Pesquisa, ensino e prática de Gestão de Operações: consonâncias e divergências entre três mundos Outros Idiomas

ID:
32057
Resumo:
Esta pesquisa analisou a importância atribuída às temáticas da Gestão de Operações a partir das perspectivas da pesquisa, do ensino e da prática empresarial. Os dados foram colhidos por meio de uma survey, também, analisando-se outras evidências da atenção de pesquisadores, professores e praticantes ao corpo de conhecimento da área. A análise baseada na survey não evidenciou diferenças significativas entre os três grupos de profissionais. Alguma dissonância se revelou, contudo, nas atividades profissionais cotidianas também analisadas. Dois temas figuraram entre os 10 mais presentes no dia a dia de pesquisadores, professores e praticantes de Gestão de Operações (Estratégias e políticas de produção e Gerenciamento da qualidade). Três temas (Gerenciamento das informações de operações, Sistemas de produção enxuta e Projeto, mensuração e melhoria do trabalho) destacaram-se entre os mais valorizados por pesquisadores e praticantes. Um tema (Gerenciamento da produção e processos) apresentou-se entre os 10 mais relevantes para professores e praticantes. Outros dois temas (Gestão da cadeia de suprimentos e Gerência de projetos) apareceram com frequência na pesquisa e no ensino.
Citação ABNT:
PEINADO, J.; GRAEML, A. R. Pesquisa, ensino e prática de Gestão de Operações: consonâncias e divergências entre três mundos. Revista de Administração Contemporânea, v. 18, n. 5, p. 627-649, 2014.
Citação APA:
Peinado, J., & Graeml, A. R. (2014). Pesquisa, ensino e prática de Gestão de Operações: consonâncias e divergências entre três mundos. Revista de Administração Contemporânea, 18(5), 627-649.
DOI:
10.1590/1982-7849rac20141659
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/32057/pesquisa--ensino-e-pratica-de-gestao-de-operacoes--consonancias-e-divergencias-entre-tres-mundos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Abrahamson, E., & Eisenman, M. (2001). Why management scholars must intervene strategically in the management knowledge market. Human Relations, 54(1), 67-75. doi: 10.1177/0018726701541009

Alves, A. G., Filho, Nogueira, E., & Bento, P. E. G. (2011). Análise das estratégias de produção de montadoras de motores para automóveis. Gestão e Produção, 18(3), 603-618. doi: 10.1590/S0104-530X2011000300012

Arkader, R. (2003). A pesquisa científica em gerência de operações no Brasil. Revista de Administração de Empresas, 43(1), 70-80. doi: 10.1590/S0034-75902003000100008

Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores. (2014). Anuário da Indústria Automobilística Brasileira - 2014. São Paulo, SP; Brasília, DF: Autor. Recuperado de http://www.virapagina.com.br/anfavea2014/#I

Babbie, E. R. (2001). Métodos de pesquisa de survey. Belo Horizonte: UFMG.

Berry, S. E., & Lancaster, L. M. (1992). Views of production practitioners on the importance of selected POM topics: 1978 and 1989 practitioners compared. Production and Inventory Management Journal, 33(2), 24-31.

Berry, S. E., Watson, H. J., & Greenwood, W. T. (1978). A survey as to the content of introductory POM course. Academy of Management Journal, 21(4), 699-714. doi: 10.2307/255710

Buffa, E. S. (1980). Research in operations management. Journal of Operations Management, 1(1), 1-7. doi: 10.1016/0272-6963(80)90005-4

Chalmovich, H. (1999). Por uma relação proveitosa entre universidade de pesquisa e empresas. Revista de Administração, 34(4), 18-22.

Chase, R. B. (1980). A classification and evaluation of research in operations management. Journal of Operations Management, 1(1), 9-14. doi: 10.1016/0272-6963(80)90006-6

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (2014). [Edições Câmara]. (41a ed.). Brasília: Câmara dos Deputados. Recuperado de http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/17519/constituicao_brasil_41ed.pdf?sequence=1

Corrêa, H. L., Paiva, E. L., & Mendes, M. A., Primo (2010). A pesquisa em gestão de operações no Brasil: um breve relato de sua evolução. RAE-Eletrônica, 9(2). Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/raeel/v9n2/a02v9n2.pdf. doi: 10.1590/S1676-56482010000200002

Dancey, C. P., & Reidy, J. (2006). Estatística sem matemática para psicologia (3a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Field, A. (2009). Descobrindo a estatística usando o SPSS (2a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Ford, E. W., Duncan, W. J., Bedeian, A. G., Ginter, P. M., Rousculp, M. D., & Adams, A. M. (2003). A pesquisa que faz diferença. Revista de Administração de Empresas, 43(4), 86-101. doi: 10.1590/S0034-75902003000400012

Goetz, B. E. (1959). Teaching production management. Academy of Management Journal, 2(1), 7-20. doi: 10.2307/254551

Green, T. B., Newsom, W. B., & Jones, S. R. (1977). A survey of the application of quantitative techniques to production/operations management in large corporations. Academy of Management Journal, 20(4), 669-676. doi: 10.2307/255365

Grynszpan, F. (1999). A visão empresarial da cooperação com a universidade. Revista de Administração, 34(4), 23-31.

Levenburg, N. M. (1996). General management skills: do practitioners and academic faculty agree on their importance? Journal of Education for Business, 72(1), 47-51. doi: 10.1080/08832323.1996.10116825

Machuca, J. A. D., & Luque, R. A. (2003). An empirical study of POM teaching in Spanish universities: content of POM courses. International Journal of Operations & Production Management, 23(1), 15-43. doi: 10.1108/01443570310453244

Marcovitch, J. (1999). A cooperação da universidade moderna com o setor empresarial. Revista de Administração, 34(4) 13-17.

Martins, G., Rossoni, L., Csillag, J. M., Martins, M. E., & Pereira, S. C. F. (2010). Gestão de operações no Brasil: uma análise do campo científico a partir da rede social de pesquisadores. RAE Eletrônica, 9(2). Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/raeel/v9n2/a04v9n2.pdf. doi: 10.1590/S1676-56482010000200004

Paiva, E. L., & Brito, L. A. L. (2013). Produção científica brasileira em gestão de operações no período 2000-2010. Revista de Administração de Empresas, 53(1), 56-66. doi: 10.1590/S0034-75902013000100006

Peinado, J., & Graeml, A. R. (2013). Mapeamento dos temas pertinentes à gestão de operações: uma análise baseada na oferta de espaço editorial pelas revistas e congressos da área. Revista de Gestão da FEA-USP, 20(3), 367-386. doi: 10.5700/rege505

Rynes, S. L., Bartunek, J. M., & Daft, R. L. (2001). Across the great divide: knowledge creation and transfer between practitioners and academics. Academy of Management Journal, 44(2), 340-355. doi: 10.2307/3069460

Saurin, T. A., Ribeiro, J. L. D., & Marodin, G. A. (2010). Identificação de oportunidades de pesquisa a partir de um levantamento da implantação da produção enxuta em empresas do Brasil e do exterior. Gestão e Produção, 17(4), 829-841. doi: 10.1590/S0104-530X2010000400015

Schmenner, R. W., Wassenhove, L. van, Ketokivi, M., Heyl, J., & Lusch, R. F. (2009). Too much theory, not enough understanding. Journal of Operations Management, 27(5), 339-343. doi: 10.1016/j.jom.2009.07.004

Slack, N., Lewis, M., & Bates, H. (2004). The two worlds of operations management research and practice: can they meet, should they meet? International Journal of Operations & Production Management, 24(4), 372-387. doi: 10.1108/01443570410524640

Smith, R. D., & Robey, D. (1973). Research and applications in operations management: discussion of a paradox. Academy of Management Journal, 16(4), 647-657. doi: 10.2307/254697

Spell, C. S. (2001). Management fashions: where do they come from, and are they old wine in new bottles? Journal of Management Inquiry, 10(4), 358-373. doi: 10.1177/1056492601104009

Sprague, L. G. (2007). Evolution of the field of operations management. Journal of Operations Management, 25(2), 219-238. doi: 10.1016/j.jom.2007.01.001

Starkey, K., & Madan, P. (2001). Bridging the relevance gap: aligning stakeholders in the future of management research. British Journal of Management, 12(Supl. s1), 3-26. doi: 10.1111/1467-8551.12.s1.2

Vanalle, R. M., & Salles, J. A. A. (2011). Relação entre montadoras e fornecedores: modelos teóricos e estudos de caso na indústria automobilística brasileira. Gestão e Produção, 18(2), 237-250. doi: 10.1590/S0104-530X2011000200002

Westbrook, R. (1994). Priority management: new theory for operations management. International Journal of Operations & Production Management, 14(6), 4-24. doi: 10.1108/01443579410062059

Young, S. T., Baird, B. C., & Pullman, M. E. (1996). POM research productivity in U.S. business schools. Journal of Operations Management, 14(1), 41-53. doi: 10.1016/0272-6963(95)00038-0