Aceitação e resistência ao processo de acreditação hospitalar sob a perspectiva dos profissionais que atuam em instituições hospitalares Outros Idiomas

ID:
30826
Resumo:
O foco da pesquisa foi analisar a relação entre os indicadores de resistência e aceitação ao processo de mudança organizacional, como fatores que podem afetar o processo de implantação da Acreditação Hospitalar, sob a perspectiva dos profissionais que atuam em instituições hospitalares. A definição dos fatores se deu com base na análise teórica e a escolha daqueles recorrentes entre os autores estudados. Aplicou-se questionário a um grupo diversificado de profissionais que atuam em áreas e cargos distintos em instituições hospitalares com diversos níveis de complexidade. Após a avaliação do resultado do questionário foi conduzida uma entrevista semi-estruturada, junto a alguns desses profissionais ocupantes de cargos estratégicos e responsáveis pela condução direta ou indireta do processo de Acreditação Hospitalar. Os resultados confirmam a importância do envolvimento da alta administração como fator condicionado ao êxito no projeto. A inabilidade dos gestores para envolver os profissionais do nível operacional na elaboração dos planos de ação e reestruturação dos processos foi avaliada como um indicador de resistência que compromete o desempenho do processo de Acreditação Hospitalar.
Citação ABNT:
BOMFIN, D. F.; TRIVELLATO, L. P.; HASTENREITER, F. Aceitação e resistência ao processo de acreditação hospitalar sob a perspectiva dos profissionais que atuam em instituições hospitalares. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 7, n. 2, p. 116-133, 2013.
Citação APA:
Bomfin, D. F., Trivellato, L. P., & Hastenreiter, F. (2013). Aceitação e resistência ao processo de acreditação hospitalar sob a perspectiva dos profissionais que atuam em instituições hospitalares. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 7(2), 116-133.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/30826/aceitacao-e-resistencia-ao-processo-de-acreditacao-hospitalar-sob-a-perspectiva-dos-profissionais-que-atuam-em-instituicoes-hospitalares/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRAHAMSON, Eric. Mudança organizacional: uma abordagem moderna, criativa e inovadora. São Paulo: M. Books, 2006.

BERTONI, Bartira. Reengenharia Humana: preparando o indivíduo para mudança. Salvador, BA: Casa da Qualidade, 1994.

BERWICK, Donald M. Melhorando a qualidade dos serviços médicos, hospitalares e da saúde. São Paulo: Makron Books, 1994.

BLOCK, Peter. Consultoria: O desafio da liberdade. São Paulo: Makron Books, 2001.

BRASIL. Decreto no 4.327, de 8 de agosto de 2002. Aprova critérios para concessão do certificado de filantropia para os hospitais. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 2002.

CALVO, Maria Cristina. Hospitais públicos e privados no Sistema Único de Saúde: O mito da eficiência privada no Estado de Mato Grosso em 1998. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

CAMPOS, A. C. B. Avaliação de uma instituição hospitalar com base no Programa de Acreditação Hospitalar. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2006.

COUTO, Renato Camargos; PEDROSA, Tânia Moreira Grillo. Hospital: acreditação e gestão em saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

FELDMAN, L. B.; GATTO, M. A. F.; CUNHA, I. C. K. O. História da evolução da qualidade hospitalar: dos padrões a acreditação. Acta Paul. Enferm, 2005, 18 (2), p. 213-9.

GONÇALVES, E. L. Hospital e a visão administrativa contemporânea. São Paulo: Pioneira, 1983.

LIMA, S. M. L.; PORTELA, M. C.; UGÁ, M. A. D.; BARBOSA, P. R.; GERSCHMAN, S.; VASCONCELLOS, M. M. Hospitais filantrópicos e a operação de planos de saúde próprios no Brasil. Revista de Saúde Pública, 2007, 41(1), p. 116-23.

LÜDKE, Menga, ANDRÉ, Marli E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

MEZOMO, João Catarin. Gestão da Qualidade na Saúde. Princípios Básicos. Barueri: Manole, 2001.

MINOTTO, Ricardo. A estratégia em organizações hospitalares. Porto Alegre: EDIPUCRS 2003.

MOTTA, P. R. Transformação Organizacional: A teoria e a Prática de Inovar. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1997.

NASCIMENTO, C. C. P.; TOFFOLETTO, M. C.; GONÇALVES, L. A.; FREITAS, W. G.; PADILHA, K. G. Indicadores de resultados da assistência: análise dos eventos adversos durante a internação hospitalar. Revista Latino Americana Enfermagem, 16(4), julho/agosto, 2008.

ORGANIZAÇÃO NACIONAL DE ACREDITAÇÃO – ONA. Manual Brasileiro de Acreditação Hospitalar, 2006.

PALADINI, Edson Pacheco. Gestão Estratégica da qualidade: princípios, métodos e processos. São Paulo: Atlas, 2008.

PIRES, Denise. Reestruturação produtiva e trabalho em Saúde no Brasil. São Paulo: Annablume 1998.

ROBBINS, Stephen Paul. Administração: Mudança e Perspectiva. São Paulo: Saraiva, 2001.

SENGE, Peter. M. A Quinta Disciplina: Arte e Prática na Organização que Aprende. São Paulo: Best Seller, 1998.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2005.

VILAR, Josier Marques (Org.) Governança corporative em saúde: uma receita de qualidade para as empresas do setor. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

YIN, Robert K. Case stydy research: design and methods. Newbury Park, CA: Sage Publications, 1989.

YIN, Robert K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005