Prestação de contas de executivos municipais de Santa Catarina: uma investigação nos portais eletrônicos Outros Idiomas

ID:
31682
Resumo:
O artigo teve por objetivo investigar a prestação de contas realizada pelo executivo de municípios do Estado de Santa Catarina nos portais eletrônicos. A pesquisa é descritiva, do tipo survey, com uma abordagem predominantemente qualitativa. A coleta de dados foi realizada por meio de protocolo de observação. Dos 25 portais analisados, 19 apresentaram capacidade baixa em possibilitar a construção de prestação de contas, correspondendo a 76,00% do universo pesquisado. Somente 24,00% dos executivos municipais atendem às exigências legais. Os resultados demonstram a quase inexistência de utilização dos portais para prestar contas dos gastos incorridos pelos executivos municipais.
Citação ABNT:
RAUPP, F. M.Prestação de contas de executivos municipais de Santa Catarina: uma investigação nos portais eletrônicos. Administração Pública e Gestão Social, v. 6, n. 3, p. 151-158, 2014.
Citação APA:
Raupp, F. M.(2014). Prestação de contas de executivos municipais de Santa Catarina: uma investigação nos portais eletrônicos. Administração Pública e Gestão Social, 6(3), 151-158.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31682/prestacao-de-contas-de-executivos-municipais-de-santa-catarina--uma-investigacao-nos-portais-eletronicos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Akutsu, L.; Pinho, J. A. G. (2002). Sociedade da informação, accountability e democracia delegativa: investigação em portais de governo no Brasil. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 36(5), p.723-745, set./out.

Alexandrini, F. et al. (2007). Estratégias em governo eletrônico municipal – prefeitura virtual. In: ENCONTRO DA ANPAD, XXXI, 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF.

Brasil. (2000). Lei de Responsabilidade Fiscal. Lei Complementar n° 101, de 04 de Maio de 2000. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília.

Brasil. (2009). Lei da Transparência. Lei Complementar n° 131, de 27 de Maio de 2009. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília.

Brasil. (2011). Lei de Acesso a Informações Públicas. Lei n° 12.527, de 18 de novembro de 2011. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília.

Campos, A. M. (1990). Accountability: quando poderemos traduzi-la para o português? Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, ano 24, n.2, p.30-50, fev./abr.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed.

D'Agostino, M. J., et al. (2011). A study of e-government and e-governance: an empirical examination of municipal websites. Public Administration Quarterly, 35(1), 3-25.

Damian, I. P. M., & Merlo, E. M. (2013). Uma análise dos sites de governos eletrônicos no Brasil sob a ótica dos usuários dos serviços e sua satisfação. Revista de Administração Pública, 47, 877-900.

Diniz, Eduardo Henrique; Barbosa, Alexandre Fernandes; Junqueira, Alvaro Ribeiro Botelho; Prado, Otavio. (2009). O governo eletrônico no Brasil: perspectiva histórica a partir de um modelo estruturado de análise. Revista Administração Pública, Rio de Janeiro, 43(1), p. 23-48, jan/fev.

Filgueiras, Fernando. (2011). Além da transparência: accountability e política da publicidade. Lua Nova, São Paulo, (84), p. 353-364.

Heidemann, F. G. Ética da responsabilidade: sensibilidade e correspondência a promessas e expectativas contratadas. In: Heidemann, F. G.; Salm, J. F. (Orgs.). (2009). Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Loureiro, M. R.; Abrucio, F. L. (2004). Política e reformas fiscais no Brasil recente. Revista de Economia Política, São Paulo, 24(1), p.50-72, jan./mar.

Maria, J. F. A. (2010). Desenho institucional e accountability: pressupostos normativos da teoria minimalista. Revista de Sociologia Política, Curitiba, 18(35), p. 27-40, fev.

Medeiros, P. H. R.; Guimarães, T. de A. (2006). A institucionalização do governo eletrônico no Brasil. Revistas de Administração de Empresas Eletrônica, São Paulo, v. 46, (4), p. 1-13, out/dez.

O’Donnell, G. (1991). Democracia delegativa? Novos Estudos, São Paulo, (31), p.25-40, out.

O’Donnell, G. (1998). Accountability horizontal e novas poliarquias. Lua Nova, São Paulo, (44), p.27-54.

ONU. Organização das Nações Unidas (2012). E-Government survey 2012. New York: ONU.

Pereira, Jerônimo Rosário Tanan. (2010). Gestão e controle de recursos públicos: um estudo sobre a rejeição de prestação de contas dos governos municipais do estado da Bahia. 112 p. Dissertação (Mestrado em Contabilidade) – Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Pinho, J. A. G. (2008). Investigando portais de governo eletrônico de estados no Brasil: muita tecnologia, pouca democracia. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, 42(3), p.471-493, maio./jun.

Pinho, J. A. G.; Sacramento, A. R. (2009). Accountability: já podemos traduzi-la para o português? Revista de Administração Pública, 43(6), p.1343-1368, nov./dez.

Pinto, Luiz Paulo Freitas. (1999). O papel da publicidade na prestação de contas do governo: a visão dos representantes dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul. 166p. Dissertação (Mestrado em Administração Pública) – Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Prado, O. (2004). Governo eletrônico e transparência: a publicização das contas públicas das capitais brasileiras. 180 p. Dissertação (Mestrado em Administração Pública e Governo) - Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas, São Paulo.

Prado, O. (2009). Governo eletrônico, reforma do estado e transparência: o programa de governo eletrônico do Brasil. Tese (Doutorado em Administração) – Curso de Doutorado em Administração de Empresas da EAESP, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Prado, O.; Pó, M. V. (2007). Discursos, prestação de contas e responsabilização democrática nas reformas da gestão pública.In: ENCONTRO DA ANPAD, XXXI, 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD.

Raupp, Fabiano Maury. (2011). Construindo a accountability em Câmaras Municipais do Estado de Santa Catarina: uma investigação nos portais eletrônicos. 193 f. Tese (Doutorado em Administração) – Núcleo de Pós Graduação em Administração, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Raupp, Fabiano Maury; Pinho, José Antonio Gomes de. (2012). Prestação de contas nos portais eletrônicos de assembleias legislativas: um estudo após a lei de acesso a informações públicas. In: ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E GOVERNANÇA, V, Salvador. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD.

Raupp. Fabiano Maury; Pinho, José Antonio Gomes de. (2013) Accountability em câmaras municipais: uma investigação em portais eletrônicos. Revista de Administração (FEA-USP), v. 48, n. 4, p.770-782, out./nov./dez.

Ruediger, M. A. (2002). Governo eletrônico e democracia: uma análise preliminar dos impactos e potencialidades na gestão PÚBLICA. Organizações & Sociedade, Salvador, 9(25), p.29-43, set./dez.

Sandoval-Almazan, R., & Gil-Garcia, J. R. (2012). Are government internet portals evolving towards more interaction, participation, and collaboration? Revisiting the rhetoric of e-government among municipalities. Government Information Quarterly, 29(Suppl. 1).

Santos, J. C. S. (2011). Informação pública e participação política em rede: uma análise da governança eletrônica nos websites dos deputados do Estado da Bahia. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal da Bahia.

Silva, M. V. C. P.; Mendes, E. V. (2004). Pacto de gestão: da municipalização autárquica à regionalização cooperativa. Belo Horizonte: Minas Gerais, Secretaria de Estado de Saúde.