Como a USP transfere tecnologia? Outros Idiomas

ID:
31525
Resumo:
O objetivo geral dessa pesquisa é verificar como a Universidade de São Paulo (USP) transfere suas tecnologias para a sociedade. Para tanto, foi realizado um estudo de caso com base na realização de entrevistas semiestuturadas junto aos diretores e agentes de inovação da Agência USP de Inovação, que se constitui no Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da universidade. Constatou-se que os principais mecanismos de transferência de tecnologia utilizados pela USP são: licenciamento de patentes, projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) em parceria e fomento e apoio à criação de empresas spin-off. Verificou-se que a Agência USP de Inovação tem forte restrição de pessoal e que a USP ainda carece de uma política institucional mais estruturada que de fato incorpore em sua agenda a necessidade de fortalecer o seu papel enquanto instituição promotora da inovação e do desenvolvimento tecnológico.
Citação ABNT:
DIAS, A. A.; PORTO, G. S. Como a USP transfere tecnologia?. Organizações & Sociedade, v. 21, n. 70, p. 489-508, 2014.
Citação APA:
Dias, A. A., & Porto, G. S. (2014). Como a USP transfere tecnologia?. Organizações & Sociedade, 21(70), 489-508.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31525/como-a-usp-transfere-tecnologia-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGÊNCIA USP DE INOVAÇÃO. Historico. [2005]. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2012.

AKUBUE, A. I. Technology transfer: a third world perspective. The Journal of Technology Studies, v. 28, p. 14-21, 2002.

ASSOCIATION OF UNIVERSITY TECHNOLOGY MANAGERS (AUTM). AUTM U.S. licensing activity survey highlights: FY2010. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2011.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977. 225p.

BEKKERS, R.; FREITAS, I. M. B. Analysing knowledge transfer channels between universities and industry: To what degree do sectors also matter? Research Policy, v. 37, p. 1837-1853, 2008.

BOZEMAN, B. Technology transfer and public policy: a review of research and theory. Research Policy, v. 29, p. 627-655, 2000.

BRASIL. Lei 10.973, de 02 de dezembro de 2004. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 03 dez. 2004. Seção 1, p. 2.

BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). Sobre a Lei de Inovação. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2012.

CAPART, G.; SANDELIN, J. Models of, and missions for, transfer offices from public research organizations. 2004. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2011.

CHAPPLE, W. et al. Assessing the relative performance of U.K. university technology transfer offices: parametric and non-parametric evidence. Research Policy, v. 34, p. 369-384, 2005.

DALMARCO, G. et al. Universities’ intellectual property: path for innovation or patent competition? Journal of Technology and Management Innovation, v. 6, p. 159-170, 2011.

DECTER, M.; BENNETT, D.; LESEURE, M. University to business technology transfer – UK and USA comparisons. Technovation, v. 27, p. 145-155, 2007.

EUN, J. H.; LEE, K.; WU, G. Explaining the “University-run enterprises” in China: a theoretical framework for university–industry relationship in developing countries and its application to China. Research Policy, v. 35, p. 1329-1346, 2006.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002. 175p.

HARMAN, G. Australian university research commercialization: perceptions of technology transfer specialists and science and techonology academics. Journal of Higher Education Policy and Management, v. 32, p. 69-83, 2010.

HOYE, K.; PRIES, F. ‘Repeat commercializers’, the ‘habitual entrepreneurs’ of university-industry technology transfer. Technovation, v. 29, p. 682-689, 2009.

ISIS INNOVATION. Technology transfer from University of Oxford. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2011.

LÖÖF, H.; BROSTRÖM, A. Does knowledge diffusion between university and industry increase innovativeness? The Journal of Technology Transfer, v. 33, p. 73-90, 2008.

MACHO-STADLER, I.; PÉREZ-CASTRILLO, D. Incentives in university technology transfer. International Journal of Industrial Organization, v. 28, p. 362-367, 2010.

MIT TECHNOLOGY LICENSING OFFICE. An inventor’s guide to technology transfer at the Massachusetts Institute of Technology. 2005. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2011.

MUSCIO, A. What drives the university use of technology transfer offices? Evidences from Italy. The Journal of Technology Transfer, v. 35, p. 181-202, 2010.

PARR, R. L. Royalty rates for licensing intellectual property. Hoboken: John Wiley & Sons, 2007. 219 p.

PEREIRA, M. F. et al. Transferência de conhecimentos científicos e tecnológicos da universidade para o segmento empresarial. Revista de Administração e Inovação, v. 6, p. 128-144, 2009.

RASMUSSEN, E. Government instruments to support the commercialization of university research: lesson from Canada. Technovation, v. 28, p. 506-517, 2008.

RASMUSSEN, E.; MOEN, O. GULBRANDSEN, M. Initiatives to promote commercialization of university knowledge. Technovation, v. 26, p. 518-533, 2006.

RICHARDSON, R. J. (Org.). Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999. 334 p.

SAMPAT, B. N.; MOWERY, D. C.; ZIEDONIS, A. A. Changes in university patents quality after the Bayh-Dole Act: a re-examination. International Journal of Industrial Organization, v. 21, p. 1371-1390, 2003.

SÃO PAULO. Lei 1.049, de 19 de junho de 2008. Diário Oficial [do] Estado de São Paulo, Poder Executivo, São Paulo, SP, 20 jun. 2008. Seção 1, p. 1-3.

SELLENTHIN, M. O. Technology transfer offices and university patenting in Sweden and Germany. The Journal of Technology Transfer, v. 34, p. 603-620, 2009.

SIEGEL, D.; WALDMAN, D.; LINK, A. Assessing the impact of organizational practices on the relative productivity of university technology transfer offices: an exploratory study. Research Policy, v. 32, p. 27-48, 2003.

SINE, W. D.; SHANE, S.; DI GREGORIO, D. The halo effect and technology licensing: the influence of institutional prestige on the licensing of university inventions. Management Science, v. 49, p. 478-496, 2003.

SORENSEN, J. A. T.; CHAMBERS, D. A. Evaluating academic technology transfer performance by how well access to knowledge is facilitated – defining an access metric. The Journal of Technology Transfer, v. 33, p. 343-363, 2009.

STEVENS, A.; TONEGUZZO, F.; BOSTRÖM, D. AUTM U.S. licensing survey: FY 2004 survey summary. Ottawa: Association of University Technology Managers (AUTM), 2005.

SWAMIDASS, P. M.; VULASA, V. Why university inventions rarely produce income? Bottlenecks in university technology transfer. The Journal of Technology Transfer, v. 34, p. 343-363, 2009.

TAKAHASHI, V. P. Transferência de conhecimento tecnológico: estudo de múltiplos casos na indústria farmacêutica. Gestão & Produção, v. 12, p. 255-269, 2005.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. 600 p.

TIGRE, P. B. Gestão da inovação: a economia da tecnologia do Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. 282.

TORKOMIAN, A. L. V. Panorama dos Núcleos de Inovação Tecnológica no Brasil. In: SANTOS, M. E. R; TOLEDO, P. T. M.; LOTUFO, R. A. (Org.). Transferência de tecnologia: estratégias para a estruturação e gestão de Núcleos de Inovação Tecnológica. Campinas: Komedi, 2009. p. 21-37.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP. Anuário Estatístico. São Paulo, 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 abr. 2012.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP. Campi. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2012.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP. Resolução nº 5.175: cria a Agência USP de Inovação USPInovação, e dá outras providências, de 18 de fevereiro de 2005. Diário Oficial [do] Estado de São Paulo, São Paulo, 19 fev. 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2011.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP. Resolução nº 5.448: Altera dispositivos da Resolução nº 4.715/99, que trata dos convênios e contratos de prestação de serviços em que a Universidade de São Paulo figura como contratada, de 18 de abril de 2008. Diário Oficial [do] Estado de São Paulo, São Paulo, 25 abr. 2008. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2011.

USTUNDAG, A.; UGURLU, S.; KILINC, M. S. Evaluating the performance of technology transfer offices. Journal of Enterprise Information Management, v. 24, p. 322-337, 2011.

VAN GILS, M.; VISSERS, G.; DE WIT, J. Selecting the right channel for knowledge transfer between industry and science: consider the R&D-activity. European Journal of Innovation Management, v. 12, p. 492-511, 2009.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. 205 p.