O perfil motivacional e inclinação de carreira do estudante e do profissional da Tecnologia da Informação Outros Idiomas

ID:
2619
Periódico:
Resumo:
A área de tecnologia de informação (TI) tem sofrido mudanças constantes que influenciam diretamente a atuação dos profissionais e das empresas que trabalham com este setor. Com base nessa premissa, o objetivo deste artigo foi mostrar a identificação do perfil motivacional e da inclinação de carreira, do profissional e do estudante de TI através do estudo descritivo utilizado na pesquisa de campo. Foram aplicados dois questionários fechados: o inventário de Valores de Schwartz (IVS) e o questionário de Edgar Schein, que permite identificar, tanto no estudante, como no profissional de TI, metas, interesses sobre inclinação profissional e as perspectivas em relação ao trabalho e à vida. Constatou-se que esses dois grupos pesquisados são compostos por indivíduos autodeterminados, que valorizam o estilo de vida e desafios profissionais, são benevolentes e hedonistas, buscam o bem-estar e a satisfação no trabalho. Com base nesse perfil, pode-se prever que as empresas terão de se adequar a lidar com profissionais e estudantes de TI que, em sua maioria, terão um perfil próximo ao dos profissionais liberais, buscam constantes desafios, satisfação pessoal e profissional e procuram adequar o trabalho ao seu estilo de vida.
Citação ABNT:
OLIVEIRA, F. B.; MÜLLER, E. S. M. O perfil motivacional e inclinação de carreira do estudante e do profissional da Tecnologia da Informação. Revista ADM.MADE, v. 14, n. 1, art. 61, p. 51-73, 2010.
Citação APA:
Oliveira, F. B., & Müller, E. S. M. (2010). O perfil motivacional e inclinação de carreira do estudante e do profissional da Tecnologia da Informação. Revista ADM.MADE, 14(1), 51-73.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/2619/o-perfil-motivacional-e-inclinacao-de-carreira-do-estudante-e-do-profissional-da-tecnologia-da-informacao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRAHIM, G. S. A influência dos valores humanos na determinação das âncoras de carreira. Dissertação (Mestrado em Administração). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2008.

COSTA, A. L. M. Os paradoxos da carreira de tecnologia da informação no século XXI: um estudo empírico exploratório. Dissertação (Mestrado em Gestão Empresarial). Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 2008.

COUGER, D. Effect of cultural differences on motivation of analysts and programmers: Singapore vs. the United States. MIS Quarterly, v. 10, n. 2, p. 189-196, 1986.

CREPEAU, R. G. et al. Career anchors of information systems personnel. Journal of Management Information Systems, v. 9, n. 2, p. 145-160, 1992.

DENNING, P. Career redux. Communications of the ACM, v. 45, n. 9, p. 21-26, 2002.

GENELOT, D. Manager dans la complexité: réflexions à l’usage des dirigeants. Paris: INSEP Consulting, 1992,

GINZBERG, M. J.; BAROUDI, J.J. MIS careers: a theoretical perspective. Communications of the ACM, v. 31, n. 5, p. 586-594, 1988.

HOFSTEDE, G. Culture and organization: software of the mind. New York: Mc GrawHill, 1997.

KILIMNIK, Z. M.; CASTILHO, I. V.; SANT’ANNA, A. S. Carreiras em transformação e seus paradoxais reflexos nos indivíduos: metáforas de carreira e de competências. Comportamento Organizacional e Gestão, v. 12, n. 2, p. 257-280, 2006.

LÉVY-LEBOYER, C. A crise das motivações. São Paulo: Atlas, 1994.

OLIVEIRA, S. L. Sociologia das organizações: uma análise do homem e das empresas no ambiente competitivo. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

ROKEACH, M. Beliefs, attitudes and values. San Francisco: Jossey-Bass, 1968.

ROKEACH, M. Crenças, atitude e valores: uma teoria de organização e mudança. Rio de Janeiro: Interciência, 1981.

ROKEACH, M. The nature of human values. New York: Free Press, 1973.

ROKEACH, M. Understanding human values: individual and societal. New York: The Free Press, 1979.

SCHEIN, E. H. Culture as an environmental context for careers. Journal of Occupational Behavior, v. 5, n. 1, p. 71-81, 1984.

SCHEIN, E. H. Identidade profissional: como ajustar suas inclinações a suas opções de trabalho. São Paulo: Nobel, 1996.

SCHEIN, E. H. Replanejamento de cargos e funções. São Paulo: Nobel, 1993.

SCHWARTZ, S. H. Universals in the content and structure of values: theoretical advances and empirical tests in 20 countries. In: ZANNA, M. (Org.). Advances in experimental social psychology. New York: Academic Press, 1992. v. 25, p. 1-65.

SCHWARTZ, S. H. Value hierarchies across cultures: taking a similarities perspective. Journal of CrossCultural Psychology, v. 32, p. 268-290, 2001.

SCHWARTZ, S. H; LACEY, H. A formação e a transformação de valores. Revista da Faculdade de Psicologia da PUC, n. 1, p. 91-123, 1995.

TAMAYO, A. et al. Prioridades axiológicas e comprometimento organizacional. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 17, n. 1, p. 27-35, 2001.

TAMAYO, A. Exaustão emocional no trabalho. Revista de Administração, v. 37, n. 2, p. 26-37, 2002.

TAMAYO, A. Hierarquia de valores transculturais e brasileiros. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 23, n. esp., p. 7-15, 2007.

TAMAYO, A. Prioridades axiológicas e satisfação no trabalho. Revista de Administração, v. 35, n. 2, p. 3747, 2000.

TAMAYO, A; MENDES, A. M.; PAZ, M. G. T. Inventário de valores organizacionais. Estudos de Psicologia, v. 5, n. 2. p. 289-315, 2001.

TAMAYO, A; PASCHOAL, T. A relação da motivação para o trabalho com as metas do trabalhador. Revista de Administração Contemporânea, v. 7, n. 4, p. 33-54, 2003.

TAMAYO, A; SCHWARTZ, S. H. Estrutura motivacional dos valores humanos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 9, n. 2, p. 329-348, 1993.