Movimento Minas: a participação cidadã Via Internet no Estado de Minas Gerais Outros Idiomas

ID:
31452
Resumo:
O objetivo deste artigo foi observar e analisar o fórum eletrônico do Estado de Minas Gerais, intitulado “Movimento Minas”, para verificar quais principais “Conversas” haviam sido propostas pelos cidadãos e se o governo tornou real essas proposições virtuais. Por se tratar de um trabalho com foco nas interações entre os usuários, bem como no conteúdo das informações que sustenta tais relações, realizou-se uma pesquisa qualitativa por meio da netnografia. Os resultados encontrados sugerem que as ações provenientes deste movimento e concretizadas pelo Estado de Minas Gerais não estão relacionadas às propostas e sugestões indicadas pelos cidadãos, usuários e proponentes na plataforma do “Movimento Minas”.
Citação ABNT:
CERQUINHO, K. G.; TAVARES, W.; PAULA, A. P. P. Movimento Minas: a participação cidadã Via Internet no Estado de Minas Gerais. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 4, n. 1, p. 218-236, 2014.
Citação APA:
Cerquinho, K. G., Tavares, W., & Paula, A. P. P. (2014). Movimento Minas: a participação cidadã Via Internet no Estado de Minas Gerais. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 4(1), 218-236.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31452/movimento-minas--a-participacao-cidada-via-internet-no-estado-de-minas-gerais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AMARAL, A.; NATAL, G.; VIANA, L. Netnografia como aporte metodológico da pesquisa em comunicação digital. Revista Sessões do Imaginário, Porto Alegre, ed. 20, p.34-40, dez. 2008.

BARBOSA, A. F. Governo eletrônico: dimensões da avaliação de desempenho na perspectiva o cidadão. 2008. 248 f. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2008.

BAUMGARTEN, J.; CHUI, M. E-government 2.0. Mckinsey on Government, [S.l.], n. 4, July 2009, p. 26-31. Disponível em: http://www.mckinsey.com/clientservice/publicsector/pdf/TG_MoG_Issue4_egov.pdf. Acesso em: 16 jan. 2010.

BHATNAGAR, S. Paving the road towards pro-poor e-Governance: findings and observations from Asia-Pacific case studies. Paving the Road towards pro-poor e-governance, 2006, Bangkok. Workshop Report… Bangkok: UNDP, Asia Pacific Development Information Programme, 2006. Disponível em: http://www.apdip.net/projects/e-government/capblg/casestudies/Overview.pdf. Acesso em: 19 jan. 2012.

BOGDEWIC, S. P. Participant observation. In: CRABTREE, B.; MILLER, W. L. (Orgs.) Doing qualitative research. 2. ed. Thousand Oaks: Sage Publications, 1999. 406p.

BOWLER JR, G. M. Netnography: a method specifically designed to study cultures and communities online. The Qualitative Report, v. 15, n. 5, p. 1270-1275, sep. 2010.

CARVALHO, M. S. R. M. A trajetória da Internet no Brasil: do surgimento das redes de computadores à instituição dos mecanismos de governança. 2006. 239 f. Dissertação (Mestrado em Ciências de Engenharia de Sistemas de Computação) — Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: http://www.nethistory.info/Resources/Internet-BR-Dissertacao-Mestrado-MSavio-v1.2.pdf. Acesso em: 25 dez. 2009.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CORRÊA, C. H. W. Comunidades Virtuais gerando identidades na sociedade em rede. Ciberlegenda. Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. Niterói, n.13, 2004. Disponível em: http://www.uff.br/ciberlegenda/ojs/index.php/revista/article/view/226/122. Acesso em: 23 jan. 2012.

DESBUROCRATIZAÇÃO eletrônica nos municípios do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: FIRJAN, 2002. Disponível em: http://www.firjan.org.br/downloads/DesburocratizacaoEletronica_b.pdf. Acesso em: 16 fev. 2010.

DIAS, C. A. Método de avaliação de programas de governo eletrônico sob a ótica do cidadão-cliente: uma aplicação no contexto brasileiro. 2006. 282 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) — Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

GARCIA, A. C. et al. Ethnographic Approaches to the Internet and Computer-Mediated Communication. Journal of Contemporary Ethnography, v. 38, n. 1, p. 52-84, 2009.

GEBERA, O. W. T. La netnografía: un método de investigación en Internet. Revista Iberoamericana de Educación, n. 47/2, p. 1-10, out. 2008.

JARDIM, J. M. Governo eletrônico no Brasil: o portal rede governo. Arquivística Net, Rio de janeiro, v.3, n.1, p.28-37, jan./jun. 2007. Disponível em: http://www.buscalegis.ufsc.br/revistas/files/journals/2/articles/30773/public/30773-32930-1-PB.pdf. Acesso em: 02 nov. 2009.

KLAUS, P. Participation and e-democracy: how to utilize Web 2.0 for policy decision-making. In: CHUN, A. S.; SANDOVAL, R.; REGAN, P (Ed.). ANNUAL INTERNATIONAL CONFERENCE ON DIGITAL GOVERNMENT RESEARCH, 10., 2009, Puebla, Mexico. Proceedings… Puebla, Mexico: Digital Government Society of North America, 2009. p. 254-263. Disponível em: http://eprints.qut.edu.au/41614/. Acesso em: 20 jan.2012.

KOZINETS, R. V. On netnography: initial reflections on consumer research investigations of cyberculture. Advances in Consummer Research, v. 25, p. 366-371, 1998.

KOZINETS, R. V. The field behind the screen: using netnography for marketing research in online communities. Journal of Marketing Research, v. 39, n. 1, p. 61-72, fev. 2002.

LAI, L.; TURBAN, E. Groups formation and operations in the Web 2.0 environment and social networks. Group Decision and Negotiation, v. 17, n. 5, p. 387-402, 2008.

LEMOS, A. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 2.ed. Porto Alegre: Sulina, 2004.

LEMOS, A.; LÉVY, P. Ciberdemocracia. Lisboa: Instituto Piaget, 2002.

LEMOS, A.; LÉVY, P. O Futuro da Internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Editora Paulus, 2010. LÉVY, P. Cibercultura. 2.ed. São Paulo: Editora 34, 2000.

LÉVY, P. Cibercultura. 2.ed. São Paulo: Editora 34, 2000.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MAROY, C. A análise qualitativa de entrevistas. In: ALBARELLO, L. et al. (Orgs.) Práticas e métodos de investigação em Ciências Sociais. Trad. Luísa Batista. Lisboa: Gradiva, 1997.

MARTINS, G. A.; THEÓFILO, C. R. Metodologia de investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MATSUDA, C. T. Governo eletrônico, a reforma democrática do estado-nação: a prefeitura da cidade de São Paulo. 2006. 166 p. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MAY, T. Pesquisa social: questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. McCRACKEN, G. The long interview. Newbury Park: Sage Publications, 1988.

McCRACKEN, G. The long interview. Newbury Park: Sage Publications, 1988.

MKONO, M. The othering of food in touristic eatertainment: a netnography. Tourist Studies, v. 11, n. 3, p. 253-270, 2011.

MOVIMENTO MINAS. O que é. Disponível em: http://movimentominas.mg.gov.br/pagina/o-que-e. Acesso em 01 jun. 2013.

NOVELI, M. Do off-line para o online: a netnografia como um método de pesquisa ou o que pode acontecer quando tentamos levar a etnografia para a Internet? Organizações em Contexto, v. 6, n. 12, p. 107-133, 2010.

PAES DE PAULA, A. P. Por uma nova gestão pública: reinserindo o debate a partir das práticas possíveis. In: CUNHA, A. S.; MEDEIROS, B. A.; AQUINO, L. C. (Org.). Estado, Instituições e Democracia: República. Brasília: IPEA, 2010. p. 505-530.

PERSEGONA, M. F. M.; ALVES, I. T. G. História da Internet: origens do e-gov no Brasil. Disponível em: http://www.unbcds.pro.br/conteudo_arquivo/280606_1e4182.pdf. Acesso em: 10 fev. 2011.

PINHO, J. A. G. de. Investigando portais de governo eletrônico de estados no Brasil: muita tecnologia, pouca democracia. RAP, Rio de Janeiro, v. 42, n. 3, p. 471-93, maio/jun. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rap/v42n3/a03v42n3.pdf. Acesso em: 01 mar. 2010.

REZENDE, D. A.; FREY, K. Administração estratégica e governança eletrônica na gestão urbana. Revista Eletrônica de Gestão de Negócios, v. 1, n. 1, p. 51-59, abr./jun. 2005.

RHEINGOLD, H. Comunidade virtual. Lisboa: Gradiva, 1996.

RICHARDSON, R. J. et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. revista e ampliada. São Paulo: Atlas, 2011.

RITCHIE, J. SPENCER, L. Qualitative data analysis for applied policy research. Developments in qualitative data analysis: an introduction. In: BRYMAN, A.; BURGESS, R. G. (Orgs.) Analyzing qualitative data. London: Routledge, 1994. 232p.

RUELAS, A. L.; ARÁMBURO, P. P. El gobierno electrónico: su estúdio y perspectivas de desarrollo. UniREVISTA, São Leopoldo, v. 1, n. 3, jul. 2006.

SANDLIN, J. A. Netnography as a consumer education research tool. International Journal of Consumer Studies, v. 31, n. 3, p. 288-294, 2007.

SEIFERT, J. W. A primer on e-government: sectors, stages, opportunities, and challenges of online governance. Washington: The Library of Congress, Congressional Research Service, 2003.

STOWERS, G. N. L. The state of federal Websites: the pursuit of excellence. Arlington: Pricewaterhouse-Coopers Endowment for the Business of Government, 2002.

TORRES, N. A. Os papéis estratégicos de processos e tecnologia em governo. São Paulo: Instituto de Governo Eletrônico, 2010. Disponível em: http://igov.com.br/tigov/?p=630. Acesso em: 14 nov. 2011.

VIEIRA, E. Os bastidores da Internet no Brasil. Barueri: Manole, 2003.

WARD, K. J. The Cyber-Ethnographic (Re)Construction of Two Feminist Online Communities. Sociological Research Online, v. 4, n. 1, 1999. Disponível em: http://www.socresonline.org.uk/4/1/ward.html. Acesso em: 12 fev. 2013.