Diagnóstico situcional em unidade de terapia intensiva: relato de experiência Outros Idiomas

ID:
31858
Resumo:
O presente trabalho trata-se de um relato de experiência que teve como objetivo realizar um diagnóstico situacional de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital privado de pequeno porte, visando identificar não conformidades e desenvolver estratégias de melhoria para este setor. Os dados foram coletados por meio de uma lista de verificação simples e mapeamento de processos, a fim de conhecer a realidade do serviço e identificar problemas.Após análise dos resultados foram listadas as não conformidades e elaborado propostas de melhoria dos serviços prestados. A partir da análise dos dados e do mapeamento de processos, pode-se identificar problemas na UTI, destacando-se dentre eles fatores relacionados à ausência de um enfermeiro específico no setor. Desta forma foi proposta a implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), uma vez que facilitaria a padronização da assistência dos técnicos de enfermagem, auxiliando na monitorização e na maior participação de enfermeiros na unidade.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
LUVISARO, B. M. O.; FREIRE, E. M. R.; LIMA, G. S.; MARTINEZ, M. R. Diagnóstico situcional em unidade de terapia intensiva: relato de experiência. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, v. 11, n. 2, p. 67-78, 2014.
Citação APA:
Luvisaro, B. M. O., Freire, E. M. R., Lima, G. S., & Martinez, M. R. (2014). Diagnóstico situcional em unidade de terapia intensiva: relato de experiência. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, 11(2), 67-78.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/31858/diagnostico-situcional-em-unidade-de-terapia-intensiva--relato-de-experiencia/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, V. L. S. Gestão da qualidade: ferramentas utilizadas no contexto contemporâneo da saúde. São Paulo: Martinari, 2.ed., 2012.

ALVES, V. L. S. Gestão de qualidade: ferramentas utilizadas no contexto contemporâneo da saúde. São Paulo: Martinari, 2009.

ANJARD, R.P. Process mapping: one of three, new, special quality tools for management, quality and all other professionals. Microelectron. Reliab., v. 36, n. 2, p. 223-225, 1996.

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Resolução. RDC nº 7, de 24 de fevereiro de 2010. Brasília, 2010.

BAULI J, D.; MATSUDA, L. M. Diagnóstico situacional do serviço de enfermagem de hospital de ensino sob a ótica dos profissionais de nível médio. Revista Administração em Saúde, v.11, n.43, p. 55-62, 2009.

BITTAR, D.B.; PEREIRA, V.P.; LEMOS, R.C.A. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente crítico: proposta de instrumento de coleta de dados. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v.15,n.4, p.617-628, 2006.

COLLIGAN, L., et al. Does the process map influence the outcome ofquality improvement work? A comparison of asequential flow diagram and a hierarchical taskanalysis diagram. BMC Health Services Research, v.10, n.7, 2010.

FELDMAN, L.B, et al. História da evolução da qualidade hospitalar:dos padrões a acreditação. Acta Paul Enfermagem; v.18, v.2, p.213-219, 2005 Grupo técnico de acreditação de hospitais. Manual de acreditação hospitalar. Segunda versão, 1997. Disponível em: http://portalses.saude.sc.gov.br/arquivos/sala_de_leitura/saude_e_cidadania/ed_03/pdf/07_03.pdf. Acesso em: março de 2012.

FENTON, E.M. Visualising Strategic Change: The Role and Impact of Process Maps as Boundary Objects in Reorganisation. European Management Journal, v. 25, n.2, p.104–117, 2007.

INOUE, K.C.; MATSUDA, L.M. Dimensionamento da equipe de enfermagem da UTI-adulto de um hospital ensino.Revista Eletrônica Enfermagem; v.11, n.1, p. 55-63, 2009.

JOHNSON, J.K.; BARACH, P.R. Quality improvement methods to study and improve the process and outcomes ofpediatric cardiac care. Progress in Pediatric Cardiology, v.32, p. 147–153, 2011.

MALIK, A.M.; TELES, J.P. Hospitais e programasde qualidade no estadode São Paulo. RAE Revista de Administração de Empresas, v. 41, n. 3, p.51-59, Jul./Set. 2001.

MCCLOSKEY, J.C.; BULECHEK, G.M. Classificação das intervenções de enfermagem (NIC). Porto Alegre: ARTMED; 3ed., 2004.

MELLO, C.H.P; SALGADO, E.G. Mapeamento dos processos em serviços: estudo de caso em duas pequenas empresas da área de saúde. XXV Encontro Nacional de Engenharia de Produção – Porto AlegreRS, nov. de 2005.

NANDA. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: Definições e classificação 2009-2011; tradução Regina Machado Garcez – Porto Alegre: Artmed, 2010.

ONA. Manual das Organizações Prestadoras de Serviços de Saúde. Brasília: Organização Nacional de Acreditação, 2010.

PERTENCE, P.P.; MELLEIRO, M.M. Implantação de ferramenta de gestãode qualidade em Hospital Universitário. Revista Escola de Enfermagem USP; v.44. n.4, p.1024-1031, 2010.

RATH, F.M.S.I.E. Tools for developing a quality management program: proactive tools (process mapping, value stream mapping, fault tree analysis, and failure mode and effects analysis). Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., v. 71, n. 1, Supplement, p. 187–190, 2008.

RAVEN, J., et al. Methodology and tools for quality improvement in maternal and newborn health care. International Journal of Gynecology and Obstetrics, v.114, p. 4–9, 2011.

SOUZA, L.L.; COSTA, J.S.D. Internações por condiçõessensíveis à atenção primária nascoordenadorias de saúde no RS. Revista Saúde Pública, n.45, v.4, p.765-772, 2011.

TRUPPEL, T.C, et al. Sistematização da Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva.Revista Brasileira Enfermagem Brasília, mar-abril; v.62, n.2, p. 221-227, 2009.

VELILLAA, F.D.; MARTÍNEZ, J.R.M. Implementation of a quality model based on clinical management by processes in an orthopaedic surgery and traumatology department. RevEsp Cir Ortop Traumatol., v. 56, n.1, p. 80-93. 2012.