Mercado e desempenho operacional contábil de longo prazo Outros Idiomas

ID:
28574
Resumo:
Seguindo as pesquisas sobre relevância da informação contábil para o valor da empresa (em inglês, categorizadas pela expressão value relevance), este estudo verifica se o mercado diferencia as empresas de alto, médio e baixo desempenho operacional de longo prazo, medido por informações contábeis de rentabilidade, variação de vendas e endividamento. Os dados compreendem as Demonstrações Contábeis Societárias Anuais Individuais divulgadas no período de 1996 a 2009 e o preço das ações das empresas listadas na Bolsa de Valores e de Mercadorias e Futuros de São Paulo – BM&FBOVESPA. A amostra final é composta por 142 empresas não financeiras. Foram utilizadas janelas móveis de cinco anos, que resultaram em dez períodos quinquenais. Após a apuração dos índices de cada empresa, as variáveis contábeis foram unificadas em um Índice Síntese de Desempenho para sintetizar a performance final por empresa a cada quinquênio, o que permitiu a segregação em níveis de desempenho operacional. Foram realizadas regressões múltiplas com técnicas de dados em painel, modelo de efeitos fixos e variáveis dummies, e depois realizados testes de hipóteses. Considerando o poder explicativo individual de cada variável, os resultados demonstraram que nem todos os comportamentos estão de acordo com as hipóteses da pesquisa e que o mercado acionário brasileiro diferencia empresas de alto e baixo desempenho operacional de longo prazo. Essa distinção não é percebida por completo entre as empresas de alto e médio desempenho operacional.
Citação ABNT:
ROSA, M. S. S.; LUSTOSA, P. R. B. Mercado e desempenho operacional contábil de longo prazo. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da UNISINOS, v. 11, n. 1, p. 34-46, 2014.
Citação APA:
Rosa, M. S. S., & Lustosa, P. R. B. (2014). Mercado e desempenho operacional contábil de longo prazo. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da UNISINOS, 11(1), 34-46.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/28574/mercado-e-desempenho-operacional-contabil-de-longo-prazo/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, J.E.F.; LOPES, A.B.; CORRAR, L.J. (2008). Gerenciamento de Resultados para Sustentar a Expectativa do Mercado de Capitais: impactos no índice Market-to-Book. In: INTERNATIONAL ACCOUNTING CONGRESS – INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR ACCOUNTING EDUCATION AND RESEARCH E ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS, 3, 2008, Salvador, Anais... Salvador, ANPCONT. Disponível em: http://www.anpcont.com.br/site/docs/congressoII/04/MFC152.pdf. Acesso em: 20/09/2010.

BALL, R.; BROWN, P. (1968). An Empirical Evaluation of Accounting Income Numbers. Journal of Accounting Research, 6(6), 59-178.

BARTH, M.E.; BEAVER, W.H.; LANDSMAN, W.R. (2001). The Relevance of Value Relevance Literature for Financial Accounting Standard Setting: another view. Journal of Accounting and Economics. 31(1-3), 77-104. http://dx.doi.org/10.1016/S0165-4101(01)00019-2

BEAVER, W.H. (2002). Perspectives on Recent Capital Market Research. The Accounting Review, 77(2): 453-474. http://dx.doi.org/10.2308/accr.2002.77.2.453

BOLSA DE VALORES E DE MERCADORIAS E FUTUROS DE SÃO PAULO (BM&FBOVESPA). (2010). Cotações Históricas. Disponível em: www.bmfbovespa.com.br. Acesso em: 12/03/2010.

BROOKS, C. (2008). Introductory Econometrics for Finance. 2ª ed., Cambridge, Cambridge University Press, 648 p.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). (2010). Demonstrações Financeiras. Disponível em: www.cvm.gov.br. Acesso em: 10/03/2010.

DECHOW, P.M.; KOTHARI, S.P.; WATTS, R.L. (1998). The Relation Between Earnings and Cash Flows. Journal of Accounting and Economics, 25(2): 133-168. http://dx.doi.org/10.1016/S0165-4101(98)00020-2

EVIEWS. (2004). Eviews 5 User’s Guide. Licença de uso do Banco Central do Brasil. Brasília, Quantitative Micro Software, 978 p.

FAMA, E.F.(1970). Efficient Capital Markets: a review of theory and empirical work. The Journal of Finance, 25(2): 383-417. http://dx.doi.org/10.2307/2325486

FAMÁ, R.; PEROBELLI, R. (2001). Determinantes da Estrutura de Capital: aplicação a empresas de capital aberto brasileiras. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 37(3), 33-46.

FINANCIAL ACCOUNTING STANDARDS BOARD (FASB). (1984). Statement of Financial Accounting Concepts nº 5– Recognition and measurement in financial statements of business enterprises. Stanford, FASB. Disponível em: http://www.fasb.org/jsp/FASB/Page/PreCodSectionPage&cid=1176156317989. Acesso em: 11/03/2014.

FRIGO, M.L. (2008). Return Driven: lesson from high-performance companies. Strategic Finance, 90(1), 24-30.

GALDI, F.C.; LOPES, A.B. (2008). Relação de Longo Prazo e Causalidade entre o Lucro Contábil e o Preço das Ações: evidências do mercado latino-americano. Revista de Administração, 43(2), 186-201.

GUJARATI, D. (2006). Econometria básica. 4ª ed., Rio de Janeiro, Elsevier, 812 p.

HENDRIKSEN, E.S.; VAN BREDA, M.F. (1999). Teoria da contabilidade. São Paulo, Atlas, 550 p.

INTERNATIONAL ACCOUNTING STANDARDS BOARD (IASB). (2010). International Accounting Standard nº 1: Presentation of financial statements. Disponível em: http://eifrs.ifrs.org/eifrs/bnstandards/en/2013/ias1.pdf

KOTHARI, S.P. (2001). Capital Markets Research in Accounting. Journal of Accounting and Economics, 31: 105-231. http://dx.doi.org/10.1016/S0165-4101(01)00030-1

LEV, B. (1989). On the Usefulness of Earnings and Earning Research: lessons and directions from two decades of empirical research. Journal of Accounting Review, 27(Supplement), 153-192.

LUSTOSA, P.R.B.; SANTOS, A. (2006). Importância Relativa do Ajuste no Fluxo de Caixa das Operações para o Mercado de Capitais Brasileiro. In: CONGRESSO USP, 6, São Paulo, 2006. Anais...São Paulo, USP. Disponível em: http://congressousp.fipecafi.org/artigos62006/400.pdf. Acesso em: 10/09/2010.

LYRA, R.L.W.C.; CORRAR, L.J. (2009). A Percepção dos Docentes quanto aos Indicadores Contábeis: um estudo exploratório utilizando a técnica Delphi. In: INTERNATIONAL ACCOUNTING CONGRESS – INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR ACCOUNTING EDUCATION AND RESEARCH E ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTABILIDADE, 3, São Paulo, 2009. Anais...São Paulo, Anpcont. [CD-ROM].

MACHADO, M.A.V.; MEDEIROS, O.R. (2011). Modelos de Precificação de Ativos e o Efeito Liquidez: evidências empíricas no mercado acionário brasileiro. Revista Brasileira de Finanças, 9(3), 383-412.

MALACRIDA, M.J.C. (2009). A Relevância do Lucro líquido versus Fluxo de Caixa Operacional para o Mercado de Ações Brasileiro. São Paulo, SP. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, 154 p.

MARTINS, E. (1999). Contabilidade versus Fluxo de Caixa. Caderno de Estudos, 20, 1-20.

MYERS, S.C. (1984). The Capital Structure Puzzle. The Journal of Finance, 39(3): 575-592. http://dx.doi.org/10.2307/2327916

NICHOLS, D.C.; WAHLEN, J.M. (2004). How do earnings numbers relate to stock returns? A review of classic accounting research with update evidence. Accounting Horizons, 18(4): 263-286. http://dx.doi.org/10.2308/acch.2004.18.4.263

ROWE, W.G.; MORROW Jr., J.L. (1999). A Note on the Dimensionality of the Firm Financial Performance Construct Using Accounting, Market and Subjective Measures. Canadian Journal of Administrative Sciences, 16(1): 58-70. http://dx.doi.org/10.1111/j.1936-4490.1999.tb00188.x

SALOTTI, B.M.; YAMAMOTO, M.M. (2005). Ensaio sobre a Teoria da Divulgação. Brazilian Business Review, 2(1), 53-70.

SANTOS, M.A.C.; LUSTOSA, P.R.B. (2008). O Efeito dos Componentes do Lucro Contábil no Preço das Ações. Revista UnB Contábil, 11(1-2), 87-103.

SHARPE, W.F. (1964). Capital Asset Prices: a theory of market equilibrium under conditions of risk. The Journal of Finance, 19(3), 425-442.

SILVA, J.C.G.; BRITO, R.D. (2005). Testando as Previsões de Trade-off ePecking Ordersobre Dividendos e Dívidas no Brasil. Estudos Econômicos, 35(1): 37-79. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-41612005000100002

TITMAN, S.; WESSELS, R. (1988). The Determinants of Capital Structure Choice. The Journal of Finance, 43(1), 01-19.

VERRECHIA, R.E. (2001). Essays on Disclosure. Journal of Accounting and Economics, 32(1-3): 97-180. http://dx.doi.org/10.1016/S0165-4101(01)00025-8

WATTS, R.L.; ZIMMERMAN, J.L. (1986). Positive Accounting Theory. New Jersey, Prentice-Hall International, 388 p.

WOOLDRIGDE, J.M. (2006). Econometric Analysis of Cross Section and Panel Data. London, MIT Press, 735 p.