A construção do mercado de estágios em Administração na cidade de Porto Alegre Outros Idiomas

ID:
30839
Resumo:
Os estágios permitem ao estudante desenvolver experiências de trabalho no seu ramo de formação, tornando-se importantes na inserção profissional desses jovens. Porém, com as mudanças no mercado de trabalho, essa modalidade tem sofrido desvios de seu projeto pedagógico original, assumindo por vezes a forma de um contrato de trabalho precário. Para aprofundar a compreensão sobre tal temática, este trabalho tem por objetivo analisar como se organiza o mercado de estágios em Administração na cidade de Porto Alegre. Optou-se por focar na área de Administração por estar entre as mais representativas no número de ofertas de estágio. Para realização da pesquisa, foram analisados: artigos e dados de órgãos de pesquisa evidenciando as transformações nas estruturas ocupacional e educacional no país; os aspectos legais (leis 9.474 de 1977 e 11.788 de 2008); entrevistas com centros de integração (duas); representantes de instituições de ensino superior (quatro) e estudantes dos cursos de Administração de uma instituição pública (21) e uma privada (11). Verificou-se que o crescimento dos cursos superiores de administração, a heterogeneidade dos novos contratos de trabalho e a atuação de intermediários contribuem para o crescimento de um modelo de estágios distante do objetivo de formação e com a aproximação de um emprego formal. Neste cenário abre-se espaço para o surgimento de distorções, em que os estágios assumem características de contratos temporários e nem sempre há o cumprimento da legislação.
Citação ABNT:
OLIVEIRA, S. R.; PICCININI, V. A construção do mercado de estágios em Administração na cidade de Porto Alegre. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 6, n. 4, p. 29-48, 2012.
Citação APA:
Oliveira, S. R., & Piccinini, V. (2012). A construção do mercado de estágios em Administração na cidade de Porto Alegre. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 6(4), 29-48.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/30839/a-construcao-do-mercado-de-estagios-em-administracao-na-cidade-de-porto-alegre/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRES. Associação Brasileira de Estágios. Disponível em: www.abres.org.br. Acesso em maio de2010.

ABREU, Y. I. F. de et al. Se você é motivado, pró-ativo e tem paixão por resultados. Análise de conteúdo de anúncios de estágio e trainee. In: Anais do 28° ENANPAD, 2004.

AMORIM, Tânia Nobre Gonçalves Ferreira Ter estagiários de administração: bom só para as empresas? VI ENANGRAD Encontro Nacional dos Estudantes de Graduação. Anais...ENANGRAD: Natal, 1995.

AMORIM, Tânia Nobre Gonçalves Ferreira; FREITAS, Tiziana J. Severi; WANDERLEY Lúcia de Fátima Vieira da Cunha. Estágio universitário: problema ou solução? V ENANGRAD – Encontro Nacional dos Estudantes de Graduação. Anais... Piracicaba, 1994.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

BERTERO, C. O. Ensino e pesquisa em administração. São Paulo: Thompson, 2007.

BIANCHI, Gabriela; ROCHA-DE-OLIVEIRA, Sidinei. As representações sociais do s universitários de Administração sobre a experiência de estágio. In: XXXV EnANPAD, 2011, Rio de Janeiro.

BOURDIEU, P. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1999.

BRASIL. Lei Federal nº 6.494 de 07 de dezembro de 1977. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília – DF, 9 de dezembro de 1977.

CAMPÊLO, A.; ALMEIDA, A. É possível desenvolver habilidades de intraempreendedorismo em estágios supervisionados? Analisando uma proposta de aproximação teórico-empírica. In: EnEPQ, 2007, Recife. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

CERETTA, Paulo Sergio, TREVISAN, Marcelo; MELO Glenara Charão de. Estágio extracurricular e seus reflexos na formação do administradora. VI ENANGRAD – Encontro Nacional dos Estudantes de Graduação. Anais...ENANGRAD: Florianópolis, 1996

CHEVALIER, J. M. Preface. GENERATION PRECAIRE. Sois stage et tais toi. Paris: la Découverte. 2005.

DOMINGO, P. Logiques d’usages des stages sous statut scolaire. Formation Emploi, n. 79, juillet-septembre, 2002.

DUBAR, C. La construction sociale de l’insertion professionnelle. Education et Sociétés, v. 7, n. 1, pp. 23-36. 2001.

DUBAR, Claude. La socialisation. Construction des identités sociales et professionnelles. Paris: Armand Colin. 2005.

FESTINALLI, R.; CANOPF, L.; BERTUOL, O. Inquietações sobre o estágio supervisionado e a formação do administrador. In: XXXI Encontro da ANPAD, 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

GALLAND, Olivier. Sociologie de la jeunesse. Paris: A. Colin, 2007.

GUIMARAES, N. A. Empresariando o trabalho: os agentes econômicos da intermediação de empregos, esses ilustres desconhecidos. Dados. 2008, vol.51, n. 2, pp. 275 -311.

HASENBALG, C. 'A Transição da Escola para o Trabalho'. In HASENBALG, C.; SILVA, N. V. Origens e Destinos. Desigualdades Sociais ao Longo da Vida. Rio de Janeiro: Topbooks, 2003. pp. 147-172.

LALLEMENT, M. Le travail: une sociologie contemporaine. Paris: Gallimard, 2007.

LAURIS, R. P.; SILVA, T. N. Percepção dos ex-estagiários a respeito do programa Copesul de desenvolvimento de talentos. In: XXIX Encontro da ANPAD, Brasília, 2005.

LE MOIGNE, J.-L. Les épistemologies constructivistes. Paris: Puf. 2007.

MARTINS, CARLOS BENEDITO. O ensino superior brasileiro nos anos 90. São Paulo Perspectiva, vol. 14, n. 1, p. 41-60. jan./mar. 2000.

NASCIMENTO, L. do; TEODÓSIO, A. O estágio diante dos desafios do ensino em administração: um estudo de caso sobre as percepções de alunos e supervisores. In: XXIX Encontro da ANPAD, 2005, Brasília. Anais... Brasília: ANPAD, 2005.

PARADEISE, C. ‘La marine marchande française : un marché de travail fermé?’, Revue française de sociologie, vol. XXV. 1984.

PARADEISE, C. ‘Les professions comme marchés de travail fermés’, Sociologie et sociétés, vol. 20, n. 2, Outubro. 1988.

PRIES, L. Teoria Sociológica Del Mercado de Trabalho. In: TOLEDO, E. De La Garza. Tratado Latinoamericano de Sociologia del Trabajo, Mexico 2000.

ROCHA-DE-OLIVEIRA, Sidinei . Representações do Estágio no Brasil e na França: a Perspectiva dos Estudantes de Administração. In: 3º EnGPR, 2011, João Pessoa. Anais do 3º EnGPR. 2011.

ROCHA-DE-OLIVEIRA, Sidinei ; PICCININI, Valmiria Carolina . Uma análise sobre a inserção profissional de estudantes de administração no Brasil. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 13, p. 44-75, 2012

ROCHA, J. da. O estagiário – esse marginalizado. Revista de Administração de Empresas, v.26, n. 2, p.71-72, 1986.

SANTOS, T. Revolução científico-técnica e acumulação do capital. Petrópolis: Vozes, 1987.

SPARTA, M. e GOMES, W. B. Importância atribuída ao ingresso na educação superior por alunos do ensino médio. Revista Brasileira de Orientação Profissional, dez. 2005, v.6, n. 2, p.45-53.

SPINK, M. J. P.; FREZZA, R. M. Práticas discursivas e produção de sentidos: a perspectiva d a Psicologia Social. In: SPINK, M. J. P. (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez. 2004.

SPOSITO, M. P. Algumas reflexões e muitas indagações sobre as relações entre juventude e escola no Brasil. In: Abramo, H.; Branco, P. P. (Org.). Retratos da juventude brasileira. São Paulo: Fundaçãio Perseu Abramo e Instituto da Cidadania, 2005, v. 1, p. 87-128.

TANGUY, L. L’introuvable relation formation/emploi – Un état des recherches en France, La Documentation française, Paris. 1986.

TREVISAN, M.; WITTMANN, M. L. Estágios extracurriculares e a formação de administradores. In: 27° ENANPAD, Salvador, 2002.

VERNIERES, M. L’insertion professionnelle, analyses et debats. 1997.

VILLELA, L. E.; NASCIMENTO, L. M. F. Competências pós-industriais exigidas pelas em presas a estagiários e recém-formados. In: XXVII EnANPAD, Atibaia/SP, 2003.