivada da inserção institucional da AP: aqui, a vinculação da formação em administraçãopública à de administração de empresas levou à diluição da especificidadedo objeto de AP, com reflexos sobre o desenvolvimento do campo de estudos depolíticas públicas no âmbito da disciplina.
Citação ABNT:
FARAH, M. F. S.Administração pública e políticas públicas. Revista de Administração Pública, v. 45, n. 3, p. 813-836, 2011.
Citação APA:
Farah, M. F. S.(2011). Administração pública e políticas públicas. Revista de Administração Pública, 45(3), 813-836.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/2420/administracao-publica-e-politicas-publicas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALTSHULER, A. Teaching leadership. In: ANNUAL MEETING OF APPAM, 1990, San Francisco.

CONFERÊNCIA NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Revista de Administração Pública, v. 1, n. 2, p. 233-237, 2o sem. 1967.

COUTO, Cláudio Gonçalves. Modernização. In: ANDRADE, Regis de Castro; JACCOUD, Luciana (Org.). Estrutura e organização do Poder Executivo. Brasília: Enap, 1993. v. 1, p. 109-202.

CURSO DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Revista de Administração Pública, v. 7, n. 3, p. 85-104, jul./set. 1973.

Durning, Dan. The transition from traditional to postpositivist policy analysis: a role for Q-Methodology. Journal of Policy Analysis and Management, v. 18, n. 3, p. 389-410, Summer 1999.

ENGELBERT, Ernest A. University education for public policy analisis. Public Administration Review, v. 37, n. 3, p. 228-236, May/June 1977.

ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Plano de trabalho para 1969. Revista de Administração Pública, v. 3, n. 1, p. 147-170, 1969.

FARAH, Marta Ferreira Santos. Temas emergentes em gestão e políticas públicas: tendências gerais. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, n. 48, p. 43-66, 2006.

FISCHER, F. Citizen participation and the democratization of policy expertise; from a theoretical inquiry to practical cases. Policy Sciences, n. 26, p. 165-187, 1993.

FISCHER, Tânia. Administração pública como área de conhecimento e ensino: a trajetóra brasileira. Revista de Administração de Empresas, v. 24, n. 4, p. 278-288, 1984.

FREDERICKSON, H. George. 1999 John Gaus lecture — the repositioning of American public administration. PS: Political Science & Politics, p. 701-711, Dec. 1999. Disponível em:

GONZÁLES SALAS, E. El laberinto institucional colombiano, 1974-1994: fundamentos de administración pública. Santa Fé de Bogotá: Universidad Nacional de Colombia, 1997.

GOODNOW, Frank. Politics and administration. New York: Macmillan, 1900.

HENRY, Laurin L. Naspaa history. A summary report from the Naspaa Historical Project, prepared for Naspaa’s 25th Anniversary Conference, Austin, TX, oct. 18-21, 1995. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2010.

HENRY, Nicholas. Paradigms of public administration. Public Administration Review, v. 35, n. 4, p. 378-386, 1975.

HOOD, Christopher. Emerging issues in public administration. Public Administration, v. 73, n. 1, p. 165-183, Spring 1995.

JACOBI, Pedro; PINHO, José Antonio (Org.). Inovação no campo da gestão pública local: novos desafios, novos patamares. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

KEINERT, Tânia Margarete Mezzomo. Os paradigmas da administração pública no Brasil (1900-92). Revista de Administração de Empresas, v. 34, n. 3, p. 41-48, maio/jun. 1994.

KEINERT, Tânia Margarete Mezzomo; VAZ, José Carlos. Histórico da RSP: a Revista do Serviço Público no pensamento administrativo brasileiro (1937-1989). Revista do Serviço Público, v. 118, n. 45, p. 9-42, 1994.

KINGDON, John W. Agenda setting. In: THEODOULOU, Stella Z.; CAHN, Matthew A. Cahn. Public policy: the essential readings. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1995.

LIMA JÚNIOR, Olavo Brasil de; SANTOS, Wanderley Guilherme dos. Esquema geral para a análise de políticas públicas: uma proposta preliminar. Revista de Administração Pública, v. 10, n. 2, abr./jun. 1976.

LYNN Jr., Laurence E. A place at the table: policy analysis, its postpositive critics, and the future of practice. Journal of Policy Analysis and Management, v. 18, n. 3, p. 411-424, 1999.

McCamy, James L. Science and public administration. University of Alabama Press, 1960. MUÑOZ, Amato P. Introdução à administração pública. São Paulo: FGV, 1958.

NUNES, Edison. A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, Brasília: Enap, 1997.

OSLAK, Oscar. Políticas públicas e regimes políticos: reflexões a partir de algumas experiências latino-americanas. Revista de Administração Pública, v. 16, n. 1, p. 17-60, jan./mar. 1982.

OSPINA BOZZI, Sonia M. La administración pública como comunidad discursiva: algunas lecciones del caso estadounidense para América Latina. Reforma y Democracia, n. 10, p. 85-112, Feb. 1998.

PACHECO, Regina Silvia. Administração pública nas revistas especializadas — Brasil, 1995-2002. Revista de Administração de Empresas, v. 43, n. 4, p. 63-71, out./dez. 2003.

PANTOJA, Woodrow. Relatório situação da saúde e Plano Nacional de Saúde. Revista de Administração Pública, v. 3, n. 1, 1969.

RABELL, Leonardo Santana. Tendencias curriculares en la enseñanza de la administración pública en los Estados Unidos. Reforma y Democracia, n. 17, p. 235-264, Jun. 2000.

REIS, Fábio. Política e políticas. Revista de Administração Pública, v. 10, n. 2, p. 52-63, abr./jun. 1976.

SABATIER, Paul A. Political science and public policy. In: SABATIER, Paul A.; JENKINS-SMIT, Hank C.; STEWARD JR., Joseph. Toward better theories of the policy process (sympopsium). PS: Political Science and Politics, v. 24, n. 2, June 1991.

SILVA, Benedicto. O Dasp como propulsor do managerialismo no Brasil. Revista de Administração Pública, n. 4, p. 222-234, 1968.

STATION, Elizabeth; WELNA, Christopher J. Da administração pública à participação democrática. In: BROOKE, Nigel; WITOSHYNSKY, Mary (Org.). Os 40 anos da Fundação Ford. São Paulo: Edusp; Rio de Janeiro: Fundação Ford, 2002. p. 167-200.

TORGERSON, D. Between knowledge and politics: three faces of policy analysis. Policy Sciences, n. 19, p. 33-59, 1986.

WALDO, Dwight. The administrative state revisited. Public Administration Review, v. 25, n. 1, p. 5-30, Mar., 1965. Twenty-Fifth Anniversary Issue.

WARLICH, Beatriz. A reforma administrativa na era de Vargas. Rio de Janeiro: FGV, 1983.

WARLICH, Beatriz. Formação em administração pública e de empresas: programas específicos ou integrados numa sociedade em desenvolvimento. Revista de Administração Pública, v. 1, n. 2, p. 239-265, 2o sem. 1967.

WILSON, R.R. et al. Governance in the Americas: decentralization, democracy and subnacional government in Brazil, Mexico and the USA. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 2008. v. 1.

WILSON, Woodrow. The study of administration. Political Science Quarterly, v. 2, June 1887 [reproduzido no v. 56, Dec. 1941].