Investigação dos níveis de eficiência na alocação dos recursos públicos após o Pacto pela Saúde Outros Idiomas

ID:
28686
Resumo:
O presente estudo toma como referência o contexto político derivado das alterações experimentadas pelo setor de saúde do Brasil a partir da Constituição Federal de 1988 em especial, decorrentes do processo de descentralização, que realçaram a necessidade de se utilizar osrecursos municipais mais eficientemente, nesse contexto é criado em 2006, como estratégia de racionalização das ações e serviços em saúde o Pacto pela Saúde.Nessa vertente o presente estudo buscou analisar os níveis de eficiência na utilização dos recursos de saúde após o Pacto, no qual estados e municípios passaram a receber recursos federais por meio de cinco blocos de financiamento. O método utilizado foi o Data Envelopment Analisys (DEA),objetivando comparar e quantificar a eficiência no uso de recursos no setor de saúde de 30 municípios mineiros que aderiram ao Pacto. Os resultados demonstraram que o desempenho na alocação dos recursos nos municípios analisados pode ser considerado bom, pois a maioria dos municípios concentrou-se em escores superiores à média, concluindo-se que o modelo de gestão proposto pelo Pacto pela Saúde influencia positivamente a alocação dos recursos nos setores analisados.
Citação ABNT:
CABRAL, K. F. D.; FERREIRA, M. A. M. Investigação dos níveis de eficiência na alocação dos recursos públicos após o Pacto pela Saúde. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, v. 11, n. 1, p. 83-98, 2014.
Citação APA:
Cabral, K. F. D., & Ferreira, M. A. M. (2014). Investigação dos níveis de eficiência na alocação dos recursos públicos após o Pacto pela Saúde. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, 11(1), 83-98.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/28686/investigacao-dos-niveis-de-eficiencia-na-alocacao-dos-recursos-publicos-apos-o-pacto-pela-saude/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARAÚJO, C. A. S. Fatores a serem gerenciados para o alcance da qualidade para os clientes internos: um estudo em um conjunto de hospitais brasileiros. Rio de Janeiro: COPPEAD – UFRJ, 2005. 407 p. Originalmente apresentada como tese de doutorado (Administração).

BALANDIN, S.; HEMSLEY, B.; SIGAFOOS, J.; GREEN, V. Communicating with nurses: the experiences of 10 adults with cerebral palsy and complex communication needs. Applied Nursing Research, v. 20, n. 2, p. 56-62, 2007.

BATESON, J. E. G.; HOFFMAN, K. D. Marketing de serviços. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

BITNER, M. J. Servicescapes: the impact of physical surroundings on customers and employees. Journal of Marketing, v. 56, n. 2, p. 57-71, 1992.

BOSWELL, C.; CANNON, S.; AUNG, K.; ELDRIDGE, J. Na application of health literacy research. Applied Nursing Research, v. 17, n. 1, p. 61-64, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Ambiência. 2. ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006.

CBA CONSÓRCIO BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO. Manual internacional de padrões de Acreditação Hospitalar. 1. ed. Rio de Janeiro: CEPESC, 2003.

CIDADE, J. C. M.; CARVALHO, F. A. de; VIEIRA, P. R. C. Imagem de um Conselho Profissional: estudo empírico sobre um caso brasileiro. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 5, no. especial, p. 24-39, 2010.

DONABEDIAN, A. The definition of quality and approaches to its assessment. Ann Arbor, MI: Health Administration Press, 1980.

ENGEL, E. The basics of consumer protection: principles and policies. In: Frischtak, C. R. (Ed.). Regulatory policies and reform: a comparative perspective. Washington, D.C.: World Bank, 1995.

FAÇANHA, L. O.; RESENDE, M. Determinants of hierarchical structure in industrial firms: an empirical study. Economics of Governance, v. 11, n. 3, 2010.

FISCHER, M. J.; BROOME, M. E. Parent-provider communication during hospitalization. Journal of Pediatric Nursing, no prelo, doi 10.1016/j.pedn.2009.12.071, 2010.

FRAMPTON, S. B.; WAHL, C.; CAPPIELLO, G. Partnering with patients’ families. AJN American Journal of Nursing, v. 110, n. 7, p. 53-56, 2010.

GASTAL F. L.; QUINTO NETO A. Acreditação Hospitalar: proteção aos usuários, dos profissionais e das instituições de saúde. Porto Alegre: Dacasa, 1997.

GRIFFIN, T. Supporting families of infants with congenital heart disease. Newborn and Infant Nursing Reviews, v. 2, n. 2, p. 83-89, 2002. GRÖNROOS C. Marketing: gerenciamento e serviços. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

GRÖNROOS C. Marketing: gerenciamento e serviços. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

GUJARATI, D. N. Econometria básica. Rio de Janeiro: Campus, 2006.

HAIR JR. J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R.L.; BLACK, W.C. Multivariate Data Analysis. 5. ed. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall, 1998.

HARRIS, J. E. The internal organization of hospital: some economic implications. The Bell Journal of Economics, v. 8, n. 2, p. 467-482, 1977.

HINRICHSEN, S. L.; OLIVEIRA, C. L. F.; CAMPOS, M. A.; POSSAS, L. C. M.; SABINO, G.; VILELLA, T. A. S. Gestão da qualidade e dos riscos na segurança do paciente: estudopiloto. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 7, p. 10-17, jul./dez. 2011.

HUTTON, J. D.; RICHARDSON, L. D. Healthscapes: the importance of place. Journal of Healthcare Marketing, v. 15, n. 1, p. 10-11, 1995.

IACOBUCCI, D.. et al. Customer satisfaction across organizational units. Journal of Service Research, v. 6, n. 4, p. 231-242, feb. 2004.

JORGE, M. J.; CARVALHO, F. A.; JORGE, M. F.; MEDEIROS, R. O. Gestão do ambiente organizacional, expansão da unidade hospitalar e desenvolvimento do mercado de serviços de saúde no Brasil. RMMG – Revista Médica de Minas Gerais, v. 22, n. 1, p. 9-17, 2012.

KERZMAN, H.; BORNA-EPEL, O.; TOREN, O. What do discharged patients know about their medication? Patient Education and Counseling, v. 56, n. 3, p. 276-282, 2005.

KIM, Y. M.; KOLS, A.; BONNIN, C.; RICHARDSON, P.; ROTER, D. Client communication behaviors with health care providers in Indonesia. Patient Education and Counseling, v. 45, n. 1, p. 59-68, 2001.

LA FORGIA, G. M.; COUTTOLENC, B. F. Hospital performance in Brazil: The search for excellence. Washington, D.C.: The World Bank, 2008.

LEANDRO, A. I. P.; BRANCO, E. S. Importância do treinamento e desenvolvimento nos serviços de saúde. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 6, p. 64-69, jan./jun. 2011.

MARINHO, A.; FAÇANHA, L. O. Hospitais universitários: indicadores de utilização e análise de eficiência. Economia Aplicada, v. 6, n. 3, 2002, p. 607–638.

MINTZBERG, H.; LAMPEL, J.; QUINN, J. B.; GHOSHAL, S. O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. O’LEARY, D. S.; DONAHUE, K. T. A evolução dos sistemas de acreditação de instituições de saúde. Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas em Educação, v. 8, p. 5-16, jun. 2000.

O’LEARY, D. S.; DONAHUE, K. T. A evolução dos sistemas de acreditação de instituições de saúde. Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas em Educação, v. 8, p. 5-16, jun. 2000.

PEREIRA, C. A. R.; REZENDE, L. C. S.; SILVA, A. F.; SIEGA, A. M. S.; SILVA, L. O. Análise de risco em ambiente hospitalar: uma proposta de trabalho. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 7, p. 18-29, jan./dez. 2011.

PYTEL, C.; FIELDEN, N. M.; MEYER, K. H.; ALBERT, N. Nurse-patient/visitor communication in the emergency department. Journal of Emergency Nursing, v. 35, n. 5, p. 406-411, 2009.

SALES, P. R. Gestão de ambiente: responsabilidade de todos; benefícios e segurança para todos. Revista Home Care Brasil, v. 2, n. 16, p. 5-6, 2008.

SCHIMITH, M. D.; LIMA, M. A. D. S. Acolhimento e vínculo em uma equipe do Programa Saúde da Família. In: Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 6, p. 1487-1494, nov./dez. 2004.

SMITH, P. C.; STREET, A. Measuring the efficiency of public services: the limits of analysis. Journal of the Royal Statistical Society – Series A, v. 168, n. 2, p. 401-417, 2005.

VAKKURI, J. Research techniques and their use in managing non-profit organizations: an illustration of DEA analysis in NPO environments. Financial Accountability and Management, v. 19, n. 3, p. 243-263, 2003.

VIANA, M. F. V.; SETTE, R. S.; REZENDE, D. C.; BOTELHO, D.; POLES, K. Processo de acreditação: uma análise de organizações hospitalares. RAHIS – Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, ano 3, n. 6, p. 35-45, jan./jun. 2011