Adoção de E-business por indústrias: mudanças na logística e na estrutura organizacional Outros Idiomas

ID:
31296
Resumo:
O objetivo dessa pesquisa foi identificar as principais mudanças, dificuldades e benefícios gerados pela adoção de e-business por indústrias multinacionais no Brasil, que atuavam somente no mundo físico e que passaram a atuar também, de forma complementar às suas operações tradicionais, no mundo virtual. Também foram identificadas as necessidades que levaram a essa adoção. O foco das mudanças estudadas concentrou-se naquelas que ocorreram na estrutura organizacional das empresas, dado o papel relevante da forma como as mesmas se organizam para melhor aproveitar as oportunidades de e-business, e nas transformações ocorridas na logística das mesmas. A inovação trazida pelo e-business (focada nesse estudo nas atividades de comércio eletrônico) ao segmento estudado possibilitou a conexão direta ao seu cliente final, numa ação de desintermediação inédita para esse setor da economia. O método adotado foi o estudo multicaso com duas empresas: uma indústria nacional (“A”) e outra subsidiária de país desenvolvido (“B”), para investigação sobre se houve transferência de experiência da matriz para a subsidiária, facilitando o processo. Os principais resultados obtidos mostram como motivações para a adoção de e-business o aumento de receitas, citado por ambas, embora “B” tenha destacado o alinhamento com estratégia global focada em inovação como “vitrine” para mostrar a faceta inovadora da empresa. Quanto às transformações logísticas ocorridas, “A” contratou operador logístico para levar a cabo essa nova atividade, enquanto que “B” desenvolveu logística adaptada internamente, beneficiando-se do conhecimento da matriz.
Citação ABNT:
ZILBER, S. N.; ROSA, M. S. Adoção de E-business por indústrias: mudanças na logística e na estrutura organizacional. Revista Gestão Organizacional, v. 6, n. 2, p. 56-70, 2013.
Citação APA:
Zilber, S. N., & Rosa, M. S. (2013). Adoção de E-business por indústrias: mudanças na logística e na estrutura organizacional. Revista Gestão Organizacional, 6(2), 56-70.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31296/adocao-de-e-business-por-industrias--mudancas-na-logistica-e-na-estrutura-organizacional/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AHMED, P. K. Benchmarking innovation best practice. Benchmarking for Quality management & technology, v. 5, n. 1, p. 45-58, 1998. DOI: 10.1108/14635779810206803

ALVES, C. S. et al. a importância da logística para o e-commerce: o exemplo da Amazon.com. 2005. Disponível em: http://www.congressousp.fipecafi.org/artigos12004/an_resumo.asp?cod_trabalho=375. Acesso em: 03 fev. 2012.

AMABILE, T.M.; CONTI, R.; COON, H.; LAZENBY,J.; HERRON, M. Assessing the work environment for creativity. The academy of management Journal, v. 39, n. 5, p. 1154-1184, 1996.

BAKKER, E.; HARLAND, C.; KNIGHT, L.; ZHENG, J. Putting e-commerce adoption in a supply chain context. International Journal of Operations & Production Management, v. 28, n. 4, p. 313-330, 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.1108/01443570810861543

BARLOW, A. K. F.; SIDDIQUI, N. Q.; MANNION, M. Developments in information and communication technologies for retail marketing channels. International Journal of retail & Distribution management, v. 32, n. 3, p. 157-163, 2004.

BAYLES, D.L.; BHATIA, H. E-commerce logistics & fulfilment: delivering the goods. Prentice Hall. Upper Saddle River, NJ, USA, 2000.

BORNIA, A. C.; DONADEL, C. M.; LORANDI, J. A. A logística do comércio eletrônico. In: ENEGEP, 26., 2006, Fortaleza. anais... Fortaleza: ENEGEP, 2006.

CHO, J. J.; OZMENT, J.; & SINK, H. Logistics capability, logistics outsourcing and firm performance in an e-commerce market. international Journal of Physical Distribution & Logistics management, v. 38, n. 5, p. 336-359, 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.1108/09600030810882825

COELHO, L. C.; CRISTO, R. L. A gestão da cadeia de suprimentos utilizando conceitos de logística virtual. In: SEGET-SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 4, 2007, Resende, RJ. anais... Resende, RJ: SEGET, 2007.

COSTA, R.M.; MELO, P. L.; CARDOSO, M.V. ; FERREIRA, C.E.C. Ambiente interno para inovação em uma empresa de e-commerce: o caso net flores. In: SEMEAD, 13, 2010, São Paulo. anais... São Paulo: SEMEAD, 2010.

CULLEN, A. J.; WEBSTER, M. (2007). A model of B2B e-commerce, based on connectivity and purpo se. International Journal of Operations & Production Management, v. 27, n. 2, p. 205-225, 2007. DOI: http://dx.doi.org/10.1108/01443570710720621

DUNNING, J. multinational enterprises and the global economy. Workhingan: Addison-Wesley, 1993.

E-COMMERCE.ORG. 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2012.

FLEURY, P. F.; MONTEIRO, J. R. C. o desafio logístico do e-commerce. 2004. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2012.

FREITAS, E.C.; WEBER, C.; BARTH, M. Marketing de Relacionamento e Logística no Comércio Eletrônico, revista Pensamento Contemporâneo em administração, v. 4, n. 3, p. 44-61, set./dez. 2010.

FUCHS, A. G. P.; FLEURY, P. F. Evolução das práticas logísticas do B2C brasileiro: um estudo de caso. In: ENCONTRO ANPAD, 27, Atibaia. anais... Atibaia: ANPAD, 2003.

GODOY, A. S. Estudo de caso qualitativo. In: GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

IBOPE. Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística. São Paulo, 10 abr. 2012. Seção iBoPe Nielsin online apresenta o número de brasileiros com acesso à internet chega a 79,9 milhões. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2012.

INTERNET WORDL STATISTICS. Latin America internet usage statistics. 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2012.

JOHNSON, M.; Barriers to innovation adoption: a study of e-markets. Technology Management Research Group. The Open University. Milton Keynes. UK, 2010.

KALAKOTA, R.; ROBINSON, M. E-business: estratégias para alcançar o sucesso no mundo digital. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

KHANNA, T.; PALEPU, K. Emerging giants: building world-class companies in developing countries. Harvard Business review, out. 2006.

MEHTA, T. K.; SHAH, V. E-commerce: the next global frontier for small business research. Journal of applied Business research, v. 17, n. 1, 2001.

MISHRA, S. Web Aggregation in India: e-business models in new economy. Journal Business and emerging markets, v. 2, n. 3, 2010.

OCDE. Manual de Oslo 2005-organização para Cooperação e Desenvolvimento econômico, 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2012.

OLIVEIRA JÚNIOR, M. M. Transferência de conhecimento e o papel das subsidiárias em corporações multinacionais brasileiras. In: FLEURY, M. T. L.; FLERURY, A. internacionalização e os países emergentes. São Paulo: Altas, 2007.

OLIVEIRA JÚNIOR, M. M.; BOEHE, M.; BORINI, F. M. estratégia e inovação em corporações multinacionais: a transformação das subsidiárias brasileiras. São Paulo: Saraiva, 2009.

PORTER, M. Strategy and the internet. Havard Business review, Boston, 2001.

ROGERS, E.M. Diffusion of innovations. 4 ed. New York: The Free Press, 1995.

ROTHWELL, R. Towards the fifth-generation innovation process. international marketing rewiew, v. 11, n. 1, p. 7-31, 1994.

SILVA, M. A. et al. Outsourcing de TI e redefinição do papel da subsidiária: um estudo comparativo entre as subsidiárias brasileira e indiana de uma multinacional americana. Journal of information systems and technology management, v. 6, 2009.

STAL, E.; CAMPANARIO, M. A. Empresas multinacionais de países emergentes: o crescimento das multilatinas . Economia global e gestão, v. 15, n. 1, 2010.

STERNBERG, R. J.; PRETZ, J. E.; KAUFMAN, J. C. Types of innovation. In: SHAVININA, L. V. the international Handbook on innovation. Oxford: Elsevier Science, 2003.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT. K. gestão da inovação. 3. ed. são Paulo: Bookman, 2008.

TIGRE, P. B.; DEDRICK, J. Mitos e realidades sobre a difusão do e-business nas empresas brasileiras. Revista Brasileira de inovação, v. 2, n. 2, 2003.

TURBAN, E. et al. electronic commerce: a managerial perspective. 4 ed. New Jersey: Prentice Hall, 2006.

VALLADARES, P. S. D. A; SERIO, L. C. D.; VASCONCELLOS, M. A. Capacidade de Inovação: Revisão Sistemática da Literatura. In: ENCONTRO da ANPAD, 36, 2012, Rio de Janeiro. anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2012.

VASCONCELLOS, E.; HEMSLEY, J. Estrutura das organizações. São Paulo: Pioneira, 2003,

VENKATRAMAN, M.; HENDERSON, J. C. Real strategies for virtual organizing. mit sloan management review, v. 40, n. 1, Boston, 1998.

VERNON, R.; WELLS Jr; L.T. the manager in the international economy. New York: Prentice Hall, 1991.

VIEIRA, M. M. F.; ZOUAIN, D. M. Pesquisa qualitativa em administração. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. São Paulo: Bookman, 2003.

ZILBER, S.N. O Papel da área de TI na implantação de comércio eletrônico: o caso da Ford do Brasil. Revista de administração da inovação, v. 3, n. 2, p. 47-61, 2006. DOI: 1.5585/rai.v3i2.61.

ZILBER, S.N. Strategic use of the internet and e-business: the ‘Celta’ case at GM Brazil. International Journal of information technology and management, v. 8, n. 1, p. 85-106, 2009.