Dossiê - Campo de Públicas no Brasil: definição, movimento constitutivo e desafios atuais Outros Idiomas

ID:
31679
Resumo:
Este artigo apresenta o Campo de Públicas, que congrega professores e estudantes dos cursos de graduação em Administração Pública, Gestão Pública, Gestão de Políticas Públicas, Gestão Social e Política Públicas, no Brasil, em torno do ethos republicano e democrático como valores, e da visão multidisciplinar como proposta de construção do conhecimento. Baseado em pesquisa bibliográfica, análise documental e, sobretudo, na observação participante dos autores como atores na construção do Campo, o artigo é per se um dossiê. Inicia-se com a definição do Campo e descreve – pormenorizadamente – seu movimento constitutivo nos últimos 12 anos, que culminou na homologação das Diretrizes Curriculares Nacionais de Administração Pública, em 2013. O texto mostra a concretização e o crescimento do Campo no país, diante da crescente oferta do ensino de graduação, perante a revalorização e a ampliação do setor público no país. Ao final, elencam-se alguns desafios, concernentes ao seu processo de institucionalização e identidade.
Citação ABNT:
PIRES, V.; SILVA, S. M.; FONSECA, S. A.; VENDRAMINI, P.; COELHO, F. S. Dossiê - Campo de Públicas no Brasil: definição, movimento constitutivo e desafios atuais. Administração Pública e Gestão Social, v. 6, n. 3, p. 110-126, 2014.
Citação APA:
Pires, V., Silva, S. M., Fonseca, S. A., Vendramini, P., & Coelho, F. S. (2014). Dossiê - Campo de Públicas no Brasil: definição, movimento constitutivo e desafios atuais. Administração Pública e Gestão Social, 6(3), 110-126.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31679/dossie---campo-de-publicas-no-brasil--definicao--movimento-constitutivo-e-desafios-atuais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Arendt, H. (2003). A Condição Humana (10 ed). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Cançado, A. C., Pereira, J. R., Tenório, F. G., Rigo, A. S., Oliveira, V. A. R. (2011). Gestão social: conhecimento e produção científica nos ENAPEGS 2007-2010. Revista Administração Pública e Gestão Social, 3 (2), 115-137.

Carta de Balneário Camboriú (2010). Recuperado em 15 março, 2014 de http://campodepublicas.files.wordpress.com/2012/11/acarta-de-bal_-camboriufimagostovpf.pdf

Carta de Brasília (2013). Recuperado em 15 março, 2014 de http://campodepublicas.files.wordpress.com/2013/04/carta-de-brasc3adliaabril-de-2013-1.pdf

Coelho, F. S. (2008). A problemática atual do ensino de graduação em Administração Pública no Brasil. Cadernos EBAPE, Edição Especial, 1-21.

Coelho, F. S. (2008). Uma radiografia do ensino de graduação em Administração Pública no Brasil (1995-2006). Anais do Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação Em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 32.

Coelho, F. S., Nicolini, A. M. (2013). Do auge à retração: análise de um dos estágios de Construção do Ensino de Administração Pública no Brasil (1966-82). Organizações & Sociedade, 20 (66), 403-422.

Coelho, F. S., Olenscki, A. R. B., Celso, R. P. (2011). Da letargia ao (re)alento: notas sobre o ensino de graduação em administração pública no Brasil no entremeio da crise do Estado e da redemocratização (1983-94). Revista de Administração Pública, 45 (6), 1707-32.

Fadul, E., Silva, L. P., Cerqueira, L. S. (2010), novembro. Uma análise do campo da administração pública através da produção científica. Anais do Encontro Nacional de Administração pública e Governança, Vitória, ES, Brasil, 4.

Fischer, T. D. (1984). O Ensino de administração pública no Brasil: os ideais de desenvolvimento e as dimensões de racionalidade (1948-84). Tese de Doutorado, Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Parecer n. 307, de 08 de julho de 1966 (1966). Fixa o currículo mínimo de graduação em Administração. Brasília, DF: MEC, CFE.

Relatório n. 7 do Conselho Pleno, de 1º de outubro de 2013 (2013). Brasília, DF: MEC, CNE, CP.

Resolução n. 1, de 13 de Janeiro de 2014 (2014). Define as Diretrizes Curriculares Nacionais em Administração pública. Brasília, DF: MEC, CNE, CES.

Vendramini, P. (2013). Ensino de administração pública e o desenvolvimento de competências: a contribuição do Curso de Administração Pública da Esag Udesc. Tese de Doutorado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil