O Cluster cinematográfico de Paulínia: uma análise da inovação e do empreendedorismo da indústria do cinema em Paulínia-SP Outros Idiomas

ID:
30777
Resumo:
Este artigo tem por objetivo caracterizar a estruturação produtiva da indústria cinematográfica de Paulínia-SP, observando como as empresas e o Estado se relacionam no polo cinematográfico lá instalado, tendo em vista os conceitos de Cluster, especialização flexível e competitividade; além de levar em consideração a história da produção de cinema no país, desde seu surgimento no século XIX, passando pelas tentativas de industrialização, pela criação da estatal Embrafilme e estabelecendo o cenário conjuntural da “retomada” na década de 90 e começo do século XXI. Após a construção desse cenário, buscaremos avaliar as perspectivas de competitividade do cinema brasileiro, desde muito cedo “sufocado” pelo filme estrangeiro e com problemas endêmicos de dependência do Estado. Buscamos identificar se há um arranjo produtivo local em torno dessa atividade e seu estado de desenvolvimento, ressaltando sua relevância para o futuro do cinema no Brasil.
Citação ABNT:
UCHOA, G. M.; DIAS, R. O Cluster cinematográfico de Paulínia: uma análise da inovação e do empreendedorismo da indústria do cinema em Paulínia-SP. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 7, n. 2, p. 20-37, 2013.
Citação APA:
Uchoa, G. M., & Dias, R. (2013). O Cluster cinematográfico de Paulínia: uma análise da inovação e do empreendedorismo da indústria do cinema em Paulínia-SP. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 7(2), 20-37.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/30777/o-cluster-cinematografico-de-paulinia--uma-analise-da-inovacao-e-do-empreendedorismo-da-industria-do-cinema-em-paulinia-sp/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALTBERG, J.A. Política cultural no cinema, Rio de janeiro: IUPERJ/FUNARTE, 1983.

ALVARENGA, Marcos Vinícius T. Cineastas e a formação da ANCINE (1999-2003). São Carlos: UFSCar, 2010. [Dissertação (Mestrado) -Universidade Federal de São Carlos, 2010.

AMORIM, M. A. “Clusters” como estratégia de desenvolvimento industrial no Ceará. Fortaleza: Banco do Nordeste, 1998.

ANCINE – Agência Nacional de Cinema. Apresentação. s/d Disponível em http://www.ancine.gov.br/ancine/apresentacao Acesso 15 set 2013.

ANCINE Competências da ANCINE. s/d c Disponível em http://www.ancine.gov.br/competencias-daancine Acesso 16 set 2013.

ANCINERegulação – o que é. s/d b Disponível em < http://www.ancine.gov.br/regulacao/o-que-e> Acesso 16 set 2013.

ANTONELLI, Juliana Sangion. Vale a pena ver de novo? A Globo filmes e as novas configurações do audiovisual brasileiro na pós-retomada. Campinas: Instituto de Artes Unicamp, 2011 [Tese de Doutorado].

ARAÚJO, Luciana C. O Cinema Silencioso pernambucano e suas histórias. Mnemocine. 2008. Disponível em: . Acesso 11 jun. 2012.

ASSAF, Alice Gonzaga. 50 anos de Cinédia. Rio de Janeiro: Record, 1987.

BARROSO, Henrique César Muzzio de Paiva; BATISTA, Paulo César de Sousa. Estratégias das Pequenas e Médias Empresas (PME’s) na formação do Cluster têxtil da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) In: EGEPE – ENCONTRO DE ESTUDOS SOBRE EMPREENDEDORISMO E GESTÃO DE PEQUENAS EMPRESAS. 3. 2003, Brasília. Anais... Brasília: UEM/UEL/UnB, 2003, p. 650-665.

BERNARDET, Jean-Claude. Cinema brasileiro: propostas para uma história. 2A ed. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2009.

BERNARDET, Jean-Claude. Cinema brasileiro: propostas para uma história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

BRASIL. Decreto-lei no 862, de 12 de setembro de 1969. Autoriza a criação da Emprêsa Brasileira de Filmes Sociedade Anônima (EMBRAFILME), e dá outras providências. Poder Executivo, Brasília, DF, 27 set. 1969.

BRASIL. Decreto no 99.226, de 27 de abril de 1990. Dispõe sobre a dissolução de entidades da Administração Pública Federal, e dá outras providências. Poder Executivo, Brasília, DF, 27 abr. 1990b.

BRASIL. Lei no 8.029, de 12 de abril de 1990. Dispõe sobre a extinção e dissolução de entidades da administração Pública Federal, e dá outras providências. Poder Executivo, Brasília, DF, 15 mar. 1990c.

BRASIL. Lei no 8405, de 9 de janeiro de 1992. Autoriza o Poder Executivo a instituir como fundação pública a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES e dá outras providências. Poder Executivo, Brasília, DF, 09 jan. 1992

BRASIL. Medida provisória no 151, de 15 de março de 1990. Dispõe sobre a organização da Presidencia da Republica e dos Ministerios, e dá outras providências. Poder Executivo, Brasília, DF, 15 mar. 1990a.

BUTCHER, Pedro; ZACHARIAS, João Cândido; GOMES, Alice; ADAMS, Barbara. Globo Filmes. Filme B. edição especial. mai. 2008.

CASSIOLATO, José Eduardo; LASTRES, Helena M. M. O foco em arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In: CASSIOLATO, J.E.; LASTRES, H. M. M.; MACIEL, M. L. (orgs). Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará Editora, 2003. p. 21-34.

CATANI, Afrânio M. História do cinema brasileiro: 4 ensaios. São Paulo: Panorama, 2004

CINÉDIA. História. s/d. disponível em Acesso em 20 jan. 2012.

COUTINHO, Gisela Aguiar Soares. Reestruturação da cadeia produtiva têxtil em Valença-RJ. Revista Economia & Gestão v.8 n.17, pp.01-21 2008.

FABRIS, Mariarosaria. Nelson Pereira dos Santos: um olhar neo-realista?. São Paulo: Edusp, 1994.

FERREIRA, Suzana Cristina de Souza. Adhemar Gonzaga e a Cinédia : Imagens de um país que dança. Belo Horizonte: Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas UFMG, 2006 [Tese de Doutorado]

GATTI, André P. Distribuição e exibição na indústria cinematográfica brasileira (1993 – 2003). Campinas: Instituto de Artes Unicamp, 2005 [Tese de Doutorado]

GATTI, André P. Embrafilme e o cinema brasileiro [recurso eletrônico] São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 2007a. 113 p. em PDF (cadernos de pesquisa; v. 6)

GATTI, André P. O mercado cinematográfica brasileiro: uma situação global? In: MELEIRO, A. (org.). Cinema no mundo: indústria, política e mercado. América Latina Volume II. São Paulo: Escrituras Ed., 2007b p. 120.

GOMES, Paulo Emílio S. Cinema: trajetória no subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

GONÇALVES, Reinaldo; BAUMANN, Renato; CANUTO, Otaviano; PRADO, Luiz Carlos D.A Nova Economia Internacional: Uma Perspectiva Brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1998 .

GONSALEZ, Alexandra. Luz, câmera, empregos. Revista Você S/A. n. 148, São Paulo. p. 62-65. Out. 2010.

IKEDA, Marcelo. Distribuição de longas-metragens brasileiros a partir das leis de incentivo (19952007): um panorama. in: X Estudos de Cinema e Audiovisual. p. 89-150. SOCINE. São Paulo, 2010.

IMDb THE INTERNET MOVIE DATABASE. S/D. Disponível em: . Acesso em 04 jul. 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Dados básicos, S/D. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2012.

LIMA, André Luís M. A Chanchada brasileira e a mídia: O diálogo com o rádio, a imprensa, a televisão e o cinema nos anos 50. São Paulo: Escola de Comunicação e Artes – USP, 2007 [Dissertação de Mestrado]

LOBATO, Ana Lúcia. Os Ciclos Regionais de Minas Gerais, Norte e Nordeste (1912-1930) in: RAMOS, Fernão (org.) História do cinema brasileiro. São Paulo: Art,1987, pp. 65-95

LYRA, Bernadette. A emergência de gêneros no cinema brasileiro: do primeiro cinema às chanchadas e pornochanchadas. Conexão – Comunicação e cultura. Vol.6 no 11,pp.141-159, 2007.

MARSON, Melina I. O Cinema da Retomada: Estado e cinema no Brasil da dissolução da Embrafilme à criação da ANCINE. Campinas: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – Unicamp, 2006 [Dissertação de Mestrado]

MARTINELLI, S. (org.) Vera Cruz : Imagens e História do Cinema Brasileiro. São Paulo: ABooks, 2002.

MASSON, Celso. Caros, ruins e você paga. Veja. n.1604 p.114, jun. 1999.

MENDONÇA, Leandro José Luz Riodades de. Cinema e indústria: o conceito de modo de produção cinematográfico e o cinema brasileiro. Tese de doutorado. ECA-USP, 2007.

MinC – Ministério da cultura. Centro técnico Audiovisual. A Embrafilme. Disponível em , 2008. Acesso 01 jul. 2012.

MinC – Ministério da cultura. Cinemateca. Disponível em Acesso em 20 abr. 2012.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira. São Paulo: Brasiliense, 2001.

PACHECO, Camila Caprini de Campos. Paulínia: Investimento público em cinema como propulsor cultural, social e econômico. São Paulo: CEACC/ECA-USP, 2009. [Trabalho de conclusão de curso]

PORTER, Michael E. A vantagem competitiva das nações. Tradução de Valtensir Dutra. 14ªed. Rio de Janeiro: Campus, 1990b.

PORTER, Michael E. Cluster and the new economics of competition. Harvard Business Review, Boston, p.77-90. nov-dez, 1998.

PORTER, Michael E. THE competitive advantage of nations. Harvard Business Review, Boston, p.71-91. mar-abr. 1990a.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA – PMP. Cultura presta contas: Primeira audiência pública do Fundo Municpal de Cultura, 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2012.

QUEIROZ, Eliana. A scena muda como fonte para a história do cinema brasileiro (1921-1933). São Paulo: Escola de Comunicação e Artes USP, 1981. [Dissertação de Mestrado]

RAMOS, Fernão. Mauro documentarista. Revista USP. v.63 p.157-168 São Paulo, 2004.

RAMOS, Fernão; MIRANDA, Luiz Felipe. Enciclopédia do cinema brasileiro. São Paulo: Senac, 2000.

SABEL, Charles F.; Piore, Michael J. The second industrial divide: possibilities for prosperity. New York: Basic Books, 1984.

SALLES, Filipe. A Atlântida de 1950 a 1960. s/d Disponível em . Acesso em 14 dez. 2011

SEBRAE. Arranjo Produtivo Local. Brasília: SEBRAE, 2010.

SEBRAE. Subsídios para a identificação de clusters no Brasil: atividades da indústria (relatório de pesquisa). São Paulo: SEBRAE, 2002.

SIMIS, Anita. Estado e Cinema no Brasil. São Paulo: Annablume, 1996.

SONZOGNO, Victor Enrico Clusters industriais: um estudo sobre o cluster de calçados de Franca e seu real grau de internacionalização. São Paulo: FEA-USP, 2003 [Trabalho de conclusão de curso].

VIEIRA, João Luiz. A Chanchada e o Cinema Carioca (1930-1955) in: RAMOS, Fernão (Org.) História do cinema brasileiro. São Paulo: Art,1987, pp.131-187.