Prestação de contas nos portais eletrônicos de Assembleias Legislativas: um estudo após a Lei de Acesso à Informação Outros Idiomas

ID:
30366
Resumo:
O artigo tem por objetivo investigar a prestação de contas nos portais eletrônicos de Assembleias Legislativas após a Lei de Acesso à Informação entrar em vigor. Trata-se de um estudo descritivo, realizado por meio de uma pesquisa de levantamento, com abordagem qualitativa. O instrumento utilizado para coleta de dados foi o protocolo de informação, sendo os dados analisados por meio da análise descritiva. Dos 27 portais analisados, 21 apresentaram capacidade baixa em possibilitar a construção de prestação de contas. Esses dados demonstram a quase inexistência de utilização dos portais para prestar contas dos gastos incorridos pelos deputados.
Citação ABNT:
RAUPP, F. M.; PINHO, J. A. G. Prestação de contas nos portais eletrônicos de Assembleias Legislativas: um estudo após a Lei de Acesso à Informação. Revista Gestão & Planejamento, v. 15, n. 1, p. 144-161, 2014.
Citação APA:
Raupp, F. M., & Pinho, J. A. G. (2014). Prestação de contas nos portais eletrônicos de Assembleias Legislativas: um estudo após a Lei de Acesso à Informação. Revista Gestão & Planejamento, 15(1), 144-161.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/30366/prestacao-de-contas-nos-portais-eletronicos-de-assembleias-legislativas--um-estudo-apos-a-lei-de-acesso-a-informacao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABREU, J. C. A. de; ARMOND-DE-MELO, D. R.; LEOPOLDINO, C. B. Administração pública, democracia participativa e internet: uma análise sobre os portais dos municípios da Região de Agulhas Negras/RJ. Revista de Administração Municipal, Rio de Janeiro, v. 273, p. 1-16, 2010.

AKUTSU, L.; PINHO, J. A. G. Sociedade da informação, accountability e democracia delegativa: investigação em portais de governo no Brasil. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 5, p. 723-745, set./out. 2002.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei Complementar n° 101, de 04 de maio de 2000. Lei de Responsabilidade Fiscal. Brasília: Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2000.

BRASIL. Lei Complementar n° 131, de 27 de Maio de 2009. Lei da Transparência. Brasília: Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2009.

BRASIL. Lei n° 12.527, de 18 de novembro de 2011. Lei de Acesso à Informação. Brasília: Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos, 2011.

CONTANDRIOPOULOS, A. et al. Saber preparar uma pesquisa: definição, estrutura e financiamento. São Paulo: Hucitec: Abrasco, 1994.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

CUNHA, M. A. V. C. Portal de serviços públicos e de informação ao cidadão: estudo de casos no Brasil. 2000. 172f. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

DINIZ, E. H.; BARBOSA, A. Site de governo na América Latina: presença on-line das áreas institucionais, econômicas e sociais. In: FERRER, F.; SANTOS, P. (Org.). E-government: o governo eletrônico no Brasil. São Paulo: Saraiva, 2004.

JAMBEIRO, O. et al. e-Governo, Participação e transparência de gestão. In: CONFERÊNCIA ACORNREDECOM, 5., 2011. Lima. Anais... Lima, 2011.

JAMBEIRO, O.; BORGES, J.; ANDRADE, R. S. Acessibilidade, navegabilidade e conteúdos em portais e websites de governo eletrônico em capitais brasileiras. Comunicação & Informação, v. 9, p. 200-213, 2006.

LÉVY, P. Ciberdemocracia. Lisboa: Instituto Piaget, 2004.

MARTINS, José de Souza. O poder do atraso: ensaios de sociologia da história lenta. São Paulo: Hucitec. 1994.

PEIXOTO, T.; WEGENAST, T. A. Democracia eletrônica no Brasil e no Mundo. Revista do Legislativo, Minas Gerais, n. 43, p. 152-165, jan. 2011.

PINHO, J. A. G. Investigando portais de governo eletrônico de estados no Brasil: muita tecnologia, pouca democracia. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, v. 42, n. 3, p.471-493, maio./jun. 2008.

PINHO, J. A. G.; SACRAMENTO, A. R. Accountability: já podemos traduzi-la para o português? Revista de Administração Pública, v. 43, n. 6, p.1343-1368, nov./dez. 2009.

PRADO, O. Governo eletrônico e transparência: a publicização das contas públicas das capitais brasileiras. 2004. 180 f. Dissertação (Mestrado em Administração Pública e Governo) Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2004.

PRADO, O.; PÓ, M. V. Discursos, prestação de contas e responsabilização democrática nas reformas da gestão pública. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 31., 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

PRZEWORSKI, A. Sobre o desenho do Estado: uma perspectiva agente x principal. In: PEREIRA, L. C. P.; SILVA, L. M. Contabilidade governamental: um enfoque administrativo. São Paulo: Atlas, 2008.

SIMÃO, J. B.; RODRIGUES, G. Acessibilidade às informações públicas: uma avaliação do portal de serviços e informações do governo federal. Ciência da Informação, Brasília, v. 34, n. 2, p. 81-92, 2005.

SPINK, P. K. (Org.). Reforma do estado e administração pública gerencial. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1998.

VAZ, José Carlos. A evolução da oferta de serviços e informações ao cidadão pelos portais municipais brasileiros: entre a inovação e a oferta básica. Informática Pública, v. 2, p. 65-78, 2008.

WILKEN, E. S. Técnica orçamentária e contabilidade pública. Rio de Janeiro: Aurora, 1970.

ZURRA, R. J. O.; CARVALHO, M. A. O E-Legislativo como ferramenta de transparência na administração pública brasileira. In: ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E GOVERNANÇA, 3., 2008, Salvador. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.