Enfoques multitemáticos para a gestão de Organizações Não Governamentais Outros Idiomas

ID:
29819
Resumo:
Este trabalho apresenta uma proposta metodológica voltada para a gestão de organizações não governamentais (ONGs), baseada em enfoques multitemáticos que possam ser aplicados em casos práticos de intervenção, em especial para subsidiar processos de planejamento estratégico. Espera-se que esses referenciais consigam contribuir para a expansão da capacidade de ONGs para lidar com diferentes desafios, tais como: atualizar missão e visão institucionais; formar novos líderes e profissionais de áreas-chaves; elaborar novas estratégias de mobilização de recursos; saber utilizar a mídia para expandir seu marketing social; e promover melhorias nos processos de produção e serviços sociais oferecidos à comunidade. Como prática, a orientação adotada foi a de promover processos participativos e inclusivos, implicando a escolha da pesquisa -ação como a mais adequada para o caso em questão. Embora esteja em fase inicial, o estudo já permite relatar alguns resultados referentes ao caso do Pró-Criança, uma ONG que desenvolve um ciclo de planejamento estratégico para os próximos cinco anos. Assim, após breve retrospectiva da trajetória do Pró-Criança no período recente, tomou-se a iniciativa de delinear uma agenda de trabalho que viabilize o processo de planejamento estratégico para esta ONG, incluindo ações afirmativas que incrementem sua capacidade organizacional. Nesta fase da pesquisa, duas propostas emergentes já podem ser citadas: a transformação do Pró-Criança em uma organização de aprendizagem, bem como em uma referência em gestão do conhecimento na sua área de atuação.
Citação ABNT:
OLIVEIRA, R. R.Enfoques multitemáticos para a gestão de Organizações Não Governamentais. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 3, n. 1, p. 144-167, 2010.
Citação APA:
Oliveira, R. R.(2010). Enfoques multitemáticos para a gestão de Organizações Não Governamentais. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, 3(1), 144-167.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/29819/enfoques-multitematicos-para-a-gestao-de-organizacoes-nao-governamentais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBERT, S.; ASFORTH, B. E.; DUTT ON, J. E. Organizational identity and identification: charting new waters and building new bridges. Academy of Mangement Review, v. 25, n. 1, p. 13 -17, 2000.

ANDERSON, G.; HERR, K. The New Paradigm Wars: Is There Room for Rigorous Practitioner Knowledge in Schools and Universities? Educational Researcher, v. 28, n. 5, p. 12-40, June/July. 1999.

ANDRÉ, M. Questões sobre os Fins e sobre os Métodos de Pesquisa em Educação. Revista Eletrônica de Educação , v. 1, n. 1, p. 119 -131, set. 2007. Disponível em: http://www.Rev.educ.ufscar.br/index.php/Rev.educ/article/viewFile/6/6 Acesso em 23 mar.2008. 2007.

ARMANI, D. Sustentabilidade: Desafio Democrático In FIEGE, Hans - Jürgen. ONGs no Brasil – Perfil de um mundo em mudança. Fortaleza: Fundação Konrad Adenauer, 2003.

BARCELLOS, P. F. P.; ANDRADE, A. L.; NÓBREGA FILHO, A. Construção do futuro com grupos sociais complexos: utilizando o pensamento sistêmico no planejamento de longo prazo com a participação de comunidades de aprendizagem. Revista Administração, São Paulo, v. 40, n. 4, p.321-329, out./nov. /dez. 2005. Disponível em: www.rausp.usp.br/download.asp?file=V. 4004321.pdf .Acesso em: 15 mai.2009. 2005.

BRICKSON, S. Organizational identity orientation: The genesis of the role of the firm and different forms of social value. Academy of Management Review, v. 32, n. 3, p. 864-888, 2007.

BRYSON, J. M. What to do when stakeholders matter. Stakeholder Identification and Analysis Techniques. Public Management Review, v. 6, n. 1, p. 21 -53, 2004.

DE VITA, C. J.; FLEMING, C.; TWOMBLY, E. C. Building Nonprofit Capacity: A Framework f or Addressing the Problem. In: DE V. ITA, C. J.; FLEMING, C. (eds.), Building Capacity in Nonprofit Organizations. Washington: The Urban Institute Press, 2001. Disponível. el em: http://www.urban. org/UploadedPDF/building_capacity.PDF. Acesso em: 13 jan. 2009.

DIAS, C. M. Condições capacitadoras à criação do conhecimento organizacional: o caso do Movimento Pró-Criança. Dissertação (Mestrado em Administração). Universidade Federal de Pernambuco, 2008.

DINIZ, J. H. A. S. O reflexo dos ajustes das Organizações Não -Governamentais internacionais -ONGIs, às modernas práticas administrativas, sobre o seu caráter institucional original. Dissertação (Mestrado em Administração). Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Pernambuco, 2000.

DOHERTY, S.: MAYER, S. E. Results of an Inquiry into Capacity Building Programs for nonprofit programs. Minneapolis: Effective Communities Project, 2003. Disponível em: http://www.effectiv. ecommunities.com/pdfs/ECP_CapacityBuildingInquiry.pdf. A cesso em: 13 jan.2009. 2003.

EDEN, C.; HUXHAM, C. Pesquisa-ação no estudo das organizações. In CLEGG, S.R. et.al. (Orgs.), Handbook de Estudos Organizacionais: Reflexões e novas direções. V. 2. São Paulo: Atlas, 2001.

FERNANDES, R. C. Elos de uma cidadania planetária. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 28, 1995. Disponível em: http://www.anpocs.org.br/portal/publicacoes/rbcs_00_28/rbcs28_02.htm Acesso em: 27 abr. 2007.

FERREIRA, S. M. Compartiendo conocimientos para superar la pobreza. Una Propuesta de Sistema de Manejo del Conocimiento para CARE en la Región de América Latina Y el Caribe. Lima, Perú: 2002.

GANDIN, D. A Posição do Planejamento Participativo entre as Ferramentas de Intervenção na Realidade. Currículo sem Fronteiras, v. 1, n. 1, p. 81 -95, Jan/Jun. 2001. Disponível em: www.curriculosemfronteiras.org/v. ol1iss1articles/gandin.pdf . Acesso em: 31 ago. 2009.

GARVIN, D. Gestão do Conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 2001 .

GOOIJER, J. Designing a knowledge management performance framework. Journal of Knowledge Management, v. 4, n. 4, p. 303 -311, 2000.

IORIO, C. Mobilização de recursos: Algumas idéias para o debate. Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Lideranças, 2004. Disponível em: http://www.abdl.org.br/article/v iew/198/1/155. Acesso em: 30 jul. 2007.

KUMAR, R. Making E-Government Projects in Dev. eloping Countries More Successful and Sustainable Lessons from Two Case Studies from India. Information Technology in Dev. eloping Countries, v. 17, n. 3, p. 2 -6, November. 2007. Disponível em: http://www.iimahd.ernet.in/egov/ifip/nov. 2007/nov2007.pdf. Acesso em: 20 fev.2009. 2007.

LANDAETA, R. P. Gestión del conocimiento: una v. isión integradora del apren dizaje organizacional. Revista de Investigación en Gestión de la Innovación y Tecnología. n. 18, agosto/setembro. 2003. Disponível em: http://www.madrimasd.org/Revista/Rev.ista18/tribuna/tribuna2.asp. Acesso em: 30 jul. 2007. 2003.

LANDSBERG, B. E. The Nonprofit Paradox: For-Profit Business Models in the Third Sector. The International Journal of Not -for-Profit Law, v. 6, n. 2, January 2004. Disponível em: http://www.icnl.org/KNOWLEDGE/ijnl/vol6iss2/special_7.htm . Acesso em: 12 jan.2009. 2004.

MARINO, E.; KISIL, R. Inovações no Planejamento da Sustentabilidade em Organizações da Sociedade Civil. Revista Integração, Ano X, n. 74, junho 2007. Disponível em: http://integracao.fgv. sp.br/ano10/06/index.htm. Acesso em: 13 jul. 2007.

MELO NETO, F. P.; FROES, C. Gestão da Responsabilidade Social Corporativa: O caso brasileiro. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

MENDONÇA, M. J. S.; KAUCHAKJE, S.; GARCIAS, C. M. Av. aliação social: Uma ferramenta para a reconfiguração de espaços de exclusão social. In: Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 16, Anais. ABEP, Caxambú/MG, 2008. Disponível em: http://www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2008/docspdf/ABEP2008_1105.pdf . Acesso em: 25 mar. 2010.

MILLAR, M. E.; ABRAHAM, A. Towards the Development of an Integrative Governance Framework for the Third Sector: A Theoretical Review and Analysis. In: Proceedings of the 8th Biennnial Conference of Australia & New Zealand Third Sector Research, Navigating New Waters, Adelaide, Australia, 26-28. November. 2006. Disponível em: http://ro.uow.edu.au/cgi/viewcontent.cgi?article=1227&context=commpapers. Acesso em: 30 jul.2007. 2006

MOKATE, K. M. Convirtiendo el “monstruo” en aliado: la evaluación como herramienta de la gerencia social. Revista do Serviço Público , v. 53, n. 1, p. 89 -131, jan./mar. 2002. Disponível em: http://www.bdp.org.ar/facultad/catedras/cp/analisispp/Mokate%20ev. aluaci%F3n.pdf Acesso em: 12 jan.2010.

MOTTA, P. R. Transformação Organizacional. A Teoria e a Prática de Inovar. Editora Qualitymark, S/D. Disponível em: http://www.ims.uerj.br/gestaosaude/downloads/transformacao.pdf. Acesso em: 12 set.2009.

MOVIMENTO PRÓ-CRIANÇA, 2010. Disponível em: http://www.movimentoprocrianca.org.br. Acesso em: 11 set. 2010.

NOGUEIRA, M. A. Sociedade civil, entre o político -estatal e o universo gerencial. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 18, n. 52, p. 185-202, junho. 2003. Disponív. el em: http://redalyc.uaemex.mx/src/inicio/ArtPdfRed.jsp?iCve=10705210&iCveNum=1202 Acesso em: 12 mar.2006. 2003.

PRADO, M. A. M. Da mobilidade social à constituição da identidade política: reflexões em torno dos aspectos psicossociais das ações coletivas. Psicologia em Revista, v. 8, n. 11, p. 59-71, jun. 2002. Disponível em: http://www.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20041214154124.pdf . Acesso em: 28 abr. 2007. 2002.

RANGAN, V. K.; LEONARD, H. B.; McDONALD, S. The Future of Social Enterprise. Harv. ard Business School, Working Paper, 08-103, 2008. Disponível em: http://www.hbs.edu/research/pdf/08 -103.pdf.Acesso em: 12 jan. 2009.

RENSHAW, S.; KRISHNASWAMY, G. Critiquing the Knowledge Management Strategies of Non profit Organizations in Australia. PWASET Proceedings Of World Academy Of Science, Engineering And Technology, v. 37, p. 456 -464. January. 2009. Disponív. el em: http://www.waset.org/pwaset/v37/v37-85.pdf. Acesso em: 12 fev. 2009.

RIGO, E. O. La gestió del compromís: construir la identitat i els valors a les organitzacions a partir de les relacions publiques. Anàlisi, n. 34, p. 181-192, 2006. Disponível em: http://ddd.uab.cat/pub/analisi/02112175n34p181.pdf. Acesso em: 12 jan. 2009.

RODRIGUES, A. L. Modelos de gestão e inovação social em organizações sem fins lucrativos: divergências e convergências entre nonprofit sector e economia social. Organizações & Sociedade, v. 14, n. 43, p. 111-128, Outubro/Dezembro. 2007. Disponível em: http://www.Revistaoes.ufba.br/viewissue.php?id=36&locale=&locale=es&locale =. Acesso em: 15 dez. 2008. 2007.

RODRIGUES, A. L.; ALVES, M. A. Fairy Tales organizations: Myth and reality in Brazilian Third Sector Organizations. In: Annall of 5º Annual Meeting of International Society of Third sector research, 2002, Cape Town, SA. 5º Annual Meeting of ISTR. Globalization in the Era of (dis)order, 2002. Disponível em: http://www.istr.org/conferences/capetown/volume/rodrigues.pdf . Acesso em: 12 ago. 2008. 2002.

RONDON, H. C. T.; OLIVEIRA, R. R. Quem são as Organizações da Sociedade Civil Brasileira Parceiras do Programa de Mobilização de Recursos da Oxfam GB. Anais da VI Conferencia Regional de ISTR para América Latina y El Caribe. 8 a 11 nov. 2007, Salvador, Bahía, Brasil. Organizanização: ISTR y CIAGS/UFBA. Disponível em: http://www.lasociedadcivil.org/docs/ciberteca/036.pdf . Acesso em: 28 out. 2008. 2007.

SALAMON, L. A emergência do terceiro setor uma Revolução associativa global. Revista de Administração, v. 33, n. 1, p.5-11, jan/mar. 1998.

SCOTT, S. G.; LANE, V. R. A stakeholder approach to organizational identity. The Academy of Management Review, v. 25, n. 1, p. 43 -62, 2000.

SCOTT, W. R. Institutions and organizations. Thousand Oaks, Sage Publications: 1995.

SILVA, G. P.; OLIVEIRA, R. R. 2004. Planejamento Estratégico Participativo: fonte de Capital Social. O Caso do Pró-Criança. In Encontro Anual da ANPAD, 28, Anais.. ENANPAD, Curitiba – PR: Associação Nacional de Programas de Pós -Graduação em Administração, 2004.

SILVA. G. P. Planejamento estratégico participativ. o como fonte de capital social. Dissertação (Mestrado em Administ ração). Univ. ersidade Federal de Pernambuco, 2004.

STEINAUER, J. M. Marketing a Cause : Incentive, p. 55-56. jan. 2000.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-Ação. São Paulo: Cortez, 2000.

WHYTE, D. J.; FOOTE, W.; IRA, H. Participatory act ion research as a process and as a goal. Human Relations, v. 46, n. 2, p. 175-193, feb. 1993.

WOOD, D. J. Corporate Social Performance Rev.isited. Academy of Management Rev.iew, v. 16, n. 4, p. 691-718, 2001.