Representações sociais e sustentabilidade: o significado do termo para alunos do curso de administração Outros Idiomas

ID:
31466
Resumo:
Considerando as atuais discussões sobre sustentabilidade, desenvolvimento, desenvolvimento sustentável e tendo como base a abordagem da teoria das representações sociais, o objetivo desse estudo foi identificar os significados da palavra sustentabilidade para alunos do curso de administração de uma Instituição de Ensino Superior pública. O intuito consistiu em evidenciar as representações sociais que a ela subjazem ou dela decorrem, identificando seus significados com base na determinação do núcleo central e sistema periférico e relacionando-os às dimensões sociais, econômicas, ecológicas, espaciais e culturais. Para tanto, foi realizada uma pesquisa exploratória e descritiva, sendo o universo formado por 132 alunos matriculados no curso de administração de empresas de uma universidade pública de Fortaleza, utilizando-se o critério de acessibilidade. A técnica de coleta utilizada foi o teste de evocação de palavras e a palavra indutora foi sustentabilidade. Dessa forma, pôde-se constatar a permanência da representação da sustentabilidade, nucleada basicamente no meio ambiente. Este achado confirma o pressuposto inicial de que permanece o significado naturalista do conceito, de certa forma dissociado das demais dimensões do desenvolvimento sustentável.
Citação ABNT:
MATOS, F. R. N.; IPIRANGA, A. S. R.; MACHADO, D. Q.; ROLIM, G. F.; ALVARENGA, R. A. M. Representações sociais e sustentabilidade: o significado do termo para alunos do curso de administração. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 13, n. 4, p. 707-734, 2012.
Citação APA:
Matos, F. R. N., Ipiranga, A. S. R., Machado, D. Q., Rolim, G. F., & Alvarenga, R. A. M. (2012). Representações sociais e sustentabilidade: o significado do termo para alunos do curso de administração. Administração: Ensino e Pesquisa, 13(4), 707-734.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31466/representacoes-sociais-e-sustentabilidade--o-significado-do-termo-para-alunos-do-curso-de-administracao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, R. Filosofia da Ciência –Introdução ao Jogo e suas Regras. 10.ed. São Paulo: Loyola, 2005.

ARISTÓTELES. Política.2. ed. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 1988.

AUDEBRAND, L. K. Sustainability in Strategic Management Education: The Quest for New Root Metaphors. Academy of Management Learning & Education, v. 9, n. 3, p. 413-428, 2010.

BADIRU, A. B. The many languages of sustainability. Industrial Engineer,v. 42, n. 11, p. 31-34, 2010.

BALLOU, B.; CASEY, R. J.; GRENIER, J. H.; HEITGER, D. L. Exploring the Strategic Integration of Sustainability Initiatives: Opportunities for Accounting Research. Accounting Horizons,v. 26, n. 2, p. 265-288, 2012.

BERNAL, E.; EDGAR, D. The Development of a Model of Sustainability Management, based on Biological Ethics. International Journal of Management,v. 29, n. 3, p. 177-188, 2012.

BOVINA, I. B.; DRAGUL’SKAIA, L. I. College Students’ Representations of Science and the Scientist. Russian Education and Society,v. 50, n. 1, p. 44-64, 2008.

BRAUDEL, F. Civilização Material, Economia e Capitalismo Séculos XV-XVIII– Os Jogos das Trocas. São Paulo: Martins Fontes, 1998. (volume 2).

BUARQUE, S. C. Construindo o Desenvolvimento Local Sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

CASTORINA, J. A.; BARREIRO, A. V. El proceso de individuación de las representaciones sociales: historia y reformulación de un problema. Interdisciplinaria,v. 27, n. 1, p. 63-75, 2010.

CAVEDON, N. R. Antropologia para administradores.Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2003.

CMMAD – Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso futuro comum.2.ed. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1991. (Relatório Brundtland).

DURKHEIM, É. As formas elementares da vida religiosa.São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Coleção Os Pensadores).

DUVAL, G. Salud y Ambiente en el proceso de desarrolo. Ciência & Saúde Coletiva, v. 3, n. 2, p. 7-32, 1998.

FAGUNDES, M. M.; ZANELLA, M.; TORRES, T. L. Cidadão em foco: representações sociais, atitudes e comportamentos de cidadania. Psicologia: teoria e prática,v. 14, n. 1, p. 55-69, 2012.

FIBUCH, E.; VAN WAY III, C. W. Sustainability: A Fiduciary Responsibility of Senior Leaders? Physician Executive,v. 36-43, p. 36, 2012.

FLOWERS, R.; SWAN, E. ‘Eating at us’: Representations of knowledge in the activist documentary film Food, Inc. Studies in the Education of Adults,v. 43, n. 2, p. 234-250, 2011.

FOLADORI, G. Por una sustentabilidad alternativa. Casa Bertold Brecht UITA, 2005.

FREITAS, S. N.; CASTRO, S. F. Representação Social e Educação Especial:A Representação dos Professores de Alunos com Necessidades Educativas Especiais Incluídos na Classe Comum do Ensino Regular, 2004.

FURTADO, A. Opções tecnológicas e desenvolvimento do Terceiro Mundo. In: CASTRO, A. C.; LICHA, A.; PINTO JR., H.Q.; SABOIA, J. Brasil em desenvolvimento 1– Economia, tecnologia e competitividade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

FURTADO, C. Desenvolvimento e subdesenvolvimento.Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

GOMES, M. N. da L. M.; SÁ, C. P. de; OLIVEIRA, D. C.de. Representações sociais do ato infracional por adolescentes em conflito com a lei: uma comparação estrutural. In: JORNADA INTERNACIONAL 3 e CONFERÊNCIA BRASILEIRA SOBRE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, 1.,Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, [s.n.], 2003.

GORGORIÓ, N.; ABREU, G. Social representations as mediators of practice in mathematics classrooms with immigrant students. Educ. Stud. Math.,v. 72, p. 61-76, 2009.

GRANOVETTER, M. Economic Action and Social Structure: The Problem of Embeddedness. In: GRANOVETTER, M.; SWEDBERG, R. The Sociology of Economic Life. San Francisco: Westview Press, 1992.

GUARESHI, P.; JOVCHELOVITCH, S. (Orgs.). Textos em Representações Sociais. 4.ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

HERNER, M. T. La teoría de las representaciones sociales: un acercamiento desde la geografia. Huellas,n. 14, P. 150-162, 2010.

HERZLICH, C. A Problemática da Representação Social e sua Utilidade no Campo da Doença. Revista de Saúde Coletiva,v. 1, n. 2, Rio de Janeiro, IMS/UERJ/Relumé – Dumará, 1991.

JACOBI, P. R.; RAUFFLET, E.; ARRUDA, M. P. Educação para a sustentabilidade nos cursos de administração: reflexão sobre paradigmas e práticas. RAM,v. 12, n. 3, p. 21-50 2011.

JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Uerj, 2001.

JODELET, D. Folie et Représentations Sociales. In: ARRUDA, A. Representações sociais: emergência e conflito na psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 1992.

JOVCHELOVITCH, S. Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e representações sociais. In: GUARESCHI, P. A.; JOVCHELOVITCH, S. Textos em representações sociais. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

KALISH, C. W.; LAWSON, C. A. Development of Social Category Representations: Early Appreciation of Roles and Deontic Relations. Child Development, v. 79, n. 3, p. 577593, 2008.

KLIKSBERG, B. Falácias e Mitos do Desenvolvimento Social. São Paulo: Cortez, 2001.

KLIKSBERG, B. Repensando el Estado para el desarrollo social: más allá de convencionalismos. Caracas, Revista del CLAD Reforma y Democracia,ja n. 1 997.

LEFF, E. Saber Ambiental.Petrópolis: Vozes, 2001.

LESCURA, C.; BRITO, M. J.; BORGES, A. F.; CAPPELLE, M. C. A. Representações Sociais sobre as Relações de Parentesco: Estudo de Caso em um Grupo Empresarial Familiar. RAC, v. 16, n. 1, p. 98-117, 2012.

MADEIRA, M. Representações sociais e educação: importância teórico-metodológica de uma relação. In: MOREIRA, A. P. (Org.). Representações sociais:teoria e prática. João Pessoa: UFPB, 2001.

MAZZOTTI, T. B. Representações sociais de problemas ambientais: uma contribuição à educação brasileira. In: MOREIRA, A. P. (Org.). Representações sociais:teoria e prática. João Pessoa: UFPB, 2001.

MILONE, P. C. Crescimento e desenvolvimento econômico: teorias e evidências empíricas. In: MONTORO FILHO, A. F. et al. Manual de economia.São Paulo: Saraiva, 1998.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 1995.

MORIN, E. Ano 1 da era ecológica. In: MANSHOLT, S.; BOSQUET, M.; MORIN, E.; MARCUSE, H. e outros. Ecologia –Caso de vida ou de morte. 2.ed. Lisboa: Moraes Editores, 1979.

MORIN, E. O que não é burocracia. In: MORIN,E. et al. A Burocracia.Lisboa: Socicultur, 1962.

MOSCOVICI, S. Prefácio. In: GUARESHI, P.; JOVCHELOVITCH, S. (Orgs.). Textos em representações sociais. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

MOSCOVICI, S. Representações sociais. Investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2003.

OLIVEIRA, G. B. de. Uma discussão sobre o conceito de desenvolvimento. In: OLIVEIRA, G. B. de; SOUZA-LIMA, J. E. de. (Orgs.). O Desenvolvimento Sustentável em Foco– Uma contribuição multidisciplinar. Curitiba: São Paulo: Annablume, 2006.

OUTHWAITE, W.; BOTTOMORE, T. Dicionário do Pensamento Social do Século XX. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

PARALES-QUENZA, C. J.; VIZCAÍNO-GUTIÉRREZ, M. Las relaciones entre actitudes y representaciones sociales: elementos para una integración conceptual. Revista Latinoamericana de Psicología,v. 39, n. 2, p. 351-361, 2007.

PEREZ, C. Microeletronics, Long Waves and the World Structural Change: new perspectives for developing countries. World Development,v. 13, n. 3, p. 441-463, 1985.

POESCHL, G.; RIBEIRO, R. Ancoragens e variações nas representações sociais da corrupção. Análise Social,v. 45, p. 419-445, 2010.

POLANYI, K. A Grande Transformação– As origens da nossa época. 8. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais.2.ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

SACHS, I. Ecodesarrollo: desarrollo sin destrucción. In: LEFF, E. Saber Ambiental.Petrópolis: Vozes, 2001.

SACHS, I. Ecodesenvolvimento:crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.

SACHS, I. Experiências Internacionais de um Cientista Inquieto. Entrevista com Ignacy Sachs. Estudos Avançados,v. 18, n. 52, São Paulo, dec. 2004.

SACHS, I. Prefácio. In: VEIGA, J. E. Desenvolvimento sustentável– o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

SANTOS, M. F. S.; ACIOLI NETO, M. L.; SOUZA, Y. S. O. Adolescência em revistas: um estudo sobre representações sociais. Psicologia: teoria e prática, v. 13, n. 2, p. 103-113, 2011.

SARRICA, M.; WACHELKE, J. Paz y guerra como representaciones sociales: una exploración con adolescentes italianos. Universitas Psychologica,v. 9, n. 2, p. 315-330, 2010.

SCHUMACHER, E. F. O negócio é ser pequeno.2. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade.São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SOUZA-FILHO, E. A.; BELDARRAIN-DURANDEGUI, A. The Contextual Analysis in Social Representations of the Body Among Ethnic Groups in Rio de Janeiro, Brasil. Universitas Psychologica,v. 8, n. 3, p. 771-783, 2009.

SOUZA SANTOS, B. de. Introdução a uma ciência pós-moderna.4. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

SUNKEL, O.; PAZ, P. El sudesarrollo latinoamericano y la teoría del desarrollo. 22.ed. México: Siglo XX Editores, 1988.

TORELLI, C. J.; ÖZSOMER, A.; CARVALHO, S. W.; KEH, H. T.; MAEHLE, N. Brand Concepts as Representations of Human Values: Do Cultural Congruity and Compatibility Between Values Matter? Journal of Marketing,v. 76, p. 92-108, 2012.

VEIGA, J. E. Desenvolvimento sustentável– o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

VERGARA, S. C. Métodos de Pesquisa em Administração,3.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

VERGARA, S. C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração.São Paulo: Atlas, 1997.

VIZCARRA, F. Representaciones de la modernidad en el cine futurista. Nueva época,n. 17, p. 73-97, 2012.