Trabalho, poder e identidade: o caso de uma associação autogestionária familiar de produção agrícola Outros Idiomas

ID:
2646
Periódico:
Resumo:
Este estudo procurou compreender a forma de gestão de uma associação coletivista de produção atentando às características presentes nas relações intraorganizacionais deste modelo de organização. Buscou-se responder a alguns questionamentos: até que ponto a democracia está presente nas relações em uma organização familiar autogerida? Os trabalhadores que compõem a organização em estudo realmente possuem o controle de seu processo de  trabalho? Existe, nessa forma de organização do trabalho, uma reconfiguração da identidade dos trabalhadores capaz de proporcionar maior cooperação entre eles? A pesquisa que resultou neste trabalho constitui-se qualitativa, mediante estudo de caso. Os dados primários foram coletados através de  entrevistas semiestruturadas e observação não participante, e os dados secundários mediante análise de documentos. Para a análise dos dados, foi utilizado o método descritivo-qualitativo. O texto conclui que, na associação em estudo, o sentido constituinte das relações de trabalho não se restringe à lógica da acumulação do sistema capitalista; as relações assumem outros significados, o que se torna evidente quando os trabalhadores tornam-se responsáveis pela coordenação de suas atividades e também por toda a produção, bem como pelo valor gerado por ela.
Citação ABNT:
BEURON, T. A.; MATOS, R. D.; BARROS, A. S.; GROHMANN, M. Z. Trabalho, poder e identidade: o caso de uma associação autogestionária familiar de produção agrícola. Revista ADM.MADE, v. 15, n. 2, art. 72, p. 63-81, 2011.
Citação APA:
Beuron, T. A., Matos, R. D., Barros, A. S., & Grohmann, M. Z. (2011). Trabalho, poder e identidade: o caso de uma associação autogestionária familiar de produção agrícola. Revista ADM.MADE, 15(2), 63-81.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/2646/trabalho--poder-e-identidade--o-caso-de-uma-associacao-autogestionaria-familiar-de-producao-agricola/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, G. Trabalho e sindicalismo no Brasil: um balanço crítico da década neoliberal. Revista Sociologia Política, n.19, p.71-94, novembro, 2002.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo: Cortez, 2010.

ANTUNES, R. A dialética do trabalho: escritos de Marx e Engels. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho. Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2007.

ATTIE, J. P. Organizações solidárias de produção: subversão ou submissão ao capital? Uma análise sobre as possibilidades da emancipação pelo trabalho. 2007. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

AZAMBUJA, L. R. Os Valores da Economia Solidária. Sociologias, Porto Alegre, n. 21, jun. 2009. Disponível em . acessos em 25 set. 2011.

BENINI, E. A. Economia solidária, estado e sociedade civil: um novo tipo de política pública ou uma agenda de políticas pública? Revista Organizações e Democracia, n.4, p.3-22, 2003.

BERTUCCI, J. L. O. Metodologia básica para elaboração de trabalhos de conclusão de cursos (TCC): ênfase na elaboração de TCC de pós-graduação latu sensu. São Paulo: Atlas, 2008.

CASTANHEIRA, M. E. M.; PEREIRA, J. R. Ação coletiva no âmbito da economia solidária e da autogestão. Revista Katálysis, v.11, n.1, junho, 2008. Disponível em . Acesso em 25 set. 2011.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 2003.

CODO, W. Por uma psicologia do trabalho: ensaios recolhidos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

CUNHA, G. C. Dimensões da luta política nas práticas de economia solidária. In: SOUZA, A. et al. Uma outra economia é possível: Paul Singer e a economia solidária. São Paulo: Contexto, 2003.

FALKEMBACH, E. M. F. MST, “escola da vida” em movimento. Cadernos CEDES, v.27, n.72, 2007. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2008.

FARIA, J. H. Gestão participativa: relações de poder e de trabalho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2009.

FARIA, J. H. Relações de poder e formas de gestão. Curitiba: Criar Edições FAE, 1985.

FARIA, J. R. Organizações coletivistas de trabalho: autogestão nas unidades produtivas. 2008. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2003.

FRAGA, M. L. A empresa produtiva e a racionalidade substantiva. 2000. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2000.

GALLO, A. R. Empreendimentos econômicos solidários: alternativas organizacionais de (re)inserção social e econômica. Revista Organizações e Democracia, v.5, n.2, p.149-166, 2004.

JACQUES, M.G. C. Identidade. In: STREY, M. N. et al. Psicologia social contemporânea. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

LIMA, J. C. Participação, empreendedorismo e autogestão: uma nova cultura do trabalho? Sociologias, v.12, n.25, dezembro, 2010. Disponível em . Acesso em 25 set. 2011.

MACHADO, H.V. A identidade e o contexto organizacional: perspectivas de análise. Revista de Administração Contemporânea RAC, v.7, n.especial, 2003. Disponível em . Acesso em 24 Set. 2011.

MARX, K. O capital: crítica da economia política e o processo de produção do capital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

MOTTA, F.C.P.; VASCONCELOS, I.F.G. Teoria geral da administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.

PATTON, M. Q. Qualitative evaluation and research methods. 2. ed. Newbury Park, CA: Sage, 1990.

REBOREDO, L. A. De eu e tu a nós: o grupo em movimento como espaço de transformação das relações sociais. Piracicaba: Unimep, 1995.

RECH, D. Cooperativas: uma alternativa de organização popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SEGABINAZZI, C. Identidade e trabalho na sociedade capitalista. Revista Texto & Contexto, v.6, n.1, p.2-18, 2007. Disponível em: . Acesso em 25 set. 2011.

SINGER, P. O capitalismo: sua evolução, sua lógica e sua dinâmica. São Paulo: Moderna, 1995.

SOUZA, A. R. Economia solidária: um movimento nascente da crise do trabalho. In: SOUZA, A. R. et al. Uma outra economia é possível: Paul Singer e a economia solidária. São Paulo: Contexto, 2003.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.