Atitude e motivação em relação ao desempenho acadêmico de alunos do curso de graduação em administração em disciplinas de estatística: formação de clusters Outros Idiomas

ID:
31428
Resumo:
O objetivo do presente artigo é analisar a formação de clusters, levando-se em consideração: variáveis de caracterização do aluno, atitude perante a Estatística, motivação acadêmica e desempenho. Os dados foram coletados por meio da aplicação de um questionário a 278 estudantes do curso de graduação em Administração, em duas faculdades públicas do estado de São Paulo, no segundo semestre de 2011. O questionário foi composto de perguntas para a caracterização dos alunos, Escala de Motivação Acadêmica (ema), Escala de Atitude perante a Estatística (sats), bem como uma nota relativa à autopercepção de aprendizado, sendo que a nota na disciplina foi obtida junto ao docente responsável. Verificou-se que apenas a área de interesse mostrou-se como possível variável diferenciadora, dada a composição dos 3 grupos. O grupo de alunos com maior interesse na área de Finanças apresentou as maiores pontuações tanto em relação à atitude perante a Estatística como em relação à motivação acadêmica, exceto Desmotivação, apresentando também, os maiores valores para o desempenho tanto em relação à nota quanto em relação à autopercepção.
Citação ABNT:
VIANA, G. S.; VIANA, A. B. N. Atitude e motivação em relação ao desempenho acadêmico de alunos do curso de graduação em administração em disciplinas de estatística: formação de clusters. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 13, n. 3, p. 523-523, 2012.
Citação APA:
Viana, G. S., & Viana, A. B. N. (2012). Atitude e motivação em relação ao desempenho acadêmico de alunos do curso de graduação em administração em disciplinas de estatística: formação de clusters. Administração: Ensino e Pesquisa, 13(3), 523-523.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31428/atitude-e-motivacao-em-relacao-ao-desempenho-academico-de-alunos-do-curso-de-graduacao-em-administracao-em-disciplinas-de-estatistica--formacao-de-clusters/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARA, A. B. O ensino de Estatística e a busca do equilíbrio entre os aspectos determinísticos e aleatórios da realidade.2006. 86 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

BARKOUKIS, V.; TSORBATZOUDIS, H.; GROUIOS, G.; SIDERIDIS, G. The assessment of intrinsic and extrinsic motivation and amotivation: Validity and reliability of the Greek version of the Academic Motivation Scale. Assessment in Education: Principles, Policy & Practice,v. 15, n. 1, p. 39-55, 2008.

BASTOS, R.; OLIVEIRA, F. M.; OLIVEIRA, J. P. M. Modelagem do processo de tomada de decisão para alocação de recursos. Revista de Administração,v. 33, n. 3, p. 73-82, 1998.

BROUSE, C.; BASCH, C,; LEBLANC, M.; MCKNIGHT, K.; LEI, T. College students’ academic motivation: Differences by gender, class, and source of payment. College Quarterly, Seneca, v. 13, n. 1, 2010. Disponível em: . Acesso em: 29/06/2011.

BROWN, E.; KASS, R. What Is Statistics? The American Statistician,Alexandria, v. 63, p. 105–123, 2009. Disponível em: . Acesso em: 25/01/2011.

BURAND, C. Good Statistics are key to management. American Agent & Broker,v. 81, n. 7, p. 14-16, 2009.

CARLSON, K. A.; WINQUIST, J. R. Evaluating an active learning approach to teaching introductory statistics: A classroom workbook approach. Journal of Statistics Education,Alexandria, v. 19, n.1, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10/06/2011.

CASHIN, S.E.; ELMORE, P.B. The Survey of Attitudes Toward Statistics Scale: A construct validity study. Educational and Psychological Measurement, v. 65, p. 509-524, 2005.

CAVENAGHI, A. R. Uma perspectiva autodeterminada da motivação para aprender língua estrangeira no contexto escolar. Ciências & Cognição,Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, 2009. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S180658212009000200017&script=sci_arttext>. Acesso em: 20/06/2011.

CHIESI, F.; PRIMI, C. Assessing statistics attitudes among college students: Psychometric properties of the Italian version of the Survey of Attitudes toward Statistics (SATS). Learning and Individual Differences, v. 19, n.1, p. 309-313, 2010.

COX, E. B. The Teaching of Statistics in Business Schools A Summary Report. The American Statistician,v. 19, n. 1, p. 17-19, 1965.

DARGAHY-NOUBARY, G. R.; GROWNEY, H. A. S. Risk-A Motivating Theme for an Introductory Statistics Course. Structural Equation Modeling,v. 52, n. 1, p. 44-48, 1998.

DAVIS, G. P. The Relationship Between Racial Identity, Motivation, and the Academic Performance of African American Students at a Predominately White Institution.2009. 184 f. Tese (Doutorado em Educação) – George Washington University, Washington, 2009.

DECI, E.; RYAN, R. Intrinsic Motivation and Self-Determination in Human Behavior. Plenum Press: New York, 1985.

DECI, E.; RYAN, R.The “What” and “Why” of Goal Pursuits: Human Needs and the Self-Determination of Behavior. Psychological Inquiry,v. 11, n. 4, p. 227-268, 2000. Disponível em: . Acesso em: 22/01/2011.

DEVANEY, T. A. Anxiety and Attitude of Graduate Students in On-Campus vs.Online Statistics Courses. Journal of Statistics Education,v. 18, n.1, 2010. Disponível em: < www.amstat.org/publications/jse/v18n1/devaney.pdf>. Acesso em: 21/01/2011.

GAL, I.; GINSBURG, L.; SCHAU, C. Monitoring attitudes and beliefs in Statistics Education. In: I. Gal & J. B. Garfield (Orgs.) The assessment challenge in Statistics Education. Washington: IOS, p.37-51, 1997. Disponível em: . Acesso em: 17/07/2011.

GOULD, R. Variability: one statistician’s view. Statistic education research journal,v. 3, n.2, p. 7-16, 2004. Disponível em: . Acesso em: 20/01/2012.

GUIMARÃES, S.; BUROCHOVITCH, E. O Estilo Motivacional do Professor e a Motivação Intrínseca dos Estudantes: Uma Perspectiva da Teoria da Autodeterminação. Psicologia:Reflexão e Crítica, v.17, n. 2, p.143-150, 2004.

HAIR, J. F.; BABIN, B.; MONEY, A. H.; SAMOUEL, P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. 1.ed. Porto Alegre: Bookman, 2005. 471 p.

HEGARTY, N. The Application of the Academic Motivation Scale to Graduate School Students. The Journal of Human Resource and Adult Learning,v. 6, n. 2, p. 48-55, 2010.

LAVENDER, M. M. A comparison of academic motivation of academically prepared and academically unprepared community college students. 2005. 88 f. Tese (Doutorado em Educação) – College of Education, Florida State University, Florida, 2005.

MANTOVANI, D. M. N. Método para a implementação e o acompanhamento de atividades a distância em disciplinas de Estatística:um estudo de caso. 2008. 247f. Dissertação (Mestrado em Administração de Organizações) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.

MANTOVANI, D. M. N.; VIANA, A. B. N. Ensino de estatística para cursos de graduação em administração: novas perspectivas. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 7., 2004, Brasília. Anais...São Paulo: Seminários em Administração FEA-USP, 2007.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da Administração:da revolução urbana à revolução digital. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MCALEVEY, L.; SULLIVAN, C. Making statistics more efective for business?. International Journal of Mathematical Education in Science and Technology,v. 32, n. 3, p. 425-438, 2001.

MENG, X. Desired and feared what do we do now and over the next 50 years? The American Statistical Association, v. 63, n. 3, p. 202-210, 2009.

MILAGRE, R. A. Estatística:uma proposta de ensino para os cursos de Administração de Empresas. 2001. 160 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

NOLAN, D.; SPEED, T. P.; Teaching Statistics Theory Throught Applications. The American Statistical,v. 53, n.4, p. 370-375, 1999.

OLIVEIRA, S. L. Tratado de metodologia científica: projetos de pesquisas, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. 2.ed. São Paulo: Pioneira, 1999.

PAIVA, W. P. Avaliação de habilidades para a tomada de decisão em administração de empresas:um estudo descritivo com alunos de graduação da FEA-USP. 2002. 115 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

PIMENTEL, A. C. S. Análise da influência do estilo de aprendizagem e da atitude em disciplinas de estatística da FEA-RP.2009. 187f. Dissertação (Mestrado em Administração de Organizações) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.

REEVE, J.; DECI, E.; RYAN, R. Self-Determination Theory: A dialectical framework for understand sociocultural influences on student motivation. 3.ed. Connecticut: Information Age Publishing, 2004. 368 p. Editado por Dennis McInerney e Shawn Van Et te.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social:métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999. 334 p.

SCHAU, C.; STEVENS, J.; DAULPHINEE, T. L.; VECCHIO, A. D. The development and validation of the survey of attitudes toward statistics. Educational and psychological measurement, v. 55, n.5, p. 868-875, 1995.

SIMON, H. A. The new science of management decision.New York: Harper & Brothers Publishers, 1960.

SINGH, K.; GRANVILLE, M.; DIKA, S. Mathematics and Science Achievement: Effects of Motivation, Interest, and Academic Engagement. Journal of Educational Research, v. 95, n. 6, p. 323-332, 2002.

SIRIAS, D. Using Graphic Organizers to Improve the Teaching of Business Statistics. Journal of Education for Business,v. 78, n. 1, p. 33-37, 2002.

SMITH, K.; DAVY, J.; ROSENBER, G. An examination of the validity of the academic motivation scale with a United States business student sample. Psychological Reports. Missoula, v. 106, n. 2, p. 323-341, 2010.

SOBRAL, D. T. Motivação do aprendiz de medicina: uso da escala de motivação acadêmica. Psicologia: Teoria e Pesquisa,Brasília, v. 19, n. 01, p. 25-31, 2003.

VALLERAND, R. J.; BLAIS, M. R.; BRIÉRE, N. M.; PELLETIER, L. G. Construction et validation de l’échelle de motivation en education (EME). Canadian Journal of Behavioural Science, v. 21, n. 3, p. 323-349, 1989.

VALLERAND, R. J.; PELLETIER, L. G.; BLAIS, M. R.; BRIÉRE, N. M.; SENÈCAL, C.; VALLIÉRES, E. F. The academic motivation scale: a measure of intrinsic, extrinsic, and amotivation in education. Educational and Psychological Measurement,v. 52, n. 4, p. 1003-1017, 1992.

VENDRAMINI, C. M. M. Implicações das atitudes e das habilidades matemáticas na aprendizagem dos conceitos de estatística. 1999. 249 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

VENDRAMINI, C. M. M.; SILVA, C. B.; KATAOKA, V. Y.; CAZORLA, I. M. Validity evidences of the attitudes towards statistics scale SATS: a study with brazilian students. In: Word Statistics Congress, 58., 2011, Dublin. Anais… Dublin, 2011. Disponível em: < http://isi2011.congressplanner.eu/pdfs/950155.pdf>. Acesso em: 20/01/2012.

VENDRAMINI, C. M. M.; SILVA, M.; DIAS; D. Avaliação de atitudes de estudantes de psicologia via modelo de crédito parcial de TRI. Psico-USF,v. 1 4, n.3, p. 21-22, 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141382712009000300005&script=sci_arttext>. Acesso em: 10/04/2010.

WIBERG, M. Teaching Statistics in Integration with Psychology. Journal of Statistics Education, v. 17, n.1, 2009. Disponível em: < www.amstat.org/publications/ jse/v17n1/ wiberg.html>. Acesso em: 11/07/2011.

WISE, S. L. The development and validation of a scale measuring attitudes toward statistics. Educational and psychological measurement, v. 45, n.2, p. 401-405, 1985.

WITTER, G.; LOMÔNACO, J. F. Psicologia da aprendizagem.9.ed. São Paulo: EPU, 1984.

WOOLFORD, S.; CLEARY, R. The business of desire and fear. The American Statistical, v. 64, n.1, p. 21-22, 2010.