Determinantes organizacionais do ambiente hospitalar: uma análise empírica usando microdados sobre conformidade segundo o modelo da Acreditação Hospitalar Outros Idiomas

ID:
28685
Resumo:
O aumento dos gastos nas unidades hospitalares (UHs) tem motivado a busca de soluções gerenciais para melhorar o ambiente hospitalar. Este estudo testa a associação entre a gerência do ambiente hospitalar e as seguintes funções de organização da Acreditação Hospitalar (AH): o treinamento; a educação do paciente e do familiar; a governabilidade; e a gerência da informação. A amostra de conveniência é composta de 47 relatórios da AH. Foram usados o modelo de regressão múltipla e a Análise Fatorial para avaliar a influência daquelas funções de organização sobre a função Gerência do Ambiente Hospitalar. Os testes da hipótese revelaram associações positivas e significativas entre as funções de organização selecionadas, o tipo de propriedade da UH e a gerência do ambiente hospitalar. Como contribuição teórica, esclarece as múltiplas dimensões envolvidas no conceito de ambiente hospitalar, que são responsáveis pela sua influência na busca da qualidade nas UHs. Como contribuição metodológica, utiliza dados de relatórios da AH, pouco explorados na pesquisa sobre economia da gestão. Como contribuição gerencial, identificou fatores influentes no desempenho da Gerência do Ambiente Hospitalar.
Citação ABNT:
JORGE, M. J.; CARVALHO, F. A.; SALES, P. R. Determinantes organizacionais do ambiente hospitalar: uma análise empírica usando microdados sobre conformidade segundo o modelo da Acreditação Hospitalar. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, v. 11, n. 1, p. 68-82, 2014.
Citação APA:
Jorge, M. J., Carvalho, F. A., & Sales, P. R. (2014). Determinantes organizacionais do ambiente hospitalar: uma análise empírica usando microdados sobre conformidade segundo o modelo da Acreditação Hospitalar. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, 11(1), 68-82.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/28685/determinantes-organizacionais-do-ambiente-hospitalar--uma-analise-empirica-usando-microdados-sobre-conformidade-segundo-o-modelo-da-acreditacao-hospitalar/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARAÚJO, C. A. S. Fatores a serem gerenciados para o alcance da qualidade para os clientes internos: um estudo em um conjunto de hospitais brasileiros. Rio de Janeiro: COPPEAD – UFRJ, 2005. 407 p. Originalmente apresentada como tese de doutorado (Administração).

BALANDIN, S.; HEMSLEY, B.; SIGAFOOS, J.; GREEN, V. Communicating with nurses: the experiences of 10 adults with cerebral palsy and complex communication needs. Applied Nursing Research, v. 20, n. 2, p. 56-62, 2007.

BATESON, J. E. G.; HOFFMAN, K. D. Marketing de serviços. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

BITNER, M. J. Servicescapes: the impact of physical surroundings on customers and employees. Journal of Marketing, v. 56, n. 2, p. 57-71, 1992.

BOSWELL, C.; CANNON, S.; AUNG, K.; ELDRIDGE, J. Na application of health literacy research. Applied Nursing Research, v. 17, n. 1, p. 61-64, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Ambiência. 2. ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006.

CBA CONSÓRCIO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO. Manual internacional de padrões de Acreditação Hospitalar. 1. ed. Rio de Janeiro: CEPESC, 2003.

CIDADE, J. C. M.; CARVALHO, F. A. de; VIEIRA, P. R. C. Imagem de um Conselho Profissional: estudo empírico sobre um caso brasileiro. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 5, no. especial, p. 24-39, 2010.

DONABEDIAN, A. The definition of quality and approaches to its assessment. Ann Arbor, MI: Health Administration Press, 1980.

ENGEL, E. The basics of consumer protection: principles and policies. In: Frischtak, C. R. (Ed.). Regulatory policies and reform: a comparative perspective. Washington, D.C.: World Bank, 1995.

FAÇANHA, L. O.; RESENDE, M. Determinants of hierarchical structure in industrial firms: an empirical study. Economics of Governance, v. 11, n. 3, 2010.

FISCHER, M. J.; BROOME, M. E. Parent-provider communication during hospitalization. Journal of Pediatric Nursing, no prelo, doi 10.1016/j.pedn.2009.12.071, 2010.

FRAMPTON, S. B.; WAHL, C.; CAPPIELLO, G. Partnering with patients’ families. AJN American Journal of Nursing, v. 110, n. 7, p. 53-56, 2010.

GASTAL F. L.; QUINTO NETO A. Acreditação Hospitalar: proteção aos usuários, dos profissionais e das instituições de saúde. Porto Alegre: Dacasa, 1997.

GRIFFIN, T. Supporting families of infants with congenital heart disease. Newborn and Infant Nursing Reviews, v. 2, n. 2, p. 83-89, 2002. GRÖNROOS C. Marketing: gerenciamento e serviços. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

GRÖNROOS C. Marketing: gerenciamento e serviços. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003

GUJARATI, D. N. Econometria básica. Rio de Janeiro: Campus, 2006.

HAIR JR. J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R.L.; BLACK, W.C. Multivariate Data Analysis. 5. ed. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall, 1998.

HARRIS, J. E. The internal organization of hospital: some economic implications. The Bell Journal of Economics, v. 8, n. 2, p. 467-482, 1977.

HINRICHSEN, S. L.; OLIVEIRA, C. L. F.; CAMPOS, M. A.; POSSAS, L. C. M.; SABINO, G.; VILELLA, T. A. S. Gestão da qualidade e dos riscos na segurança do paciente: estudopiloto. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 7, p. 10-17, jul./dez. 2011.

HUTTON, J. D.; RICHARDSON, L. D. Healthscapes: the importance of place. Journal of Healthcare Marketing, v. 15, n. 1, p. 10-11, 1995.

IACOBUCCI, D.. et al. Customer satisfaction across organizational units. Journal of Service Research, v. 6, n. 4, p. 231-242, feb. 2004.

JORGE, M. J.; CARVALHO, F. A.; JORGE, M. F.; MEDEIROS, R. O. Gestão do ambiente organizacional, expansão da unidade hospitalar e desenvolvimento do mercado de serviços de saúde no Brasil. RMMG – Revista Médica de Minas Gerais, v. 22, n. 1, p. 9-17, 2012.

KERZMAN, H.; BORNA-EPEL, O.; TOREN, O. What do discharged patients know about their medication? Patient Education and Counseling, v. 56, n. 3, p. 276-282, 2005.

KIM, Y. M.; KOLS, A.; BONNIN, C.; RICHARDSON, P.; ROTER, D. Client communication behaviors with health care providers in Indonesia. Patient Education and Counseling, v. 45, n. 1, p. 59-68, 2001. LA FORGIA, G. M.; COUTTOLENC, B. F. Hospital performance in Brazil: The search for excellence. Washington, D.C.: The World Bank, 2008.

LA FORGIA, G. M.; COUTTOLENC, B. F. Hospital performance in Brazil: The search for excellence. Washington, D.C.: The World Bank, 2008.

LEANDRO, A. I. P.; BRANCO, E. S. Importância do treinamento e desenvolvimento nos serviços de saúde. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 6, p. 64-69, jan./jun. 2011.

MARINHO, A.; FAÇANHA, L. O. Hospitais universitários: indicadores de utilização e análise de eficiência. Economia Aplicada, v. 6, n. 3, 2002, p. 607–638.

MINTZBERG, H.; LAMPEL, J.; QUINN, J. B.; GHOSHAL, S. O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. O’LEARY, D. S.; DONAHUE, K. T. A evolução dos sistemas de acreditação de instituições de saúde. Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas em Educação, v. 8, p. 5-16, jun. 2000.

O’LEARY, D. S.; DONAHUE, K. T. A evolução dos sistemas de acreditação de instituições de saúde. Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas em Educação, v. 8, p. 5-16, jun. 2000.

PEREIRA, C. A. R.; REZENDE, L. C. S.; SILVA, A. F.; SIEGA, A. M. S.; SILVA, L. O. Análise de risco em ambiente hospitalar: uma proposta de trabalho. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 7, p. 18-29, jan./dez. 2011.

PYTEL, C.; FIELDEN, N. M.; MEYER, K. H.; ALBERT, N. Nurse-patient/visitor communication in the emergency department. Journal of Emergency Nursing, v. 35, n. 5, p. 406-411, 2009.

SALES, P. R. Gestão de ambiente: responsabilidade de todos; benefícios e segurança para todos. Revista Home Care Brasil, v. 2, n. 16, p. 5-6, 2008.

SCHIMITH, M. D.; LIMA, M. A. D. S. Acolhimento e vínculo em uma equipe do Programa Saúde da Família. In: Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 6, p. 1487-1494, nov./dez. 2004.

SMITH, P. C.; STREET, A. Measuring the efficiency of public services: the limits of analysis. Journal of the Royal Statistical Society – Series A, v. 168, n. 2, p. 401-417, 2005.

VAKKURI, J. Research techniques and their use in managing non-profit organizations: an illustration of DEA analysis in NPO environments. Financial Accountability and Management, v. 19, n. 3, p. 243-263, 2003.

VIANA, M. F. V.; SETTE, R. S.; REZENDE, D. C.; BOTELHO, D.; POLES, K. Processo de acreditação: uma análise de organizações hospitalares. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 6, p. 35-45, jan./jun. 2011.