A mobilidade e a gestão intercultural nas organizações Outros Idiomas

ID:
30873
Resumo:
Este ensaio teórico pretendeu analisar questões que envolvem a gestão intercultural nas organizações, além de demonstrar que a interculturalidade é uma das consequências da mobilidade de profissionais, assunto que perpassa o mundo do trabalho atualmente, seja no âmbito internacional ou intranacional. Sendo assim, inicialmente foi feita uma discussão teórica acerca de conceitos sobre mobilidade para, em seguida, descrever algumas questões que norteiam o conceito de interculturalidade. Identificou-se que a mobilidade de profissionais, seja internacional ou intranacional, oportuniza o encontro com um contexto culturalmente diverso em relação àqueles de suas origens. Assim, estes indivíduos vivenciarão a interculturalidade que, quando ocorre no ambiente de trabalho, gera a necessidade das organizações pensarem sobre o desenvolvimento e a implementação de uma gestão intercultural. Isto porque, apesar de haver alguns fatores que podem tornar a interculturalidade um elemento negativo para as organizações, esse encontro entre culturas diferentes no espaço organizacional torna-se positivo, pois estimula sua competitividade principalmente pelo fato de beneficiá-las pela heterogeneidade de opiniões.
Citação ABNT:
CRAIDE, A.; SILVA, F. B. A mobilidade e a gestão intercultural nas organizações. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 6, n. 1, p. 105-123, 2012.
Citação APA:
Craide, A., & Silva, F. B. (2012). A mobilidade e a gestão intercultural nas organizações. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 6(1), 105-123.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/30873/a-mobilidade-e-a-gestao-intercultural-nas-organizacoes/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
D’IRIBARNE, P. La logique de l’honneur. Paris: Editions du Seuil, 1989.

ADLER, N. International Dimensions of Organizational Behavior. 4. ed. Cincinnati: SouthWestern, 2002.

ATTALI, J. L’homme nomade. Paris: 2003.

BARBOSA, L.; VELOSO, L. A cultura do outro: interculturalidade e dialogia nas empresas. In: BARBOSA, L. (coord.). Cultura e diferença nas organizações. São Paulo: Atlas, 2009.

BARMEYER, C. et al. 50 Fiches pour aborder la gestion stratégique des resources humaines. Paris: Bréal, 2003.

BAUMAN, Z. Globalização: as conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

BERTAUX, D. Les récits de vie. Paris: Éditions Nathan, 1997

BOSCH, M. Le Management interculturel. Paris: Nathan, 1993.

BUENO, J. M.; DOMINGUES, C. R.; DEL CORSO J. M. Processo de expatriação na integração de culturas: o caso Renault do Brasil. XXVIII ENCONTRO ANUAL DA ANPAD. Curitiba: Anais EnANPAD, 2004.

CHANLAT, J.-F. L’analyse interculturelle et les sciences humaines. In: DAVEL, E.; DUPUIS, J.-P.;

CHEVRIER, S. Le management Interculturel. Paris: Presses Universitaires, 2006.

CRAIDE, A.; DRUMMOND-ABDALA, V.; DE BRITO, A. “Eu Vim de Lá, (Mas Ninguém Avisou!)”: reflexões sobre estratégias de Gestão de Pessoas voltadas à interculturalidade. XXXIV ENCONTRO ANUAL DA ANPAD. Rio de Janeiro: Anais EnANPAD, 2010.

CRESSWELL, T. On the move. New York: Routledge, 2006.

DAMATTA, R. O que faz Brasil, Brasil? 8 ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.

DAVEL, E.; DUPUIS, J.-P.; CHANLAT, J.-F. Gestion em Contexte Interculturel. Quebec: Les Presses de L’Université Laval, 2008.

DEMORGON, J. L’historie interculturelle des sociétés. 2. ed. Paris: Anthropos, 2002.

DRUMMOND-ABDALA. V. L’ apprentissage interculturel des managers participants du programme Y.M.P (Young Managers Program): le cas de l’Université Acelor. 298 f. Tese (Nouveau Doctorat em Sciences de Gestion) – Université Paris Dauphine, Paris, 2008.

DRUMMOND-GUITEL, V. Déjouez les pièges des relations interculturelles: et devenir un manager de l’international. Le Mans: Gereso, 2008.

DUPUIS, J.-P. L’analyse interculturelle en gestion: décloisonner les approches classiques. DAVEL, E.; DUPUIS, J.-P.; CHANLAT, J.-F. Gestion em Contexte Interculturel. Quebec: Les Presses de L’Université Laval, 2008.

FERNANDEZ, B. Identité nomade. Paris: Anthropos, 2002.

FINURAS, P. Gestão Internacional e Recursos Humanos. Lisboa: Edições Sílabo, 1999.

FREITAS, M. E. Como Vivem os Executivos Expatriados e suas Famílias? Relatório de Pesquisa Nº 07/2000 NPP/EAESP/FGV, 2000.

FREITAS, M. E. de. A mobilidade como novo capital simbólico nas organizações ou sejamos nômades? O&S, Salvador, v. 16, n. 49, p. 247-264, abr/jun. 2009.

FREITAS, M. E. Multiculturalismo e expatriação nas organizações: vida do executivo expatriado, a festa vestida de riso ou de choro. In: DAVEL, E.; VERGARA, S. C. Gestão com pessoas e subjetividade. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

FREITAS, M. E. O imperativo intercultural na vida e na gestão contemporânea. O&S, Salvador, v. 15, n. 45, p. 79-89, abr./jun. 2008.

GRISCI, C. L. I.; CIGERZA, G. C.; HOFMEISTER, P. M.; BECKER, J. L. Nomadismo involuntário na reestruturação produtiva do trabalho bancário. Revista de Administração de Empresa, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 27-40, jan/mar. 2006.

GUITEL, V. Intercultural or Cross Cultural Management? The evolution of the research field and the issue concerning the definition and the development of an intercultural competency for expatriates and international managers. Brussels: EIASM Wor kshop, 2006.

HALL, E. Beyond Culture. New York: Anchor Books editions, 1981.

HALL, E. Le langage silencieux. Paris: Editions du Seuil, 1984.

HALL, E. The dance of life. New York: Anchor Books editions, 1983.

HALL, E. The hidden dimension. New York: Anchor Books editions, 1990.

HOFSTEDE, G. Culture's Consequences: comparing values, behaviors, institutions and organizations across nations. 2.ed. Thousand Oaks: Sage Publications, 2003.

HOMEM, I. D.; TOLFO, S. da R. Práticas de Gestão Internacional de Pessoas: práticas compensação e seleção de expatriados em uma multinacional brasileira. RAC-Eletrônica, Curitiba, v. 2, n. 2, p. 201-217, mai./ago. 2008

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Comunicados do IPEA: Migração Interna no Brasil, n.61, ago/2010. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/comunicado/100817_comunicadoipea61.pdf Acesso em 10.out.2010.

JOLY, A. Alteridade: ser executivo no exterior. In: CHANLAT, J.-F. (coord.). O indivíduo na organização. São Paulo: Atlas, 1996.

LARAIA, R. de B. Cultura um conceito antropológico. 11. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

LENARTOWICZ, T.; ROTH, K. Does Subculture Within a Country Matter? A Cross-Cultural Study of Motivational Domains and Business Performance in Brazil. Journal of International Business Studies, n. 32, p. 305-25, 2001.

MACHADO, H. V.; HERNANDES, C. A. Alteridade, Expatriação e trabalho: implicações para a gestão internacional. XXVII ENCONTRO ANUAL DA ANPAD. Atibaia: Anais EnANPAD, 2003.

MAFFESOLI, M. Du nomadisme. 2. ed. Paris: la table ronde, 2006.

MATOS, A. P. A. Executivos americanos na Bahia: expectativas e percepções sobre a cultura de trabalho local: um estudo de caso. 173f. Dissertação (Mestrado). – Núcleo de Pós Graduação em Administração da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2002.

MICHEL, F. Autonomadie: essai sur le nomadisme et l’autonomie. Paris: Homnisphères, 2005.

MOTTA, F. C. P. Cultura nacional e cultura organizacional. In: DAVEL, E.; VASCONCELLOS, J. (org.) “Recursos” humanos e subjetividade. Petrópolis: Editora Vozes, 1996.

MOTTA, F. C. P.; ALCADIPANI, R .; BESSLER, R. Cultura Brasileira, estrangeirismo e segregação nas organizações. In: DAVEL, E.; VERGARA, S. C. Gestão com pessoas e subjetividade. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

PNUD. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH). Ultrapassar barreiras: mobilidade e desenvolvimento humanos, 2009. Disponível em: http://hdr.undp.org/en/media/HDR_2009_PT.pdf Acesso em 10.nov.2009.

SCHNEIDER, S.; BARSOUX, J-L. Managing across cultures. Harlow: Prentice Hall, 2003.

TANURE, B. Gestão à Brasileira: uma comparação entre América Latina, Estados Unidos, Europa e Ásia. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

TANURE, B.; EVANS, P.; PUCIK, V. A Gestão de Pessoas no Brasil: virtudes e pecados capitais. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

TREVISAN, L. Interculturalidade no ambiente empresarial: relações entre brasileiros e estrangeiros na Volkswagen/Audi de São José dos Pinhais – PR. 2001. 178f. Dissertação. (Mestrado em Tecnologia). Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná. Curitiba: 2001. Disponível em: http://www.ppgte.cefetpr.br/dissertacoes/2001/lino.pdf>. Acesso em: 02 dez.2006.

TROMPENAARS, F.; HAMPDEN-TURNER, C. Riding the waves of culture: understanding cultural diversity in business. London: Nicholas Brealey Publishing, 1997.